Significado de Endometriose

Dra. Juliana Guimarães
Revisão por Dra. Juliana GuimarãesDoutora em Saúde Pública

O que é Endometriose:

Endometriose é uma doença benigna caracterizada pelo crescimento anormal de células do endométrio fora do útero.

O endométrio é o tecido que reveste a parte interna do útero e que durante a menstruação descama e é eliminado pela vagina.

Portanto, endometriose pode ser definida como a presença de tecido endometrial fora da cavidade uterina.

Os órgãos da cavidade pélvica são os mais acometidos pela endometriose. Entre eles estão os ovários, as trompas, a parede e os ligamentos do útero, a bexiga, o intestino grosso e o revestimento interno do abdômen (peritônio).

O crescimento de tecido epitelial fora da cavidade uterina é influenciado pelo ciclo hormonal. Contudo, ao contrário do que acontece na menstruação, esse sangue não tem por onde sair, resultando na degradação do próprio sangue e do tecido endometrial dentro do organismo.

Os sintomas da endometriose

O principal sintoma da endometriose é a dor pélvica, frequentemente associada a períodos menstruais. Embora muitas mulheres sintam dores causadas por cólicas durante os períodos menstruais, muitas descrevem a dor da endometriose como muito pior do que o habitual.

Os sintomas da endometriose incluem:

  • Cólicas menstruais severas;
  • Dor lombar e pélvica a longo prazo;
  • Períodos menstruais com duração superior a 7 dias;
  • Sangramento menstrual intenso;
  • Problemas intestinais e urinários, incluindo dor, diarreia e inchaço;
  • F​​​​​​ezes ou urina com sangue;
  • Náusea e vômito;
  • Fadiga;
  • Dor durante a relação sexual;
  • Sangramento entre períodos;
  • Dor durante a relação sexual com penetração;
  • Infertilidade.

As causas da endometriose

A causa exata da endometriose não é totalmente conhecida e compreendida. Possíveis explicações incluem:

  • Problemas com o fluxo menstrual: o sangue menstrual entra nas tubas uterinas e na pelve em vez de deixar o corpo da maneira usual;
  • Crescimento de células embrionárias: às vezes, as células embrionárias que revestem o abdome e a pelve se desenvolvem em tecido endometrial dentro dessas cavidades;
  • Desenvolvimento fetal: os dados mostram que a endometriose pode estar presente em um feto em desenvolvimento, mas acredita-se que os níveis de estrogênio puberal desencadeiem os sintomas;
  • Transporte de células endometriais: o sistema linfático transporta células endometriais para várias partes do corpo;
  • Genética: uma mulher com um parente próximo que tem endometriose é mais propensa a desenvolver a doença;
  • Hormônios: a endometriose pode ser estimulada pelo hormônio estrogênio;
  • Sistema imunológico: problemas com o sistema imunológico podem impedir a destruição do tecido endometrial extrauterino;

O tratamento da endometriose é feito através de dieta, analgésicos, cirurgia (laparoscopia), anticoncepcionais e administração de hormônio GnRH.

Os tipos de endometriose

A endometriose também é classificada por qual área da pelve ou do abdômen ela afeta. Existem quatro tipos principais:

  • Endometriose peritoneal superficial: O peritônio é uma membrana fina que reveste o abdômen, a pelve e também cobre a maioria dos órgãos nessas cavidades. Nesse tipo, o tecido endometrial se liga ao peritônio. Esta é a forma menos grave;
  • Endometriomas: Estes são cistos escuros e cheios de líquido que variam em tamanho e podem aparecer em diferentes partes da pélvis ou do abdômen, mas são mais comuns nos ovários;
  • Endometriose profunda infiltrativa: Neste tipo, o tecido endometrial invade os órgãos dentro ou fora de sua cavidade pélvica. Isso pode incluir os ovários, reto, bexiga e intestinos. É raro, mas às vezes uma parte de tecidos de cicatrização pode unir órgãos para que eles fiquem presos no lugar. Esta condição é chamada pelve congelada;
  • Endometriose da parede abdominal: Em alguns casos, o tecido endometrial pode crescer na parede abdominal. As células podem se unir a uma incisão cirúrgica, como uma de uma cesariana

Como diagnosticar a endometriose?

Os sintomas da endometriose devem ser associados a alguns exames para confirmação do diagnóstico.

  • Exame ginecológico com toque vaginal e retal: neste exame a região pélvica é examinada com o objetivo de identificar massas ou nódulos nos órgãos reprodutores, intestinais ou nas vias urinárias;
  • Ultrassom: as imagens são analisadas para verificar a presença de cistos nos órgãos da região pélvica. Este exame não permite ao especialista diagnosticar a endometriose diretamente, mas auxilia a identificar os endometriomas, que são cistos relacionados à endometriose. O preparo do intestino antes da realização do ultrassom pode ajudar a identificar focos profundos da doença;
  • Ressonância magnética: este exame é realizado para verificar a presença de cistos endometrióticos e a endometriose profunda. Além disso, possibilita mapear lesões da pelve a abdômen;
  • Laparoscopia: os avanços tecnológicos dos exames de imagem fizeram com que a laparoscopia fosse cada vez menos utilizada como método diagnóstico. Este procedimento é efetuado como uma opção de tratamento. É feito em centro cirúrgico por meio de uma pequena abertura na região do abdômen e, com a ajuda de um laparoscópico (instrumento de visualização), a cavidade pélvica e abdominal é avaliada em busca de pontos de endométrio fora da cavidade uterina ou endometriomas. Se lesões forem encontradas, elas são removidas e enviadas ao laboratório para análise. O resultado do exame indicará se a paciente tem ou não endometriose.

Para diagnóstico e tratamento mais seguros para a endometriose, busque um ginecologista ou clínico geral.

Endometriose umbilical

A endometriose umbilical primária é uma doença rara e é definida como a presença de tecido endometrial ectópico dentro do umbigo.

A possibilidade de endometriose subcutânea deve ser considerada quando uma massa umbilical é detectada, apesar da ausência de cirurgia prévia.

Neste caso, uma biópsia e análise completa são necessárias para obter um diagnóstico definitivo e tratamento ideal para a endometriose subcutânea umbilical.

Veja também o significado de Cisto.

Data de atualização: 07/05/2019.

Dra. Juliana Guimarães
Revisão por Dra. Juliana Guimarães
Doutora em Saúde Pública pela Escola Nacional de Saúde Pública e pós-Doutorada em Saúde Coletiva pela Universidade de Fortaleza. Graduação em Enfermagem pela Universidade Federal do Ceará. COREN 109692