Significado do Discurso I Have a Dream de Martin Luther King

O que foi o Discurso I Have a Dream de Martin Luther King:

O discurso “I Have a Dream” ou em português “Eu Tenho um Sonho”, é um discurso emblemático da autoria de Martin Luther King, que foi essencial no movimento dos direitos civis dos Estados Unidos da América.

Considerado por muitos um dos melhores discursos de todos os tempos, foi feito nos degraus do Lincoln Memorial, em Washington DC (nos Estados Unidos) no dia 28 de Agosto de 1963.

Com a sua excelente oratória, o Dr. Martin Luther King teve como objetivo encorajar a nova geração a eliminar o racismo, criando uma sociedade melhor para o futuro. Além disso, também foram mencionados passos que deveriam ser seguidos para alcançar a igualdade racial.

Discurso I Have a Dream Legendado

Resumo

Neste discurso, o Dr. King mencionou um documento importante para a história dos Estados Unidos: a Proclamação de Emancipação, que declarou a libertação dos escravos. O discursante referiu que apesar desta proclamação ter sido assinada pelo Presidente Abraham Lincoln 100 anos antes, a sociedade atual ainda tinha atitudes discriminatórias em relação a indivíduos afrodescendentes.

De igual forma, a Declaração de Independência também é incluída no discurso, com a indicação que nela estão algumas promessas que ainda não foram cumpridas, pois indica que todos as pessoas são criadas iguais e por isso devem ter as mesmas oportunidades.

Análise do discurso

Trecho 1
Estas palavras foram confirmadas, porque o dia em que ocorreu este discurso, 28 de Agosto de 1963, entrou para a história. Isso aconteceu não apenas porque o discurso foi considerado como o melhor discurso do século XX, mas também porque esta manifestação a favor dos direitos humanos foi uma das maiores da história dos Estados Unidos.

Trecho 2
Martin Luther King se refere ao famoso ex-presidente Abraham Lincoln, que neste local tem uma estátua com mais de 9 metros. Assim, a sombra a que se refere é simbólica mas também literal.

A Proclamação de Emancipação foi assinada por Abraham Lincoln no dia 1 de Janeiro de 1863, e proclamava a libertação dos escravos, apesar de isso não ter acontecido imediatamente. O discursante explica que depois de 100 anos, os indivíduos negros ainda não tinham recebido o benefício que esse documento deveria ter dado. É mencionado que a sociedade americana era bastante discriminatória e indivíduos negros não eram tratados com igualdade.

Trecho 3
A manifestação é descrita como o ato metafórico de descontar um cheque, ou seja, cobrar à sociedade aquilo que a Constituição e a Declaração da Independência prometem. Os arquitetos da república neste caso são:  John Adams, Benjamin Franklin, Alexander Hamilton, John Jay, Thomas Jefferson, James Madison e George Washington.

Martin Luther King introduz no seu discurso documentos importantes que constituem a fundação dos Estados Unidos como nação.

Trecho 4
Assim como Gandhi, Martin Luther King propunha uma atitude de desobediência civil, ou seja, sem recurso à violência. Ele achou importante acrescentar esta parte para se diferenciar de outros grupos de resistência que adotaram uma postura mais agressiva. Malcolm X e a Nação do Islã acreditavam que todos os meios eram lícitos para combater a discriminação e as agressões vividas naquela época.

Trecho 5
Em várias marchas e campanhas organizadas, ocorreram manifestações de brutalidade policial. Além disso, a sociedade estava altamente segregada e os cidadãos negros eram considerados por muitos como de uma classe inferior.

Muitos locais eram exclusivos para as pessoas brancas, e existiam sinais que comprovavam isso. Indivíduos negros tinham poucas possibilidades de melhorar o seu nível de vida, de morar em lugares melhores, porque não tinham as mesmas oportunidades.

Em alguns lugares os negros não tinham direito de votar e nos lugarem em que tinham esse direito, a discriminação era tanta que os indivíduos sentiam que o seu voto não tinha qualquer impacto. Alguns estados impediam afrodescendentes de entrar no cinema, comer no balcão de um restaurante, usar um bebedouro, ou até se acomodar em um hotel ou motel.

