Big Data

Big data é um conjunto de ferramentas capaz de receber um grande volume e variedade de dados.

Por ter um volume gigantesco e muita variedade, esses dados não podem ser interpretados e processados por softwares convencionais. O big data surgiu por ter a agilidade e capacidade de interpretar dados em grande volume e de diferentes tipos.

Após esses dados serem analisados e interpretados, podem ser utilizados em estratégias empresariais, por exemplo.

Para que serve o Big Data?

O big data foi criado com a finalidade de receber, identificar e interpretar o maior número de dados possível.

O resultado desse processo permite que as empresas utilizem as informações coletadas na criação de novos produtos, fidelização de clientes, interpretação do interesse do público-alvo, entre outras circunstâncias.

Companhias como a Netflix e Facebook utilizam o big data para avaliar o interesse de seus usuários e enviar conteúdos e produtos que estejam de acordo com as suas escolhas de navegação, por exemplo.

Por consequência, fidelizam um grande número de clientes, por que estão sempre atentas aos desejos de quem utiliza os seus serviços.

Quais são os tipos de dados encontrados no Big Data?

Dados estruturados

São os bancos de dados tradicionais, organizados em tabelas, colunas e linhas. Esses tipos de dados são aqueles de fácil interpretação, como os textos e números.

Dados semi estruturados

São os dados que possuem padrões estruturados e não-estruturados. Esse tipo de dado é mais difícil de interpretar, já que possui uma estrutura heterogênea.

Alguns exemplos são os arquivos de áudio e até mesmo as informações geradas pelas redes sociais.

Dados não-estruturados

Esse é o tipo de dado mais comum atualmente, correspondendo a mais de 80% dos dados no big data. São por exemplo, as imagens, vídeos e documentos que possuem uma grande diversidade de fontes, por isso não são padronizados e de fácil interpretação, com os dados estruturados.

Os 5 V's do big data

Para entender a estrutura geral do big data, é preciso conhecer as funções dos 5 V's que norteiam esse conjunto de ferramenta. São eles:

Volume

O volume é a quantidade de dados presente no big data. Estima-se que em 2020 já se tenha cerca de 1 bilhão de terabytes armazenados globalmente.

Esse volume chega de através de inúmeros tipos de transações feitas na internet, como o envio de e-mails, compras em lojas online, transações bancárias, interações em redes sociais, entre outros.

Variedade

No big data, a variedade se refere aos diferentes tipos de dados recebidos pelas ferramentas.

Os dados eram, em sua maioria, estruturados e de fácil análise e interpretação. Como as interações instantâneas na internet cresceram, os tipos de dados mudaram rapidamente também, a partir disso surgiram os dados semi-estruturados e não-estruturados.

Velocidade

A velocidade é a interpretação instantânea dos dados recebidos.

Já se sabe que o big data conta com um grande volume de dados todos os dias, porém, uma outra característica importante é a velocidade que esses dados chegam até às ferramentas.

Como na maioria das vezes as interações e transações são instantâneas, a velocidade de análise e interpretação desses dados deve ser imediata, principalmente para que as empresas solucionem questões em tempo real, obtendo vantagem competitiva no mercado.

Veracidade

A veracidade é a capacidade do big data selecionar dados que sejam úteis e verídicos para serem utilizados.

Com a quantidade enorme de diferentes estruturas, é importante identificar quais dos dados recebidos são úteis e confiáveis.

A veracidade é uma das maiores e mais importantes características do big data por ser a área que impacta diretamente no que pode ou não ser utilizado na estratégia das empresas.

Além de ser verídico, esses dados precisam também condizer com o tempo que foram coletados, já que dados que se referem a acontecimentos passados não têm valor algum.

Valor

O valor se refere a utilidade que aquele dado interpretado pode ter para uma empresa.

Uma empresa que adere ao big data, por exemplo, precisa de dados que sejam úteis e que tenham valor para a sua estratégia. Caso contrário, dados que não façam sentido ou que não possam ser utilizados acabam por ser ineficientes para a empresa.

Onde o big data pode ser aplicado?

A utilização do big data vai muito além do seu uso em empresas privadas. Esse grande conjunto de recursos conseguiu mudar a forma como nos movimentamos na cidade, como compramos e até como evitamos epidemias.

Veja algumas situações onde o big data pode ser aplicado.

Mobilidade Urbana

Com o recebimento e interpretação instantânea de dados, a forma que nos movimentamos dentro das cidades hoje se tornou muito mais rápida e precisa.

Com as informações recebidas pelo big data, por exemplo, é possível saber o melhor caminho para se chegar no seu destino, qual meio de transporte público pegar ou até mesmo saber quanto tempo você levará para chegar.

Publicidade

É através do big data que grandes empresas conseguem analisar e entender o comportamento dos seus clientes e possíveis clientes.

É por esse motivo que, ao navegar na internet, você é impactado por produtos e serviços baseados no seu histórico de pesquisa.

Cuidados com a saúde pública e individual

O big data consegue captar o que as pessoas dizem ou pesquisam na internet. Isso ajuda a prevenir grandes epidemias, quando as ferramentas captam, por exemplo, que um grande número de pessoas de uma determinada região está reclamando dos sintomas da gripe ou qualquer outra doença.

Além disso, o big data é capaz de interpretar um sequência de DNA em segundos, o que possibilita a prevenção de doenças ou até mesmo a cura delas.

Veja também o significado de Data Warehouse e Data Mining.

Data de atualização: 21/01/2020.