Significado de Linguagem

O que é Linguagem:

Linguagem é o sistema através do qual o homem comunica suas ideias e sentimentos, seja através da fala, da escrita ou de outros signos convencionais.

Dependendo do contexto social em que a linguagem é produzida, o falante pode usar a:

  • linguagem formal: produzida em situações que exigem o uso da linguagem padrão (conhecida também como norma culta). Muito utilizada em reuniões e apresentações de trabalho, por exemplo.
  • linguagem informal: usada quando existe intimidade entre os falantes, recorrendo a expressões coloquiais.

Tipos de linguagem

Há três tipos diferentes de linguagem:

Linguagem verbal

É aquela formada por palavras, seja na escrita ou na fala. Na linguagem do cotidiano, por exemplo, o homem faz muito uso da linguagem verbal comunicar.

Os exemplos de linguagem verbal seriam: o diálogo entre duas pessoas, um livro, uma carta, uma palestra, entre outros.

Linguagem não-verbal

É o tipo de linguagem que não contém palavras, mas possui recursos visuais. Os exemplos de linguagem não-verbal seriam: imagens, placas, linguagem corporal, desenhos, gestos

É importante salientar que a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais), por mais que tenha sua base em gestos, não é considerada uma linguagem e sim uma língua, conforme previsto no Art 1° da lei 10.436 de 24 de abril de 2012.

Linguagem mista ou híbrida

Linguagem mista é o uso da linguagem verbal e não-verbal simultaneamente. Por exemplo, uma história em quadrinhos integra, ao mesmo tempo, imagens, símbolos e diálogos.

Qual a diferença entre linguagem e língua?

A língua é o código que utiliza a palavra como elemento principal, ou seja, a língua é um tipo de linguagem que podemos classificar como verbal.

Já a linguagem, como dito anteriormente, é qualquer forma que utilizamos para representar o nosso pensamento ou sentimento. Diferente da língua, a linguagem pode ter vários tipos, como os classificados acima.

Quais são as funções da linguagem?

A forma como cada indivíduo se expressa, de acordo com o texto que ele passar e para quem está enviando, pode definir diferentes funções dentro da linguagem.

Ou seja, na hora de informar ou dizer algo, a maneira e a intenção que essa mensagem chegará no receptor, determina a função utilizada pelo emissor. Antes de apresentar as funções da linguem, é importante que você saiba que:

  • emissor: é quem envia a mensagem;
  • receptor: é quem recebe a mensagem;
  • mensagem: é o conteúdo da informação;
  • canal de comunicação: é o meio pelo qual a mensagem é transmitida;
  • código: é a língua em si. Como a língua portuguesa, por exemplo;
  • contexto: objetivo ou situação em que a mensagem se refere.

Esses elementos são importantes para a compreensão das seguintes funções da linguagem:

Função referencial

A função referencial tem o propósito de trazer a informação de modo direto e objetivo. Esse tipo de função é encontrada especialmente em textos científicos e jornalísticos, que procuram enviar ao receptor uma mensagem direta.

As principais características dessa função são a objetividade, a ênfase na informação e o foco em levar conhecimento e esclarecimento sobre algo para o receptor.

Geralmente utiliza-se da linguagem denotativa e possui uma visão unilateral.

Função emotiva

Na função emotiva o foco é na pessoa que produz a mensagem, ou seja, no emissor. A ideia é que a pessoa que está enviando o conteúdo coloque suas marcas próprias nele.

Exemplos da função emotiva, podem ser os blog, vlogs, diários, entre outros. O objetivo é que a atenção esteja no emissor, em seus sentimentos, pensamentos e opiniões sobre determinado assunto.

As principais características dessa função são a subjetividade, a fala em primeira pessoa, a visão e mensagem intimistas e as opiniões ou relatos pessoais.

Função conativa ou apelativa

Essa função tem o foco em quem recebe a mensagem, ou seja, o receptor. A maior intenção aqui é tentar convencer quem recebe o conteúdo, sobre algo.

Nas mensagens em que predomina essa função, busca-se envolver o leitor com o conteúdo transmitido, levando-o a adotar este ou aquele comportamento.

Um dos maiores exemplos de função conativa é a propaganda publicitária que tem por objetivo induzir o leitor a comprar algo.

As principais características dessa função são verbos no imperativo como: compre, adquira, tenha, entre outros, as orações optativas que expressam desejo, e a referência direta ao leitor.

Função metalinguística

É a função que dá ênfase no código. É quando a linguagem fala de si mesma, transformando-se no próprio referente.

Um dos maiores exemplos de metalinguagem é a forma de escrever de Machado de Assis que, dentro de suas obras referenciava outras obras literárias dele mesmo.

Um outro exemplo no mundo das artes é a obra Autorretrato de Van Gogh, que pintou ele mesmo pintando um outro quadro. Nesses dois exemplos, o código fala do próprio código.

Função fática

A função fática tem seu foco no canal. Essa palavra significa "ruído ou rumor", ou seja, são sons que aparecem durante uma comunicação, com o objetivo de chamar a atenção. As músicas geralmente são grandes exemplos de função fática.

Função poética

Essa função tem ênfase na mensagem, se preocupando com a estética e a beleza da mesma. O maior objetivo é cuidar do modo que a mensagem é transmitida. É muito encontrada nas músicas e nos poemas.

As principais características dessa função é uso de figuras de linguagem e a preocupação com a mensagem e a forma que ela é dita.

Veja também o significado de:

Data de atualização: 10/10/2019.