Dopamina

O que é dopamina?

A dopamina é um neurotransmissor que atua no sistema nervoso central e está relacionada a atividades motoras, emoções, mecanismo de recompensa e funções cognitivas e endócrinas.

Os neurotransmissores são mensageiros químicos produzidos nos neurônios e são responsáveis por levar os estímulos de uma célula (neurônio) a outra por meio das sinapses.

A dopamina é um composto orgânico que tem a seguinte fórmula molecular: C8H11NO2.

DopaminaEstrutura molecular da dopamina.

A dopamina tem importante atuação nas atividades cerebrais e a alteração de seus níveis pode estar associada à doenças como Parkinson e a esquizofrenia.

Assim como a serotonina, a endorfina e a ocitocina, a dopamina é considerada um "hormônio da felicidade".

A função da dopamina no organismo

A dopamina é um neurotransmissor que atua em processos neuronais como humor, atividade motora, cognição, aprendizagem e memória.

Um dos principais mecanismos de atuação da dopamina é no sistema de recompensa, responsável pela sensação de prazer quando uma ação benéfica para o organismo é realizada. Isso acontece quando estamos com sede e tomamos um copo de água, por exemplo.

O prazer que sentimos quando fazemos algo que é benéfico para o corpo é resultado da liberação de dopamina nas sinapses. Essa sensação nos dá motivação para repetir tal comportamento e é uma forma de garantir a manutenção da vida.

Quando a quantidade de dopamina está desequilibrada no organismo, o indivíduo pode apresentar dificuldades no aprendizado, instabilidade de humor, insônia, perda de memória e outras doenças mais graves.

Como a dopamina atua nas atividades cerebrais?

A dopamina está localizada nos neurônios dopaminérgicos e atua como um mensageiro químico, transmitindo sinais do cérebro para as outras partes do corpo.

A dopamina é produzida dentro desses neurônios dopaminérgicos a partir de um aminoácido chamado tirosina. A dopamina é transportada para outros neurônios dentro de vesículas sinápticas, que são bolsas que carregam os neurotransmissores.

Quando dois neurônios estabelecem contato por meio de um impulso nervoso, acontece uma sinapse. Na sinapse, a dopamina é liberada pelo neurônio pré-sináptico (envia o impulso) e é capturada pelo neurônio pós-sináptico (recebe o impulso).

Ao se comunicar com outros neurônios, a dopamina é liberada por um processo de exocitose, isto é, as vesículas se conectam à membrana da célula e liberam o neurotransmissor.

Dopamina
Representação da liberação de dopamina em uma sinapse.

Os hormônios da felicidade

Além da dopamina, existem outras três substâncias que compõem o grupo dos hormônios da felicidade: a ocitocina, a endorfina e a serotonina. Todos esses hormônios atuam no organismo contribuindo para o bom humor e para o bem-estar.

Serotonina

A serotonina também é um neurotransmissor, ela atua no cérebro e regula o humor, o apetite, os batimentos cardíacos e proporciona uma sensação de bem-estar. Níveis de serotonina abaixo do normal podem causar insônia, depressão e ansiedade.

Endorfina

A endorfina é um hormônio produzido pelo sistema nervoso e que atua como um analgésico natural para situações de estresse e dor. Esse hormônio contribui para a felicidade, para a disposição e evita o estresse. A prática de exercícios físicos é uma das atividades mais importantes para a liberação desse hormônio.

Ocitocina

A ocitocina é uma hormônio que ajuda no desenvolvimento da confiança, da empatia e do humor. É chamado de "hormônio do amor", pois está associado aos vínculos emocionais e maternos. A ocitocina é o hormônio que provoca as contrações do parto e também auxilia na amamentação.

Níveis de dopamina e doenças

Quando os níveis dopaminérgicos estão desequilibrados, o organismo pode desenvolver algumas doenças, como por exemplo:

  • Deficiência de dopamina: pode desencadear casos de Transtorno do Déficit de Atenção (TDA) e Doença de Parkinson;
  • Excesso de dopamina: pode causar esquizofrenia.

Somente um médico pode diagnosticar casos de desequilíbrio da dopamina no cérebro, no entanto, recomendações triviais de saúde como praticar atividades físicas e manter uma alimentação balanceada são importantes para a produção adequada desse hormônio.

Data de atualização: 01/04/2020.