Agrotóxicos

O que são os agrotóxicos?

Os agrotóxicos são substâncias químicas utilizadas especialmente na agricultura e que servem para o controle de doenças e pragas nas plantações.

Também conhecidos como defensivos agrícolas ou pesticidas, esses produtos alteram as características da fauna e da flora para evitar que outros organismos vivos causem danos nas plantações.

Além da agricultura, os agrotóxicos também podem ser usados para combater infestações e doenças em outros ecossistemas, como em florestas, pastagens e ecossistemas hídricos (rios, lagos e lençóis freáticos).

O uso dos agrotóxicos, no entanto, está associado a diversos prejuízos ao meio ambiente e à saúde dos seres vivos, especialmente quando utilizados em excesso ou com regulamentação precária.

O Brasil é o maior consumidor de agrotóxicos do mundo. Dentre os produtos consumidos no país, estão rótulos já proibidos em diversos países devido a comprovação de sua toxicidade.

Tipos de agrotóxicos

Os agrotóxicos são classificados de acordo com o tipo de praga que combatem. Existem diversas classificações, as principais são:

  • Inseticidas: combatem a infestação de insetos.
  • Herbicidas: eliminam as ervas daninhas.
  • Fungicidas: agem no combate a fungos.
  • Raticidas: combatem os animais roedores.
  • Acaricidas: combatem as infestações de ácaros.

AgrotóxicosAplicação de agrotóxico em uma plantação.

Por que os agrotóxicos são utilizados?

Os agrotóxicos são utilizados, destacadamente, em plantações de monocultura. A monocultura acontece quando extensas áreas de terra são usadas para a plantação de apenas um cultivo.

Quando isso acontece, a biodiversidade natural é destruída, causando desequilíbrios ambientais. Esses desequilíbrios provocam o surgimento de pragas e doenças, que são combatidas com produtos químicos.

Os agrotóxicos começaram a ser utilizados em grande escala depois da Segunda Guerra Mundial. Com o fim da guerra, as indústrias que produziam armas químicas descobriram que seus produtos poderiam ser usados no controle de pragas.

A utilização de agrotóxicos passou a fazer parte do que ficou conhecido como a Revolução Verde, nome do processo dado à modernização da indústria agrícola a partir dos anos 1940.

Essa modernização tinha como objetivo o aumento da produtividade na produção de alimentos, com a utilização de equipamentos tecnológicos, sementes modificadas e agrotóxicos.

Entenda melhor o que foi a Revolução Verde e o que é biodiversidade.

O uso de agrotóxicos no Brasil

O Brasil, desde 2008, é o maior consumidor de agrotóxicos do mundo, seguido pelos Estados Unidos, China, Japão e França.

Dentre os motivos que levaram o Brasil a essa posição estão o modelo agrícola latifundiário e de monocultura e também políticas de incentivo ao uso desses produtos.

Em 1975 foi lançado o Plano Nacional de Desenvolvimento Agrícola (PNDA), que incentivava o uso de agrotóxicos e oferecia crédito agrícola condicionado à compra obrigatória desse produtos.

Também houve incentivos para a instalação de indústrias de agrotóxicos no Brasil e isenção de impostos para esses produtos, como o ICMS, IPI, PIS/PASEP e COFINS.

Os agricultores familiares foram incentivados a deixar de usar sementes tradicionais para usar sementes híbridas, que exigem a utilização de determinados produtos químicos para a garantia da sua produtividade.

Segundo a Associação Brasileira de Saúde Coletiva - ABRASCO, cerca de 70% dos produtos in natura hoje no Brasil estão contaminados por agrotóxicos.

Entre 2007 e 2014 foram registradas 34.147 casos de intoxicação por agrotóxicos no SUS. Dentre os mais prejudicados, estão os trabalhadores do campo que trabalham com a aplicação desses produtos.

