7 Acontecimentos marcantes da Segunda Guerra Mundial

Juliana Bezerra
Revisão por Juliana BezerraProfessora de História

A Segunda Guerra Mundial, que aconteceu entre os anos de 1939 e 1945, foi o maior conflito do século XX, com o maior número de vítimas na história da humanidade.

Estima-se que durante o conflito tenham morrido 27 milhões de soldados e 25 milhões de civis, dentre esses, 6 milhões de judeus.

O conflito estava dividido entre os Aliados e o Eixo:

  • Aliados: Inglaterra, Estados Unidos, União Soviética e França.
  • Eixo: Alemanha, Itália e Japão.

Os países do Eixo venceram as batalhas iniciais do conflito, em seguida houve um equilíbrio de poder entre esses grupos e, por fim, os países Aliados vencem a guerra, em 1945.

Veja a seguir alguns dos acontecimentos mais marcantes desse conflito:

1 - Invasão da Polônia pela Alemanha (1939)

Um dos principais motivos da Segunda Guerra Mundial foi o desejo expansionista do Império Alemão. Em 1938, Hitler já havia anexado a Áustria e territórios da então Tchecoslováquia ao seu império e a Polônia era seu outro alvo.

Prevendo uma invasão alemã, a Polônia assinou um acordo com a França e a Inglaterra. Por meio desse acordo, esses países comprometiam-se a dar apoio militar à Polônia caso a Alemanha invadisse seu território.

Em 1° de setembro de 1939, as tropas alemãs invadem o território polonês e iniciam os combates. O exército da Polônia não era bem equipado e não conseguiu resistir aos ataques, tampouco pode contar com o apoio da França e Inglaterra como previa o acordo.

A vitória alemã nessa invasão deveu-se, sobretudo, à sua estratégia de guerra-relâmpago, chamada Blitzkrieg, uma tática inovadora que combinava ataques por terra e ar. Dois dias depois dessa invasão, Inglaterra e França declaram guerra contra a Alemanha e inicia-se oficialmente a Segunda Guerra Mundial.

Saiba mais sobre URSS.

Invasão da PolôniaTropas alemãs em marcha na Polônia.

2 - Massacre de Babi Yar (1941)

Nos dias 29 e 30 de setembro de 1941, um fuzilamento em massa durante cerca de 40 horas deixaria quase 34 mil pessoas mortas na cidade de Kiev, na Ucrânia, durante a ocupação nazista na cidade.

Kiev era conhecida por sua grande comunidade judaica e o nome do massacre refere-se ao local onde o fuzilamento foi realizado, uma ravina chamada Babi Yar.

Esse massacre foi realizado pelo Einsatzgruppen - um grupo nazista de extermínio que atuava contra os judeus. Kiev estava sob domínio nazista desde o dia 19 de setembro de 1941 e no dia 24 alguns prédios utilizados pela administração nazista foram atacados com bombas.

Estas já haviam sido instaladas pela polícia secreta soviética antes da ocupação alemã, mas independente disso, os nazistas resolveram se vingar da ação com a execução dos judeus.

Eles espalharam cartazes pela cidade convocando os judeus a comparecerem ao local indicado com seus documentos e dinheiro. Segundo os cartazes, quem não comparecesse ao local seria fuzilado.

Acreditando que os nazistas não fariam nada contra os judeus e que a convocação poderia ser um reassentamento, 33 mil pessoas compareceram no local.

Ao longo das próximas 36 horas, essas pessoas foram sistematicamente fuziladas e posteriormente seus corpos foram exumados para não deixar vestígios do massacre.

Saiba mais sobre nazismo e antissemitismo.

3 - Cerco a Leningrado (1941-1944)

O cerco a Leningrado, cidade da União Soviética, foi uma ação de brutal violência das tropas nazistas durante a Segunda Guerra Mundial. Apesar de terem assinado um pacto de não agressão em 1939, Alemanha e União Soviética eram rivais e a possibilidade de um conflito era quase inevitável.

O primeiro ataque de Hitler (1889-1945) à União Soviética foi a Operação Barbarossa, em 1941, quando cerca de 3,6 milhões de soldados da Alemanha invadiram a União Soviética. O exército alemão chegou muito próximo à capital Moscou, mas os soviéticos conseguiram afastá-los.

Os alemães então partiram em direção a Leningrado. Os soviéticos acreditavam que o exército alemão atacaria a cidade, porém a estratégia foi outra: os nazistas cercaram a cidade e não deixaram ninguém entrar nem sair.

A cidade ficou cercada por aproximadamente 900 dias. Aos poucos, o acesso à alimentação e água foi se tornando difícil e o número de pessoas que morriam de fome ou por epidemias aumentava a cada dia.

No pior período do cerco, acredita-se que morriam cerca de 20 mil pessoas por dia. A população fazia de tudo para conseguir se alimentar e foram registrados, inclusive, casos de canibalismo.

Saiba mais sobre o Holocausto.

Cerco a LeningradoTropas alemãs durante cerco a Leningrado.

4 - Ataque à base naval americana Pearl Harbor (1941)

O Japão, desde a década de 30, adotava uma postura agressiva e imperialista de expansão territorial na Ásia, especialmente em relação à China. Somado a essa postura, o Japão e os Estados Unidos, ao longo do século XX, já disputavam algumas regiões e sua relação tornava-se mais tensa.

