Consequências do efeito estufa

Quais são as consequências do efeito estufa?

O efeito estufa é um fenômeno natural e fundamental para a manutenção de temperaturas adequadas para a vida no planeta, mas ele está sendo intensificado pela ação do homem e causando o aquecimento global.

A intensificação desse fenômeno acontece devido à emissão de gases do efeito estufa, como o dióxido de carbono (CO2) e o metano (CH4), liberados principalmente pela queima de combustíveis fósseis.

Esses gases se concentram na atmosfera e dificultam a reflexão de parte dos raios solares de volta para o espaço, o que faz com que a temperatura na Terra se eleve a níveis alarmantes.

Desde a Revolução Industrial, a quantidade de gases do efeito estufa na atmosfera cresceu e hoje o planeta está 0,7º C mais quente do que há cem anos atrás.

As temperaturas elevadas causam desequilíbrios na natureza e mudanças climáticas que podem ter consequências devastadoras para a sociedade. Conheça algumas dessas consequências:

Aumento do nível do mar

O derretimento das calotas polares e a expansão térmica devido à elevação da temperatura estão provocando o aumento do nível do mar. Estima-se que entre 1901 e 2010, o nível do mar tenha subido 19 centímetros.

Caso o aquecimento global se mantenha, em 2100 o mar pode estar entre 15 e 90 centímetros mais alto do que atualmente. Isso significa que muitas cidades litorâneas desapareceriam e milhares de pessoas ficariam desabrigadas.

A elevação da temperatura da água também pode causar desvio nos cursos da água e extinção de animais marinhos incapazes de sobreviver em águas mais quentes.

O derretimento das calotas polares também tem outro efeito nocivo ao aquecimento global: a redução do albedo. Albedo é a capacidade de reflexão da radiação solar a partir do gelo.

Com menos albedo, menos radiação é refletida e consequentemente mais radiação é absorvida, aumentando ainda mais a temperatura na Terra.

Derretimento calota polar

Saiba mais sobre efeito estufa e aquecimento global.

Desequilíbrio de ecossistemas

Com o aumento da temperatura do ar e das águas, os ecossistemas se desequilibram e podem provocar a extinção de espécies e mudanças nos regimes de reprodução e migração dos animais.

A biodiversidade fica ameaçada com a extinção de espécies. Estima-se que se a temperatura média se elevar entre 1,5º C e 2,5º C, cerca de 30% das espécies de animais e vegetais do mundo seriam extintos.

Na Amazônia, floresta de maior biodiversidade do mundo, uma elevação de temperatura da ordem de 2º C e 3º C causaria a redução de 25% a 40% de suas árvores.

Extinção de espécies

Entenda o que é um ecossistema e saiba quais são os animais em extinção.

Eventos climáticos extremos

O aquecimento global contribui para a intensificação de eventos climáticos extremos e desastres ambientais, como chuvas fortes com inundações, estiagens, furacões e ciclones.

Até 1990, a média de desastres naturais era de 260 eventos por ano. Em 2003, essa média já chegava a 337 casos anuais.

O furacão Katrina, que aconteceu nos Estados Unidos em 2005, e o Catarina que aconteceu em 2004 no estado de Santa Catarina são exemplos de desastres ambientais que provavelmente têm ligação com o aquecimento global.

Apesar de furacões serem formados de maneira natural, estudos científicos mostram uma maior incidência desses fenômenos em decorrência da elevação das temperaturas e das mudanças climáticas.

FuracãoInundação após furacão Katrina em Nova Orleans, nos Estados Unidos.

Saiba mais sobre desastres ambientais e mudanças climáticas.

Desertificação de áreas férteis

A intensificação do efeito estufa e a elevação das temperaturas também pode ter como consequência a desertificação de zonas tropicais do planeta que hoje são produtivas.

A perda de fertilidade dos solos pode ter como grave consequência a escassez de alimentos, que por sua vez pode resultar em problemas de segurança alimentar e subnutrição.

Caso a emissão de gases do efeito estufa não seja reduzida, estima-se que em 2025 os países da África terão perdido ⅔ de suas terras produtivas, a Ásia perderia ⅓ e a América do Sul perderia ⅕.

Um cenário preocupante, já que os países dessas regiões são subdesenvolvidos e, portanto, têm menos recursos para superar tais dificuldades.

Desertificação

Produção de alimentos

A produção de alimentos e a criação de animais também dependem das condições climáticas e podem ser afetadas pelo efeito estufa e aquecimento global.

As elevadas temperaturas do ar e do solo podem reduzir a fertilidade e as secas podem tornar o solo insuficientemente úmido, de modo que a produção de vegetais seja danificada.

A elevada concentração de gás carbônico (CO2) no ar também traz consequências para a natureza, pois pode afetar no processo de fotossíntese e consequentemente no crescimento das plantas.

Outro fator de complicação para as lavouras são as pragas e doenças que atingem as plantações. Com o aumento das temperaturas, suas dinâmicas podem ser alteradas e resultar em um número maior de perdas.

Todos os problemas na produção de alimentos podem refletir em aumento da fome e da insegurança alimentar, em especial nos países pobres, onde a escassez de alimentos já uma realidade.

Produção de alimentos

Saiba mais sobre o dióxido de carbono.

Prejuízos para a saúde

O aquecimento global também tem consequências diretas sobre a saúde dos seres humanos. Doenças diretamente relacionadas ao calor podem tornar-se mais frequentes, como por exemplo, insolação, stress térmico e doenças cardiovasculares.

Doenças respiratórias também tem maior incidência nesse cenário, sobretudo pelo excesso de poluição do ar, composta em grande parte por gases do efeito estufa.

Além disso, outra grande preocupação é a maior proliferação de doenças tropicais transmitidas por mosquitos como é o caso da dengue, zika, malária, chikungunya e febre amarela.

Os estudos também apontam que as temperaturas elevadas estão relacionados a um maior número de casos de doenças como leishmaniose, leptospirose e cólera.

DoençasMosquito aedes aegypti - transmissor da dengue, febre amarela, zika e chicungunha.

Saiba mais sobre a dengue.

Disponibilidade de água

A escassez de água poderá ser provocada pela alteração nos regimes de chuva, pela evaporação da água e alteração da umidade do solo. Além disso, as secas e os desastres ambientais podem afetar a qualidade de água disponível para consumo humano.

O derretimento das geleiras de montanha também são um risco para a disponibilidade de água, pois é do topo das montanhas que nascem muitos rios.

A elevação do nível do mar é outro risco para o abastecimento de água, pois ao avançar sobre a terra, a água do mar pode ir ao encontro dos rios e contaminá-los com água salgada.

Falta de água

Veja também o significado de poluição.

Data de atualização: 27/02/2020.