Significado de Farmacodinâmica

O que é a Farmacodinâmica:

Farmacodinâmica é a ciência que estuda e descreve os efeitos dos medicamentos e drogas no organismo, assim como seus mecanismos de ação e a relação entre a dose e os efeitos provocados.

Quando um medicamento é ingerido, absorvido ou injetado, ele entra na corrente sanguínea e, a medida que se desloca pelo organismo, vai produzindo efeitos em diversos locais alvo.

A interação do medicamento no local afetado produz a reação desejada, mas a sua interação com outras células, órgãos e tecidos pode causar efeitos indesejáveis ou efeitos colaterais.

Alguns exemplos de efeitos colaterais são o aumento das chances de mutação celular, doenças induzidas pelos medicamentos e hipersensibilidade ao fármaco.

Classificação dos medicamentos

Com relação aos mecanismos de ação, os medicamentos podem ser divididos em dois grupos:

Estruturalmente inespecíficos

Esses medicamentos, para causarem efeitos no organismo dependem apenas de suas propriedades físico-químicas, isto é, eles não se ligam a um componente celular para fazer efeito.

Um dos exemplos de fármaco estruturalmente inespecífico são os sais de frutas, que são antiácidos que reduzem a acidez do suco gástrico apenas por suas propriedades físico-química.

Estruturalmente específicos

Nesse caso, o fármaco interage com um componente celular, que pode ser uma enzima, uma proteína sinalizadora ou um canal iônico.

Essa interação pode ser exemplificada com uma chave e uma fechadura, onde a chave é o medicamento e a fechadura é o alvo na célula. A reação do remédio acontece quando os dois se ligam.

O estudo da relação entre um medicamento e o organismo considera fatores como a resposta do organismo ao medicamento; os efeitos provocados; a relação entre a concentração da substância e a intensidade do efeito e o mecanismo e local de ação.

Outros dois conceitos importantes da farmacodinâmica são a afinidade e a atividade intrínseca:

  • Afinidade: afinidade é a capacidade de o fármaco se ligar ao seu alvo celular;
  • Atividade intrínseca: é a capacidade do fármaco de desencadear uma ação dentro da celula depois de ter se ligado ao seu alvo.

Quando há afinidade e atividade intrínseca, o fármaco é considerado agonista. Isto é, ele se liga e causa uma reação na célula.

Também existe a possibilidade de o fármaco apenas se ligar ao alvo celular, mas não promover nenhuma ação no organismo, ou seja, não ter atividade intrínseca. Nesse caso o fármaco é classificado como antagonista.

Mesmo que não haja atividade intrínseca, é possível que o medicamento produza efeitos farmacológicos.

No caso dos anti-histamínicos usados como antialérgicos, por exemplo, ao se ligarem ao alvo celular, eles bloqueiam os alérgenos de seus receptores e assim, bloqueiam a alergia.

Saiba mais sobre efeito colateral

Farmacodinâmica e farmacocinética

A farmacodinâmica é a área que estuda os efeitos fisiológicos dos medicamentos nos organismos, sua relação com os alvos celulares e a produção de efeitos indesejáveis ou colaterais.

A farmacocinética, por sua vez, é o próprio caminho que o medicamento percorre no organismo. Esse caminho é composto pelas seguintes etapas: absorção, distribuição, biotransformação e excreção.

Veja mais sobre a farmacocinética.

Data de atualização: 16/12/2019.