No dia 7 de dezembro de 1941, o Japão ataca de surpresa a base naval americana Pearl Harbor, localizada no Havaí. O alvo foi escolhido devido aos interesses de expansão territorial do Japão nas ilhas do Pacífico.

Esse ataque causou cerca de 2500 mortes, porém o objetivo da ação - que era a destruição completa da base naval - não foi alcançado. Muitas embarcações americanas foram danificadas, mas a indústria naval dos Estados Unidos conseguiu recuperar as perdas em pouco tempo.

A partir desse ataque, os Estados Unidos declaram guerra ao Japão, conflito que só se encerraria com a rendição do Japão após os ataques de Hiroshima e Nagasaki.

Entenda o que é imperialismo.

Pearl HarborAtaque japonês à base naval americana Pearl Harbor.

5 - Batalha de Stalingrado (1943)

A Batalha de Stalingrado - um dos mais sangrentos conflitos da Segunda Grande Guerra - aconteceu entre Alemanha e União Soviética e se estendeu de julho de 1942 a fevereiro de 1943.

Stalingrado era uma cidade soviética onde havia um importante parque industrial e uma passagem estratégica de petróleo. Sua invasão fazia parte da Operação Barbarossa, que buscava o domínio das cidades de Leningrado, Moscou e Stalingrado.

O ataque à cidade começou com um bombardeio e, em seguida, a invasão das tropas por terra. Hitler ficou obcecado em conquistar essa cidade e concentrou muitos recursos nessa batalha.

Os conflitos ocorridos na cidade foram extremamente sangrentos, os relatos dos soviéticos diziam que a situação era infernal e desesperadora.

Os soviéticos resistiram devido ao abastecimento diário de soldados, ao apoio da população no combate e às ordens expressas de Stalin (1878-1953) proibindo que seus soldados recuassem. Além disso, as tropas alemãs tiveram dificuldade de se adaptar às baixas temperaturas da região.

Enfraquecidos e sem condições de enfrentar a ofensiva soviética, em fevereiro de 1943 os alemães se renderam.

Entenda o que foi o Stalinismo.

Batalha de StalingradoSoldados soviéticos em Stalingrado.

6 - Invasão da Normandia (1944)

A invasão da Normandia, costa norte da França, aconteceu no dia 6 de junho de 1944. Parte da França estava tomada pelos alemães e essa invasão foi feita pelos países aliados, com o intuito de que as tropas alemãs recuassem.

Nesse dia, conhecido também como Dia-D, cerca de 1 milhão de soldados dos países aliados entraram no território francês pelas praias da região da Normandia.

A vitória dos aliados nessa invasão se deveu ao fator surpresa - os alemães imaginavam a invasão do território, porém enganaram-se quanto ao local por onde isso aconteceria. Além disso, o general Eisenhower (1890-1969) dos Estados Unidos recebia informações interceptadas dos nazistas, o que facilitou o ataque.

Esse episódio, junto com a Batalha de Stalingrado, foi um dos marcos do início da vitória dos aliados no conflito mundial.

Saiba mais sobre o Dia-D.

Invasão da Normandia - significadosSoldados americanos desembarcando na Normandia.

7 - Hiroshima e Nagasaki (1945)

No dia 6 de agosto de 1945, os Estados Unidos jogaram uma bomba atômica sobre a cidade de Hiroshima - foi a primeira vez que esse tipo de arma foi utilizado na história da humanidade.

A razão pela qual os Estados Unidos lançaram a bomba atômica na cidade japonesa foi a tentativa de forçar a rendição desse país. O Japão havia recusado assinar a Declaração de Potsdam, um documento que definia os termos de rendição do Japão.

Feita de urânio, essa bomba causou a morte imediata de pelo menos 70 mil pessoas. Após o lançamento da primeira bomba, o Japão recusou se render, pois não acreditava que os Estados Unidos teriam outra bomba atômica.

Com a negativa da rendição, no dia 9 de agosto, os Estados Unidos lançam a segunda bomba atômica, agora sobre a cidade de Nagasaki.

Mais potente que a primeira bomba, acabou ocasionando uma destruição menor devido às condições geográficas da cidade. Como era composta por muitos morros e montanhas, algumas partes ficaram protegidas.

Esses ataques destruíram grande parte das cidades japonesas e causaram prejuízos de vida inestimáveis. Além das pessoas que morreram no momento da explosão e nos dias subsequentes, a população atingida teve que lidar para o resto da vida com as consequências da radiação.

Depois do segundo ataque, o Imperador do Japão, Hirohito, declarou a rendição do país e a Segunda Guerra Mundial foi oficialmente encerrada em todo mundo.

Saiba mais sobre bomba atômica e radioatividade.

Hiroshima

Conheça 3 histórias heroicas e inspiradoras sobre o Holocausto e entenda o significado de suástica. Leia também o artigo sobre a Segunda Guerra Mundial.

Data de atualização: 28/08/2019.

Juliana Bezerra
Revisão por Juliana Bezerra
Bacharelada e Licenciada em História, pela PUC-RJ. Especialista em Relações Internacionais, pelo Unilasalle-RJ. Mestre em História da América Latina e União Europeia pela Universidade de Alcalá, Espanha.