Muitos dos agrotóxicos utilizados no Brasil já foram banidos em outros países devido à sua associação com doenças. Entre eles está o acefato, que pode causar danos ao sistema endócrino.

Lei dos agrotóxicos

Considerando os perigos dos agrotóxicos para a saúde e para a natureza, os países costumam criar regulamentações que limitam o orientam a sua utilização.

No Brasil, o uso de agrotóxicos é controlado pela Lei nº 7.802/89. Ela estabelece o que são agrotóxicos e como deve ser feito o registro dos produtos que têm uso autorizado no Brasil, para garantir mais segurança, tanto para os trabalhadores rurais, como para a população consumidora dos alimentos.

Vantagens e desvantagens dos agrotóxicos

A principal vantagem dos agrotóxicos é o controle das doenças e pragas nas lavouras, o que aumenta a produtividade das plantações e evita que muitos alimentos sejam perdidos.

As desvantagens, por outro lado, são os riscos que esses produtos oferecem à saúde, como o desenvolvimento de doenças e intoxicações; e à natureza, como a contaminação das água e do solo e os danos causados à flora e à fauna.

Classificação toxicológica dos agrotóxicos

Os agrotóxicos também são classificados conforme o grau de toxicidade: de extremamente tóxico a pouco tóxico. De acordo com essa avaliação, recebem a indicação de uma cor.

Veja quais são as indicações feitas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa):

Extremamente tóxico Vermelho
Altamente tóxico Amarelo
Medianamente tóxico Azul
Pouco tóxico Verde

Riscos do uso de agrotóxicos

Diversas organizações internacionais e nacionais, como o Organização Mundial da Saúde e o Ministério da Saúde, alertam para os riscos do uso excessivo e inadequado dos agrotóxicos.

Os prejuízos do uso descontrolado desse produtos podem ser constatados no meio ambiente e na saúde dos seres vivos.

Riscos para a saúde

Pesquisas científicas associam a contaminação por agrotóxicos a diversos problemas de saúde, como alergias, irritação na pele, dor de estômago, diarreia e vômitos.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o contato contínuo com essas substâncias pode causar problemas de saúde mais graves, como: maior risco de desenvolver câncer, problemas de fertilidade, má formação fetal e alterações hormonais.

Segundo o Ministério da Saúde, entre 2007 e 2014, foram registrados 1.186 casos de morte por intoxicação com os agrotóxicos. Os trabalhadores do campo, muitas vezes analfabetos e sem instrução adequada, são os que mais sofrem contaminações.

Agrotóxico - aplicaçãoTrabalhadores aplicando agrotóxicos em plantação.

Saiba mais sobre o câncer.

Riscos para o meio ambiente

Os agrotóxicos também causam diversos prejuízos ao meio ambiente, como a degradação dos solos, a contaminação dos rios e lençóis freáticos e o desequilíbrio dos ecossistemas.

Depois que o agrotóxico é utilizado nas plantações, ele é levado pela chuva ou pelos ventos para outras regiões, contaminando áreas distantes e dificultando a análise precisa dos impactos.

A utilização excessiva e desregulada dos agrotóxicos também é perigosa porque pode gerar dependência química, exigindo que os fertilizantes sejam cada vez mais potentes para a prevenção das pragas e doenças.

Existem alternativas ao uso dos agrotóxicos?

Uma alternativa à utilização dos agrotóxicos é a agroecologia, uma produção orgânica não baseada na monocultura, nem na utilização de agrotóxicos e sementes transgênicas.

Na agroecologia utilizam-se diversas técnicas naturais para o controle de pragas, como a rotação de cultura, a diversidade no plantio e a utilização de defensivos naturais. Busca-se a sustentabilidade, evitando que a longo prazo o solo se torne improdutivo.

Além das questões ecológicas, a agroecologia também considera as questões culturais, econômicas e sociais da produção.

Veja também o significado de alimentos transgênicos, agricultura orgânica e desenvolvimento sustentável.

Data de atualização: 28/01/2020.