Sinais de pontuação

  • Ponto (.): pausa de longa duração que indica o final do período e é usado em abreviações.
  • Ponto de exclamação (!): indica espanto, admiração, surpresa.
  • Ponto de interrogação (?): indica dúvida, pergunta.
  • Ponto e vírgula (;): pausa moderada na leitura.
  • Dois pontos (:): introduzem diálogo, exemplificação, explicação.
  • Reticências (...): promovem uma interrupção na frase e indicam hesitação, dúvida etc.
  • Travessão (–): indica diálogo ou dá destaque a algum elemento da frase.
  • Parênteses ( ): isolam frases, palavras, datas e informações acessórias.
  • Aspas (“ ”): indicam fala, citação e isolam certas palavras e expressões.
  • Vírgula (,): pausa leve na leitura, a vírgula separa termos dentro do mesmo período.

Para que servem os sinais de pontuação?

Ponto (.)

O ponto é um sinal que indica o final do período. É uma pausa de longa duração. Depois do ponto (também chamado de ponto final), usamos letra maiúscula. O ponto também é usado em abreviaturas.

Exemplos:

  • O trem chegou à estação com alguns minutos de atraso.
  • Não concordo com o que você disse.
  • O Exmo. Sr. Dr. Jaime da Silva vai todos os dias ao tribunal.

Ponto de exclamação (!)

O ponto de exclamação pode indicar espanto, surpresa, admiração. É geralmente usado em frases no modo imperativo ou acompanhando interjeições (palavras que traduzem sensações e emoções, como "Ah!", "Puxa!", "Nossa!", "Opa!").

Exemplos:

  • Como a lua está linda hoje!
  • Que susto!
  • Coma, Artur!
  • Ufa! Que alívio!

Veja o Significado de Interjeição

Ponto de interrogação (?)

O ponto de interrogação é usado em perguntas e questionamentos. Indica dúvida.

Exemplos:

  • Será que esse time tem jeito?
  • Que horas são?
  • Tem certeza de que isso é o melhor a fazer?

Ponto e vírgula (;)

O ponto e vírgula indica uma pausa moderada (entre o ponto e a vírgula). Enquanto pausa, está mais próxima do ponto. Do ponto de vista sintático, está mais próxima da vírgula, já que não inicia outro período. Portanto, após o ponto e vírgula usa-se letra minúscula. Serve, entre outras coisas, para separar orações coordenadas que já possuem vírgula em períodos extensos.

Exemplo:

Às segundas, dedica-se integralmente ao trabalho; às terças, vai à feira, limpa a casa e trabalha; às quartas, quintas e sextas, a rotina pouco se altera; porém, quando chega o sábado, não vê a hora de sair para passear.

Dois pontos (:)

Os dois pontos introduzem diálogo, enumeração, explicação, comentário, esclarecimento, exemplificação, consequência etc.

Exemplos:

  • Os sinais de pontuação mais comuns são: o ponto, a vírgula, a interrogação e a exclamação.
  • Cansado de esperar, Marcos perguntou:
  • – Que horas ele chega?
    De tanto hesitar, o resultado só poderia ser este: ficou sem uma coisa nem outra.

Reticências (...)

As reticências (os famosos três pontinhos) promovem uma interrupção na frase. Podem indicar hesitação, dúvida, interrupção da fala, prolongamento de ideia etc. Associada com os parênteses, indicam supressão de trecho transcrito (no caso de citações).

Exemplos:

  • Eu queria lhe dizer que... Melhor esperar.
  • Não sei... Talvez eu vá...
  • "A caminho de casa, entro num botequim da Gávea para tomar um café junto ao balcão. (...) Gostaria de estar inspirado, de coroar com êxito mais um ano nesta busca do pitoresco ou do irrisório no cotidiano de cada um." (Fernando Sabino)

Travessão (–)

O travessão tem algumas funções. Uma delas é indicar diálogo. Quando substitui a vírgula ou os parênteses, dá destaque ao elemento. Também pode substituir os dois pontos. Há casos em que se devem utilizar dois travessões.

Exemplos:

  • O maior problema do Brasil tem nome – a desigualdade.
  • Em São Paulo – a cidade das multidões – muitas pessoas se sentem isoladas.
  • Um poema é feito de palavras, versos – e, claro, muito ritmo.

Parênteses ( )

Os parênteses servem para isolar frases, palavras e datas. Podem ser usados no lugar de vírgulas ou travessões. São muito usados para isolar informações acessórias (observações, adendos, significados etc.).

Exemplos:

  • O Censo 2010 foi feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
  • Fernando Pessoa (1888-1935) foi o maior escritor do modernismo português.
  • Há pessoas (e este é o meu caso) que adoram ir ao cinema.
  • Grandes escritores (como Machado de Assis e Guimarães Rosa) devem ser lidos em todas as escolas do Brasil.

Aspas (“ ”)

As aspas têm várias funções. Podem servir para isolar palavras: estrangeirismos (palavras de outro idioma) não incorporados, neologismos (novas palavras), expressões populares ou termos alheios à norma culta. Também indicam fala ou citação de texto alheio.

