Desigualdade Social

Pedro Menezes
Pedro Menezes
Professor de Filosofia, Mestre em Ciências da Educação

O que é a desigualdade social:

Desigualdade social representa a diferença no padrão de vida e nas condições de acesso a direitos, bens e serviços entre integrantes de uma sociedade.

A desigualdade sociais pode se manifestar de diferentes formas, no âmbito econômico, escolar, profissional, de gênero, entre outros. Por isso, é comum também a utilização do termo no plural: desigualdades sociais.

O fenômeno da desigualdade social é marcado principalmente pela desigualdade econômica gerada pela concentração de renda. A concentração de renda gera um desequilíbrio no modo de vida dos grupos que compõem a sociedade.

Assim, em uma mesma sociedade, alguns grupos possuem total acesso a seus direitos e a uma vida digna, enquanto outros grupos são excluídos. Uma grande parcela da população tende gradativamente à miséria, à ausência de condições materiais que garantam a sua própria existência.

Essa distinção gradativa pode ser observada a partir da estratificação social, ou da divisão da sociedade em classes. Cada classe social possui o seu próprio modo de vida. Isso se reflete em um padrão de consumo próprio e, principalmente, na diferença de acesso a direitos fundamentais, como: alimentação, saúde, segurança, moradia e educação.

Causas e consequências da desigualdade social

Para os filósofos do liberalismo, como John Locke e Adam Smith, a desigualdade social faz parte da natureza humana e da forma como os indivíduos se organizam na sociedade.

Para pensadores marxistas, influenciados por Karl Marx e Friedrich Engels, a desigualdade social é resultado de um processo histórico baseado na exploração de um grupo social por outro.

Apesar da divergência sobre sua origem, é consensual a definição de alguns fatores que são causas da desigualdade social:

  • má distribuição de renda
  • má administração dos recursos públicos
  • falta de investimentos em políticas sociais
  • corrupção
  • desemprego

A desigualdade social tem como efeitos uma série de outras desigualdades, como a desigualdade de gênero, desigualdade racial, desigualdade regional, entre outras.

Como consequência da desigualdade social, surgem vários problemas sociais que afetam a sociedade:

  • Favelas (favelização)
  • Gentrificação (pessoas pobre são levadas a morar em zonas periféricas das cidades)
  • Insegurança alimentar (aumento dos índices de fome e miséria)
  • Mortalidade infantil
  • Diminuição da expectativa de vida média
  • Manutenção/aumento do desemprego
  • Aumento da evasão escolar
  • Diminuição da escolaridade média da população
  • Aumento da criminalidade
  • Aumento das diferenças entre as classes sociais
  • Atraso no desenvolvimento da economia no país
  • Dificuldade de acesso aos serviços básicos, como saúde, transporte público e saneamento básico
  • Diminuição do acesso a atividades culturais e de lazer

Veja também o significado da Pobreza.

Desigualdade social no Brasil

No Brasil, a desigualdade social é marcante e afeta direta ou indiretamente a maioria dos brasileiros, o que se confirma pelos resultados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD). De 2016 a 2017 o índice de pobreza extrema no país cresceu pouco mais de 11%.

Com a pandemia, houve um aumento considerado nesses números e cerca de 13% da população passou a viver abaixo da linha da pobreza.

O Brasil encontra-se em oitavo lugar no ranking de países mais desiguais do mundo, documento organizado pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Já o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), índice que mede os níveis de educação, acesso à saúde e a economia, o Brasil ocupa a posição 84 de 189 países.

Dados sobre a distribuição de renda publicados em relatório da Credit Suisse (instituição financeira), mostram que em 2020, o 1% mais rico da população brasileira concentrou 49,6% de toda a riqueza do país.

Favela e prédio de luxo separados por um muro
Um muro separa a comunidade de Paraisópolis dos condomínios de luxo do bairro do Morumbi em São Paulo. Foto: Tuca Vieira / Reprodução

Causas da desigualdade social no Brasil

O Brasil possui um passado escravagista, patrimonialista e patriarcal, a junção desses fatores consolidam uma estrutura de exclusão da população negra, pobre e das mulheres da economia.

Ao longo dos anos, houve avanços na garantia de direitos para essas populações, mas não conseguiu sanar o problema da desigualdade.

Além da má distribuição de renda e da concentração de riqueza, também são causas para a desigualdade social no Brasil:

  • falta de acesso à educação
  • os baixos salários
  • a política fiscal injusta (carga tributária regressiva, cobra um percentual maior da população pobre)
  • dificuldade de acesso aos serviços básicos (saúde, transporte, habitação, saneamento básico e de segurança alimentar, por exemplo).

Veja mais sobre as principais causas da desigualdade social.

Consequências da desigualdade social no Brasil

A desigualdade social é causadora do surgimento e crescimento de diversos problemas, sendo os principais:

  • Aumento dos níveis de desemprego
  • Crescimento dos níveis de insegurança alimentar e da fome
  • Aumento da pobreza extrema
  • Evasão escolar
  • Dificuldade de acesso a serviços de saúde, educação e moradia
  • Aumento da mortalidade infantil
  • Baixo crescimento econômico
  • Elevação das taxas de criminalidade
  • Aumento do número de pessoas privadas de liberdade (população carcerária)

Saiba mais sobre Vulnerabilidade social e desigualdade racial.

Atualizado em
Pedro Menezes
Pedro Menezes
Licenciado em Filosofia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e Mestre em Ciências da Educação pela Universidade do Porto (FPCEUP).