Significado de Desenvolvimento Embrionário

Lana Magalhães
Revisão por Lana MagalhãesProfessora de Biologia
Escrito por Stella Sousa

O que é o Desenvolvimento Embrionário:

É o estudo da embriologia sobre o desenvolvimento de um indivíduo desde o processo da sua fecundação e formação do zigoto (célula-ovo), até a constituição dos seus órgãos, ossos, tecidos e as outras partes do corpo, durante uma gestação.

As fases do desenvolvimento embrionário

Dentro do processo de formação de um indivíduo, há varias fases importantes que definem o seu desenvolvimento. Esses processos iniciam-se através da fecundação e da fertilização de dois gametas: o feminino e o masculino, que transformam-se em uma única célula: o zigoto.

A partir da sua fertilização, a célula originada passa por algumas fases importantes que determinam seu DNA, além do desenvolvimento dos órgãos e outras partes do corpo.

As funções do espermatozoide e do óvulo nos processos da fecundação e fertilização

O gameta masculino, conhecido como espermatozoide (ou SPTZ), possui um pronúcleo haploide, ou seja, tem apenas um conjunto de material genético, responsável pela formação do embrião. Esse conjunto genético é denominado de cromossomo.

sptz1Estrutura de um espermatozoide: gameta masculino

O gameta feminino, conhecido como ovócito secundário, também é haploide e carrega a outra metade do material genético responsável pela formação do embrião.

ovocito

Visão microscópica de um óvulo secundário, o gameta feminino, envolvido por espermatozoides.

A formação do Zigoto

Ao entrar no canal vaginal, os espermatozoides conseguem fecundar (ou fundir) o ovócito secundário. Esse ato de fecundação é chamado de cariogamia, ou seja: a união dos gametas feminino e masculino.

Mas para que o surgimento do embrião aconteça, é necessário a fertilização do óvulo. Então, após o espermatozoide se fundir ao óvulo secundário, ocorre o processo de fertilização: a união do pronúcleo feminino com o pronúcleo masculino, que acontece na tuba uterina, próximo aos ovários.

Através dessa fertilização, surge o zigoto (ou célula-ovo): uma célula diploide, com os dois materiais genéticos providos dos pronúcleos masculino e feminino.

fecundacao2

Célula Zigoto em processo de fertilização entre os pronúcleos masculino e feminino.

Conheça as particularidades da célula Zigoto e saiba mais sobre a Fecundação.

Clivagem e Mórula

Já com o material genético dos dois gametas, o zigoto entra em processo de Clivagem (ou Segmentação), construído através da mitose, onde os citoplasmas do embrião são divididos em larga escala, formando pequenas células nucleadas e idênticas, chamadas blastômeros.

clivagem1Fase de Clivagem, onde o zigoto sofre mitose.

Ao final da Clivagem, ocorre a fase da Mórula: o primeiro estágio de embriogênese ou primeira fase relevante do desenvolvimento embrionário. Nesta etapa é formado um material maciço, com 12 a 32 blastômeros, contendo todo o DNA do indivíduo.

A Mórula acontece de três a quatro dias após a fecundação e é responsável por levar o embrião para o útero, dando início a fase da Blástula.

Veja mais sobre o significado de Mitose e DNA.

A fase de Blástula

Aqui inicia-se uma mudança na estruturação das células. Os blastômeros começam a migrar para a periferia, dando origem a uma parede celular denominada blastoderme, formando uma cavidade interna chamada blastocele, dentro do material maciço formado na fase da Mórula.

blastocele2Blastômeros migrando para a periferia e formando a cavidade blastocele

A Blástula é considerada o segundo estágio de embriogênese, onde o embrião sofre o processo de Nidação, fixando-se de vez no útero.

Após a formação da blástula e do processo de nidação, o blastocele passa pelo processo de invaginação ou epibolia, formando uma nova cavidade denominada Arquêntero. Essa cavidade também é responsável por formar o tubo digestivo, dando início a fase da Gástrula.

blastula1Formação da Gástrula: processo de invaginação da endoderme.