Trecho 6
Martin Luther King tinha noção que muitas pessoas se encontravam naquela manifestação completamente sem esperança e prontas para desistir, porque já tinham passado por situações difíceis. Mas ele as encorajou, dizendo que o sofrimento delas seria acompanhado de redenção e que poderiam voltar para os seus lares com confiança que esta situação desfavorável seria alterada. E este discurso ajudou a mudar esta situação.

Trecho 7
Esta frase é da autoria de Thomas Jefferson e se encontra na Declaração de Independência. Ao fazer esta citação, Martin Luther King pretende chamar a atenção para o fato de que a sociedade americana não estava a viver de acordo com essa afirmação e que muitas pessoas sofriam por causa da desigualdade e discriminação.

Trecho 8
Martin Luther King nasceu no Estado da Geórgia, que é bastante conhecido pelo solo vermelho (com argila), e onde existiam várias pessoas que possuiam escravos.

Trecho 9
Além de ser um estado muito quente no âmbito de temperatura, Martin Luther King faz uma associação com o calor da injustiça, porque naquela altura o Mississipi era um dos estados mais racistas.

Trecho 10
Esta afirmação é provavelmente a mais famosa de todo o discurso. Martin Luther King teve quatro filhos: Yolanda, Dexter, Martin e Bernice. O sonho que é revelado neste discurso tinha em vista uma mudança na sociedade para o benefício das gerações futuras, onde estão incluídos os filhos do Martin Luther King.

Trecho 11
O Governador do estado do Alabama na altura era George Wallace, um reconhecido encorajador da segregação entre raças e feroz opositor do movimento dos direitos civis.

Trecho 12
Martin Luther King era cristão, tendo sido pastor de uma Igreja Batista. Assim, este parte do seu discurso é baseada na passagem bíblica que se encontra em Isaías 40:4-5.

Trecho 13
A fé, um tema muito importante na vida cristã é mencionado também neste discurso. Martin Luther King tinha convicção que mesmo no meio desta situação difícil, era possível ter esperança num futuro melhor, e que a fé poderia unir as pessoas e ajudá-las a conquistar a liberdade.

Trecho 14
Neste momento, o discursante menciona uma conhecida canção patriótica intitulada “My Country ‘Tis of Thee” e que fala sobre ideais americanos como a liberdade. Martin Luther King quer dizer que os valores mencionados nessa canção ainda não era vividos na plenitude naquela sociedade.

Trecho 15
Martin Luther King continua usando a noção de “ressoar da liberdade” que faz parte da canção patriótica mencionada anteriormente. Neste momento, são mencionados vários elementos naturais dos Estados Unidos, expressando a importância de ver a liberdade a ser vivida em todo o país.

Trecho 16
O discurso termina com uma referência a uma canção tradicional negra que expressa a importância da liberdade para as pessoas de todas as classes, raças e religiões.

Contexto Histórico e Social

O discurso “I have a dream” foi feito durante uma manifestação em Washington DC, que reuniu mais de 250 mil pessoas.

Naquela época, os Estados Unidos viviam um forte clima de discriminação racial, que era mais forte em alguns estados do Sul. Martin Luther King ficou conhecido por lutar contra a desigualdade na sociedade, usando meios de resistência passiva e sem violência, ao contrário de alguns outros personagens, como Malcom X.

Um ano depois deste discurso, em 1964, Martin Luther King ganhou o Prêmio Nobel da Paz, sendo na altura a pessoa mais jovem a receber este galardão, com 35 anos de idade. Em 1968, o Dr. Martin Luther King foi assassinado enquanto estava na varanda do hotel onde estava hospedado.

Mesmo depois da sua morte, a sua influência se manteve e é visto como um dos maiores porta-vozes dos direitos civis de todos os tempos, e o discurso “I Have a Dream” é um dos mais conhecidos e citados no âmbito da luta contra o racismo e discriminação.

O significado do Discurso I Have a Dream de Martin Luther King está na categoria: Geral