Pangeia

O que é a pangeia?

Pangeia era a enorme massa continental que existiu durante a era Paleozoica, há cerca de 200 milhões de anos. O supercontinente estava cercado por um único oceano, o Pantalassa.

O nome Pangeia deriva do grego “pan”, que significa todo e “geia” que significa terra.

Esse continente único foi dividido em duas massas continentais, há cerca de 130 milhões de anos. Esses dois continentes ficaram conhecidos como Laurásia e Gondwana e foram cortados pelo novo oceano, chamado Tethys.

A Laurásia correspondia às partes continentais que hoje fazem parte do hemisfério norte e a Gondwana aos territórios que hoje estão no hemisfério sul.

Há aproximadamente 65 milhões de anos, esses dois blocos continentais começaram a se dividir e foram se separando, até formar a configuração atual dos continentes.

Pangeia mapaA pangeia era a união de todos os continentes existentes hoje.

Teoria da Deriva Continental

A hipótese de que todos os continentes estavam unidos em um supercontinente no passado foi proposta pela primeira vez no século XVI, pelo cartógrafo Abraham Ortelius, conhecido como o criador do Atlas moderno.

A proposição de Ortelius estava baseada na similaridade geográfica entre o continente africano e a América do Sul, que pareciam formar um encaixe perfeito. O pesquisador, no entanto, não tinha outras evidências que provassem sua hipótese.

Dando sequência a essa ideia, em 1912, o alemão Alfred Wegner publicou a Teoria da Deriva Continental, que defendia a existência de um continente único no passado.

Wegner deu origem aos seus estudos na constatação da similaridade geográfica dos continentes, mas utilizou outra evidências para provar sua teoria.

O pesquisador encontrou fósseis de animais da mesma espécie na África e na América do Sul. Esses animais não eram capazes de atravessar o oceano, o que sugeria que, em algum momento, os dois continentes estavam juntos.

Outra evidência encontrada por Wegner foram formações rochosas semelhantes em ambos os continentes.

O que Wegner não foi capaz de explicar era como os continentes se movimentavam. Sua teoria causou muitas polêmicas e foi até mesmo, ridicularizada nos meios científicos.

Teoria das Placas Tectônicas

A Teoria da Deriva Continental só foi explicada e aceita pela comunidade científica na década de 1960, quando descobriu-se a existência das placas tectônicas.

As placas tectônicas são grandes blocos rochosos rígidos que estão sob os continentes e oceanos. Essa camada está dividida em diversas placas que se encaixam umas nas outras.

Essas placas estão assentadas sobre o manto terrestre e estão em constante movimento. O movimento dessas placas é responsável pelo tectonismo, pela formação das montanhas, pelos terremotos e também pela disposição dos continentes no planeta.

A partir dessa descoberta, a lacuna deixada por Wegner foi solucionada: não eram os continentes que se moviam, mas as placas tectônicas sobre as quais estavam os continentes e oceanos.

Alfred Wegner faleceu em 1930, 30 anos antes de sua teoria ser confirmada.

PangeiaMovimento dos continentes ao longo de milhões de anos. Saiba mais sobre as placas tectônicas.

Data de atualização: 14/02/2020.