Significado das Lendas folclóricas

O que são Lendas folclóricas:

As lendas folclóricas são um conjunto de estórias e contos de folclore que foram passadas de geração em geração por meio da oralidade. As lendas estão presentes no imaginário coletivo há séculos e retratam a história e cultura dos povos.

Dada a grande miscigenação de povos e culturas no Brasil, o folclore brasileiro é um dos mais ricos do mundo. As lendas brasileiras têm origem indígena, africana e europeia e, em alguns casos, se originam da interação entre essas diferentes culturas.

Lendas folclóricas brasileiras

Veja a seguir algumas das mais conhecidas lendas folclóricas brasileiras:

Saci Pererê

Saci perere

Essa lenda é uma das mais famosas do Brasil e data do século XVIII. O saci pererê é um menino negro de uma perna só, que fuma cachimbo e usa uma carapuça vermelha que lhe dá poderes mágicos. Segundo a lenda, quem conseguir tirar sua carapuça tem o direito de realizar um desejo.

O saci é um menino travesso e brincalhão e em alguns lugares é considerado maldoso. Ele gosta de fazer brincadeiras e travessuras e adora aprontar na cozinha. O saci faz o leite derramar, coloca sal nos alimentos e também queima as comidas no fogão.

Reza a lenda que é possível capturar o saci pererê jogando uma peneira dentro do seu redemoinho. E para aqueles que estiverem sendo perseguidos por ele, a dica é jogar uma corda com nós para o saci, pois ele irá parar para desatá-los - é o momento ideal para fugir.

Acredita-se que o saci tenha nascido de um broto de bambu e que quando ele morrer, se tornará um cogumelo venenoso.

Conheça mais sobre folclore e folclore brasileiro.

Curupira

Curupira

Também chamado de caipora, o curupira é um anão de cabelo vermelho e pés para trás. A origem dessa lenda é tupi-guarani e existem relatos de seu avistamento desde o período colonial.

Curupira é um protetor da flora e da fauna brasileiras, ele castiga todos aqueles que fazem algum mal à natureza. Seus pés são invertidos justamente para confundir aqueles que desejam o seguir.

O curupira costuma aparecer montado em um porco do mato e caso você se encontre com ele, é importante ter um fumo de corda para lhe oferecer.

Saiba mais sobre o curupira.

Mula Sem Cabeça

Mula sem cabeça

A mula sem cabeça é um monstro que tem corpo de mula e no lugar da sua cabeça está uma chama de fogo. Segundo a lenda, a mula é uma mulher que se envolveu com um padre e como castigo recebeu essa maldição.

Acredita-se que todas as noites de quinta para sexta ela vai até uma encruzilhada e então se transforma na besta, que percorre povoados, assustando animais e pessoas.

Ao encontrar uma mula sem cabeça, é importante deitar-se no chão virado para baixo e esconder as mãos, pois se a mula encontra uma pessoa, ela chupa seus olhos, unhas e dedos.

Dizem que é comum escutar a mula sem cabeça chorando e que seu choro se parece com o de uma mulher.

Saiba mais sobre a mula sem cabeça.

Iara

Segundo essa lenda, Iara era uma índia muito linda, que despertava a inveja de muitos, até mesmo de seus irmãos. Por conta da inveja, seus irmãos decidem levar Iara para a floresta para matá-la.

Iara consegue se salvar, mas acaba matando seus irmãos e como castigo é jogada no encontro das água do Rio Negro e Rio Solimões. A partir de então, Iara torna-se uma sereia - seu nome, em tupi, significa "senhora das águas".

Iara é uma sereia linda, que atrai os pescadores para matá-los. Eles ficam hipnotizados com seu canto e seu olhar e muitos acabam morrendo afogados no rio quando vão em direção à ela.

Veja o significado de lenda.

Boitatá

Boitatá é uma lenda de origem tupi-guarani e significa "cobra de fogo". O boitatá é uma enorme serpente que vive no fundo do rio e que protege as matas e os animais. Foram encontrados relatos dessa lenda em 1560, escritos por José Anchieta.

Essa serpente, apesar de viver em baixo da água, é coberta por fogo. Acredita-se que a origem dessa lenda se deva ao fenômeno do fogo-fátuo, que permite a liberação de faíscas na superfície de pântanos e lagos, decorrente do gás metano liberado na decomposição de animais mortos e vegetais.

Acredita-se que aquele que olhar diretamente para o boitatá, poderá ficar cego.

Boto

A lenda folclórica do boto é originária da região amazônica. Segundo essa lenda, nas noites de festa junina, o boto sai de dentro da água e se transforma em um homem muito charmoso. Chegando a festa, ele escolhe uma moça para conquistar e levá-la ao fundo do rio para acasalar.

Os dois acasalam e o boto engravida a menina conquistada. Por conta dessa lenda, é comum que os filhos com paternidade desconhecida nessa região sejam chamados de "filho do boto".

Negrinho do pastoreio

O negrinho do pastoreio é uma lenda afro-cristã do sul do Brasil e era contada por aqueles que defendam o fim da escravidão. Esse menino era um negro escravo que após perder acidentalmente um cavalo, é maltratado pelo seu senhor.

Depois de chicotear o menino, o senhor o amarrou em um formigueiro. No dia seguinte, para a surpresa do senhor, o menino estava em pé, ileso e ao seu lado estava a virgem maria e o cavalo perdido. O menino beija a mão da santa, sobe no cavalo e vai embora.

Lobisomem

Lobisomem é uma lenda de origem europeia. Esse personagem é um monstro que tem metade do seu corpo da forma de lobo e a outra metade na forma de homem. Ele alimenta-se de sangue e costuma aparecer nas noites de lua cheia.

Saiba mais sobre o lobisomem.

Cuca

A cuca é uma velha malvada que tem cara de jacaré. Essa estória tem origem portuguesa e se assemelha ao conto do bicho papão. Segundo essa lenda, a cuca pega as crianças desobedientes e que não querem dormir. É por conta dessa lenda que cantamos para as crianças "nana neném, que a cuca vem pegar...".

Conheça mais personagens do folclore brasileiro.

Data de atualização: 20/09/2019.