Significado de Ricina

Dra. Juliana Guimarães
Revisão por Dra. Juliana GuimarãesEnfermeira Doutorada em Saúde Pública

O que é Ricina:

A ricina é uma toxina potente, presente na semente da mamona (nome científico: ricinus communis) e faz parte de um resíduo chamado "mosto branco", que sobra do processamento da mamona em óleo de mamona.

Essa toxina ganhou atenção nos últimos anos pelo fato de poder ser usada como agente de guerra biológica ou como arma de destruição em massa.

sementeSemente da mamona.

Apenas uma pequena quantidade desse veneno pode ser letal. A exposição surge quando a toxina é inalada, ingerida ou injetada.

A ricina pode ser considerada como uma substância que provoca envenenamento, entretanto não se caracteriza como doença e não é transmitida por contágio.

A intoxicação por ricina possui características parecidas com as da gripe. Os sintomas do envenenamento dependem da quantidade da toxina e do método de exposição, mas podem incluir febre, vômito, náusea, tosse intensa, dor abdominal, diarreia e desidratação.

Como a ricina age no corpo?

Em contato com o organismo humano, a ricina entra nas células impedindo a síntese de proteínas e causando a morte celular. Isso é prejudicial para todo o corpo, e a morte passa ser um risco iminente.

Os efeitos do envenenamento por ricina dependem da inalação, ingestão ou injeção de ricina.

Quais são os sintomas causados pela ricina?

Os principais sintomas do envenenamento por ricina dependem da via de exposição e da dose recebida, embora muitos órgãos possam ser afetados em casos graves.

Os sintomas iniciais do envenenamento por ricina por inalação podem ocorrer tão cedo quanto 4 a 8 horas e até 24 horas após a exposição. Após a ingestão de ricina, os sintomas iniciais geralmente ocorrem em menos de 10 horas.

Sintomas por inalação

Poucas horas após a inalação de quantidades significativas de ricina, os sintomas prováveis ​​seriam desconforto respiratório (dificuldade em respirar), febre, tosse, náusea e aperto no peito.

Pode ocorrer sudorese intensa, bem como acúmulo de líquido nos pulmões (edema pulmonar). Isso tornaria a respiração ainda mais difícil, e a pele ganharia uma tonalidade azulada (cianose) devido à falta de oxigenação.

O excesso de líquido nos pulmões seria diagnosticado por raio-x ou ouvindo o peito com um estetoscópio.

Finalmente, pressão arterial baixa e insuficiência respiratória podem ocorrer, levando a pessoa à morte.

Nos casos de exposição conhecida à ricina, as pessoas com sintomas respiratórios devem procurar atendimento médico.

Sintomas por ingestão

Se alguém ingerir uma quantidade significativa de ricina, provavelmente desenvolverá vômitos e diarreia que podem se tornar sanguinolentos. Dentro de alguns dias, o fígado, o baço e os rins podem parar de funcionar e levar a pessoa à morte.

Desidratação grave pode ser o resultado, seguido por pressão arterial baixa. Outros sinais ou sintomas podem incluir convulsões e sangue na urina.

Sintomas por exposição cutânea e ocular

É improvável que a ricina seja absorvida pela pele normal. O contato com produtos que contém a ricina pode causar vermelhidão e dor na pele e nos olhos.

No entanto, se você tocar na ricina que está na pele e depois comer com as mãos ou colocar as mãos na boca, poderá ingerir um pouco.

A morte por envenenamento por ricina pode ocorrer dentro de 36 a 72 horas após a exposição, dependendo da via de exposição (inalação, ingestão ou injeção) e da dose recebida.

Ainda não há antídoto para a intoxicação por ricina.

Data de atualização: 17/10/2019.

Dra. Juliana Guimarães
Revisão por Dra. Juliana Guimarães
Doutora em Saúde Pública pela Escola Nacional de Saúde Pública e pós-Doutorada em Saúde Coletiva pela Universidade de Fortaleza. Graduação em Enfermagem pela Universidade Federal do Ceará. COREN 109692