Características do tecido epitelial

O tecido epitelial, também conhecido por epitélio, é um dos quatro principais tipos de tecidos existentes no corpo humano (epitelial, muscular, conjuntivo e nervoso).

A principal função do tecido epitelial é evitar que organismos externos ao corpo consigam penetrar neste. No entanto, além disso, o epitélio agrega outras funcionalidades importantes. Para entender melhor o seu funcionamento, confira algumas das suas principais características.

Células justapostas

tecido epitelial

Uma das principais características desse tipo de tecido é o modo como as células são dispostas extremamente próximas umas das outras. Isso faz com que não haja muita substância intercelular entre as células. 

Essa particularidade é útil principalmente para uma das mais importantes funções do epitélio: revestir órgãos, cavidades e demais estruturas internas e externas do corpo.

As células do tecido epitelial variam de acordo com os seus respectivos formatos e funções, como veremos a seguir.

Sem vasos sanguíneos

Outra peculiaridade do tecido epitelial é a avascularidade, ou seja, ausência de vasos sanguíneos. 

Assim, as células que formam o epitélio são nutridas através de difusão, por meio de capilares de tecidos conjuntivos vizinhos localizados na chamada lâmina basal. É deste modo que o tecido epitelial consegue obter oxigênio, nutrientes, etc.

Revestir o corpo

Uma das principais funções do tecido epitelial é revestir o corpo, seja externamente (compõe a epiderme, ou seja, a pele) como internamente (alguns órgãos e cavidades do organismo humano).

Um dos fatores que serve para classificar o epitélio é a sua função. Neste caso, o tecido epitelial de revestimento é o responsável por garantir a proteção contra a entrada de substâncias, microrganismos e outros agentes invasores no corpo.

Além disso, também fornece a proteção necessária perante impactos físicos, como pancadas, arranhões, cortes, etc.

Classificação dos tecidos epiteliais de revestimento

De acordo com o número de camadas de células dos tecidos epiteliais de revestimento, estes podem ser:

Epitélio de revestimento simples

tecido epitelial de revestimento simples

Tecido epitelial de revestimento simples pavimentoso (células com formato achatado).

Quando são formados por apenas uma camada de células, sendo estas ligadas diretamente na lâmina basal.

O tecido epitelial de alguns órgãos internos do corpo são revestidos com o epitélio simples, pois estes não podem ser muito espessos devido a necessidade da troca de substâncias internas.

Epitélio de revestimento estratificado

tecido epitelial de revestimento estratificado

Tecido epitelial de revestimento estratificado colunar (células em formato de colunas).

Formado por várias camadas de células. O tecido que forma a pele humana é um exemplo de epitélio estratificado, pois é formado por muitas camadas com o propósito de conceder uma maior proteção ao corpo. 

Assim, cria-se uma "barreira" contra vários tipos de atritos e abranda o impacto de substâncias ou agentes externos, como a ação de químicos, raios solares, etc.

Epitélio de revestimento pseudoestratificado

pseudoestratificado

Tecido epitelial de revestimento pseudoestratificado.

É quando os núcleos das células aparecem em diferentes posições, dando a impressão de existir mais do que uma camada, quando na realidade não há. No tecido epitelial pseudoestratificado todas as células ficam diretamente ligadas à camada basal. 

Por fim, entre a classificação a partir do número de camadas, o tecido epitelial de revestimento ainda pode ser dividido de acordo com o seu formato:

  • Pavimentosos: células apresentam formato achatado. Costuma ser encontrado principalmente na epiderme;
  • Cúbico: células em formato de cubo. Esse tipo de epitélio costuma ser encontrado na retina, nos túbulos renais, nos ductos das glândulas e no tecido germinativo do ovário;
  • Colunar: células em formato de coluna (retangulares e altas). São encontradas nas mucosas intestinais, tubas uterinas, entre outros;
  • Transição: são as células que alteram o seu formato de acordo com a distensão do órgão. O tecido epitelial da bexiga pode ser considerado um exemplo, pois altera o seu formato quando esse órgão está cheio e vazio.

tipos de tecidos epiteliais

Diferentes tipos de tecido epitelial, de acordo com função e formato das células.

Permite a secreção de substâncias do corpo (epitélio glandular)

tecido epitelial glandular

Outra função importante do tecido epitelial é formar as glândulas. No entanto, neste caso o epitélio se diferencia do de revestimento, sendo chamado de tecido epitelial de secreção ou epitélio glandular.

Neste caso, o tecido epitelial forma essencialmente dois tipos de glândulas:

  • Glândulas exócrinas: através de ductos excretores lança as secreções para fora do corpo ou para cavidades deste. As glândulas mamárias, salivares e sudoríparas são alguns exemplos.
  • Glândulas endócrinas: as secreções são lançadas diretamente na corrente sanguínea e não possuem ductos excretores. As glândulas endócrinas são as responsáveis pela produção dos hormônios (hipófise, tireoide, etc).

Veja também qual o significado de Histologia, o ramo da ciência que estuda os tecidos biológicos.

Data de atualização: 24/04/2018. Características do tecido epitelial está na categoria: Ciência

Veja Também