Significado de Capitalismo informacional

Talita Carvalho
Talita Carvalho
Licenciada em Economia

O que é Capitalismo informacional:

Capitalismo informacional, também chamado de capitalismo cognitivo, é um conceito criado pelo sociólogo espanhol Manuel Castells em seu livro "A Sociedade em Rede", publicado em 1996.

O capitalismo informacional corresponde ao período do desenvolvimento econômico atual, caracterizado sobretudo, pelo desenvolvimento da tecnologia da informação e do avanço da globalização após a Terceira Revolução Industrial.

As mudanças provocadas pela Revolução Técnico-científica de meados do século XX reestruturaram a sociedade para além do modo de produção e das relações econômicas. Elas mudaram também as relações sociais e culturais em todo o mundo.

Alguns estudiosos definem o capitalismo informacional como a quarta (e atual) fase do sistema capitalista, porém há muitas divergências em relação a essa definição. O próprio autor do conceito, Castells, não o classificava como uma fase, mas como uma característica da sociedade atual.

Entenda o que é o capitalismo e suas características.

O surgimento do capitalismo informacional

O capitalismo informacional representa a sociedade da virada do século XX para o século XXI e foi resultado das transformações proporcionadas pela Terceira Revolução Industrial, também chamada de Revolução Técnico-científica.

Foi nessa fase da Revolução Industrial que surgiram as indústrias de ponta, a robótica e as telecomunicações, por exemplo. O desenvolvimento da tecnologia nesse período permitiu a produção de produtos e de evoluções científicas até então inimagináveis.

Saiba mais sobre a Terceira Revolução Industrial.

A forma de comunicação e o fluxo das informações se transformaram de tal maneira, que estas passaram a ser repassadas instantaneamente a um número imenso de pessoas no mundo todo.

O capitalismo então, se reestrutura a partir das novas tecnologias de informação. Um dos marcos dessa mudança é a substituição do modelo de produção fordista pelo modelo toyotista, em meados da década de 1970. Entenda a diferença entre eles:

  • Fordismo: popularizado no início do século XX, era baseado na produção em massa e em uma linha de produção onde cada trabalhador desempenharia uma função específica.
  • Toyotismo: para evitar a superprodução e os custos com armazenagem, flexibiliza-se a produção, que passa a ser realizada mediante encomendas, reduzindo o desperdício de matérias-primas e de tempo na produção.

Saiba mais sobre o fordismo e o toyotismo.

Essa mudança na forma de produção só foi possível graças aos avanços nas tecnologias de comunicação e transporte, que permitiram que os pedidos, a solicitação de matérias-primas e as entregas fossem realizadas no menor tempo possível e em conformidade com a demanda.

Além do próprio modo de produção, a revolução tecnológica desse período transformou a forma que os seres humanos se relacionam com o mundo e outras pessoas.

A internet possibilitou a criação de uma sociedade em rede, na qual as pessoas estão conectadas mesmo há milhares de quilômetros de distância. O conhecimento também também se tornou muito mais acessível: está na palma das mãos, por meio de um smartphone com acesso à internet.

Isso não significa que todas as pessoas estejam inseridas no mundo da internet e do fácil acesso ao conhecimento.

O desenvolvimento econômico se dá de maneira desigual entre os países e segundo uma divisão internacional do trabalho (DIT). Essa divisão permite avanços nos países desenvolvidos, mas reproduz a miséria em países subdesenvolvidos.

Se por um lado, há países onde a maior parte da população tem acesso à internet em casa, em outros, ainda faltam recursos básicos de sobrevivência para a maioria da população.

Veja também o significado de DIT e miséria.

As fases do capitalismo

Existe o debate se estamos na quarta fase do capitalismo - representada pelo capitalismo informacional - ou se permanecemos na terceira. Confira abaixo quais são essas fases e as características de cada uma:

  • 1ª fase - Capitalismo comercial: também chamado de mercantilismo, corresponde ao período que vai do século XV ao século XVIII. Essa fase corresponde ao surgimento das moedas para trocas comerciais e é baseada na produção de manufaturas e no protecionismo.
  • 2ª fase - Capitalismo industrial: essa fase é inaugurada com a Revolução Industrial e a ascensão da burguesia. Está baseada no liberalismo econômico, na produção em larga escala e no trabalho assalariado. Nesse período se fortalece o imperialismo e a globalização e se intensificam as desigualdades sociais.
  • 3ª fase - Capitalismo financeiro: essa fase é representada pelo controle dos bancos e demais instituições financeiras sobre a economia e no capital especulativo. É o momento de expansão das empresas multinacionais, da mundialização da economia e dos avanços na comunicação e nos transportes.

Segundo alguns estudiosos, o capitalismo informacional seria a 4ª fase do sistema capitalista. No entanto, é notável que as características da 3ª fase ainda são predominantes em nossa sociedade.

Por isso, é mais apropriado entender o capitalismo informacional como um fenômeno que ocorre em paralelo ao capitalismo financeiro.

Isto é, ainda vivemos a terceira fase do capitalismo, representada pela globalização da economia e predominância do capital financeiro, mas agora, reestruturada pelas mudanças proporcionadas pela revolução nas tecnologias de informação e comunicação.

Veja também o significado de capitalismo comercial, capitalismo industrial e capitalismo financeiro.

Data de atualização: 19/08/2019.

Talita Carvalho
Talita Carvalho
Formada em Economia pela Universidade Federal do Paraná e mestranda em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Socioambiental pela Universidade do Estado de Santa Catarina.