Exemplos:

  • O chamado “cancelamento” está na moda no Brasil.
  • “Vamos investigar incansavelmente”, disse o delegado.
  • “No meio do caminho tinha uma pedra
    tinha uma pedra no meio do caminho”
    (Carlos Drummond de Andrade)

Vírgula (,)

A vírgula é uma pausa leve na leitura que indica que os termos separados, apesar de pertencerem ao mesmo período, não formam unidade sintática. Há muitas situações em que a vírgula deve ser usada. Em outras, seu uso é proibido. Há casos em que seu uso é opcional.

Algumas situações em que se deve usar a vírgula

1. Para separar elementos de uma enumeração

Exemplos:

  • Dentro do meu estojo, tenho lápis de várias cores: azul, vermelho, preto, verde e amarelo.
  • Preciso comprar pão, manteiga, frutas, legumes e verduras.
  • Uma série de escritores me inspiram, dentre os quais Machado, Guimarães, Clarice, Drummond...

2. Para separar o vocativo (vocativo é um chamamento)

Exemplos:

  • Lucas, você pode ir comprar pão?
  • Não sei como isso foi acontecer, Maria.
  • Bom dia, pessoal.

3. Para separar o aposto (aposto é um termo da oração que caracteriza ou determina um nome ou uma expressão)

Exemplos:

  • O Monumento às Bandeiras, obra de Victor Brecheret, fica em frente ao Parque do Ibirapuera.
  • Visitei o Corcovado, cartão-postal do Rio de Janeiro.
  • A sociologia, ciência que estuda os fatos sociais, surgiu no século XIX.

3. Separar o adjunto adverbial antecipado ou intercalado (adjunto adverbial é um termo da oração que se une ao verbo para especificar ou intensificar seu sentido)

Exemplos:

  • Apesar da chuva, aproveitamos muito a viagem.
  • Sem dúvida, algo deve ser feito.
  • Meus amigos, na maior parte das vezes, não me decepcionam.

4. Separar orações coordenadas sindéticas adversativas ou conclusivas (orações coordenadas sindéticas são orações independentes introduzidas por conjunção)

Exemplos:

  • Ela estudou muito esta semana, mas não conseguiu ir bem na prova.
  • Estamos treinando muito, portanto teremos bom desempenho.
  • Ora vou a pé, ora vou de bicicleta.

Obs.: se as orações coordenadas forem introduzidas pelas conjunções “e”, “nem” ou “ou”, não há necessidade de usar a vírgula. Ex.: Gosto de comer frutas de manhã e adoro comer salada no almoço. Exceção: se os sujeitos das orações forem diferentes, recomenda-se o uso da vírgula. Ex.: Gosto de comer frutas, e Manuela gosta de comer chocolate.

5. Separar orações coordenadas assindéticas (orações coordenadas assindéticas são orações independentes não introduzidas por conjunção)

Exemplo:

A Maria foi ao cinema, o João ficou em casa.

Veja o Significado de Conjunção.

6. Separar os advérbios “sim” e “não”

Exemplo:

Sim, foi ele que nos procurou.

Veja o Significado de Advérbio.

7. Separar o predicativo do sujeito em ordem inversa (predicativo do sujeito é um termo da oração que cumpre função de atribuir qualidade ao sujeito)

Exemplo:

Esperava, ansiosa, pela chegada da encomenda.

8. Separar orações subordinadas adverbiais (orações subordinadas adverbiais são aquelas que possuem relação de dependência em relação à oração principal e cumprem função de advérbio)

Exemplos:

  • Quando cheguei à escola, a aula já tinha começado.
  • Se tivesse feito com calma, o problema teria sido evitado.
  • Embora tenhamos agido corretamente, o resultado não foi o esperado.

9. Separar orações subordinadas adjetivas explicativas (orações subordinadas adjetivas explicativas são orações que acrescentam qualidade ao elemento anterior)

Exemplo:

Os brasileiros, que são fãs de futebol, assistiram à partida com muita atenção.

10. Indicar omissão de um termo(zeugma)

Exemplo:

Eu gosto de frutas; ele, de biscoitos recheados.

11. Separar conjunções intercaladas

Exemplo:

É preciso que se diga, entretanto, que a TV não morreu após o advento da internet.

Alguns casos em que não se deve usar a vírgula

1. A vírgula não pode separar o sujeito do predicado

Exemplo:

Maria, tem o hábito de correr no parque (errado).
Maria tem o hábito de correr no parque (correto).

2. A vírgula não pode separar o verbo dos seus complementos

Exemplo:

Ele falou que, gosta de escrever (errado).
Ele falou que gosta de escrever (correto).

Alguns casos em que o uso da vírgula é opcional (facultativo)

1. A vírgula pode separar orações coordenadas sindéticas (no caso das adversativas e das conclusivas, seu uso é obrigatório)

Exemplo:

Resolvi não ir à festa porque estava bem gripado (correto).
Resolvi não ir à festa, porque estava bem gripado (correto).

2. A vírgula pode separar conjunção no início do período

Exemplo:

Portanto, a melhor opção foi adotar o plano B (correto).
Portanto a melhor opção foi adotar o plano B (correto).

Sinais de Pontuação

Veja também:

Significado de Classe Gramatical

Data de atualização: 30/09/2020.