Entenda mais sobre o processo da Nidação.

A fase da Gástrula

Neste terceiro estágio de embriogênese, o espaço aberto no arquêntero, denominado blastóporo, fica responsável por dar origem a uma das extremidades do tubo digestivo: a boca (protostômios) ou o ânus (deuterostômios).

É nessa fase também que encontramos as três camadas celulares diferentes (ou folhetos germinativos), onde cada uma é responsável por funções distintas no desenvolvimento do embrião:

  • A ectoderme: camada externa, responsável por formar o arquêntero;
  • A mesentoderme: origina a endoderme (superfície exterior da gástrula e que produz a pele e o sistema nervoso central do ser) e a mesoderme (formada pelas células do mesênquima, que dará origem aos outros órgãos internos)

desenvolvimento

Exemplificação dos folhetos germinativos

A fase de Neurulação (nêurula)

Nessa fase inicia-se a morfogênese, ou seja, o embrião começa a tomar a forma do bebê. Aqui os tecidos celulares da ectoderme, mesoderme e endoderme se fixam e originam a histogênese e organogênese, processos onde os tecidos celulares começam a formar órgãos, ossos e outras partes do corpo.

Na fase da Neurulação encontram-se:

  • tubo neural: responsável por dar origem ao sistema nervoso do individuo;
  • celoma: estrutura que origina a cavidade torácica e abdominal;
  • notocorda: eixo de sustentação encontrado no embrião, apenas em animais cordados (peixes, anfíbios, repteis, aves e mamíferos). A notocorda serve de molde para a coluna vertebral, calcificando-se e sendo e substituída pela coluna vertebral após alguns meses de gestação;
  • arquêntero: origina o tubo digestivo.

Formação dos Anexos Embrionários

Durante a formação dos folhetos germinativos (ectoderme, endoderme e mesoderme) e no processo de Nidação, que surgem os anexos embrionários: estruturas que nascem a partir das camadas celulares externas e que cumprem papéis importantes na gestação, como:

  • âmnio: líquido presente dentro da bolsa amniótica, que protege o embrião de impactos e não permite a desidratação do feto;
  • saco vitelínico: estrutura que serve para nutrir o embrião e auxilia na circulação sanguínea no início da gestação;
  • cório: diretamente ligado ao tecido uterino, é o responsável por formar a placenta.

Problemas na fase de Neurulação: doenças neurais

A fase de neurulação é de extrema importância, principalmente na formação do sistema nervoso do ser. Por isso, quando alguns dos processos, como a invaginação, não se completam nessa fase, pode causar à má formação dos órgãos.

Algumas doenças como a anencefalia, encefalocele ou mielomeningocele, são exemplos do resultado dos erros nos processos no tubo neural.

A anencefalia, por exemplo, é causada pelo não fechamento do tubo neural. Quando isso acontece, o feto não desenvolve completamente os órgãos do encéfalo e a caixa craniana, que consequentemente ficam expostos ao líquido amniótico, agravando ainda mais os problemas do sistema nervoso do embrião.

Células-tronco

No primeiro estágio relevante da embriologia (a mórula), as células (blastômeros) estão se multiplicando, mas ainda não possuem definição do que vão criar dentro da gestação.

Por não terem uma especificidade do seu papel dentro do desenvolvimento embrionário, elas são chamadas de células-tronco.

Essas células-tronco embrionárias são periodicamente utilizadas em pesquisas, sendo analisadas para testes e possíveis curas de inúmeras doenças, como o câncer.

Saiba mais sobre:

Data de atualização: 21/03/2019.

Lana Magalhães
Revisão por Lana Magalhães
Licenciada em Ciências Biológicas (2010) e Mestre em Biotecnologia e Recursos Naturais pela Universidade do Estado do Amazonas/UEA (2015). Doutoranda em Biodiversidade e Biotecnologia pela UEA.