Significado de Funcionalismo

O que é o Funcionalismo:

Funcionalismo é um paradigma científico que busca entender uma sociedade a partir das suas regras de funcionamento e das diferentes funções nela desempenhadas.

De acordo com os teóricos funcionalistas, cada indivíduo em uma sociedade exerce uma função, e o conjunto de todas as funções permite o funcionamento harmônico da sociedade.

Os estudos funcionalistas dos grupos sociais buscam analisar suas instituições e suas regras, como por exemplo, família, religião, crenças, modos de produção e educação.

O funcionalismo teve sua origem na antropologia e na sociologia, mas também é aplicado em outras áreas das ciências humanas, como na psicologia e na filosofia.

Os maiores expoentes dessa vertente são o sociólogo Émile Durkheim (1858 - 1917) e ​o antropólogo Bronislaw Malinowski (1884 - 1942).

Funcionalismo na sociologia

O funcionalismo na sociologia é discutido primeiramente por Émile Durkheim, que foi o fundador da sociologia como uma disciplina científica.

Durkheim se baseou em princípios da biologia para explicar o funcionamento das sociedades. Ele as comparava com um organismo vivo, em que cada órgão tem uma função específica.

Para o funcionalismo, cada indivíduo de uma sociedade tem seu papel e, no desempenho de suas funções, a coletividade garantiria a sobrevivência de toda a estrutura.

Para o autor, a interpretação das sociedades está relacionada aos fatos sociais, que são valores e normas culturais, como por exemplo a língua, a arquitetura, o dinheiro, os costumes e os papéis sociais.

Para cada fato social, existem regras em uma sociedade e é a partir dos fatos sociais que Durkheim acredita que a consciência coletiva é construída.

Os fatos sociais, segundo Durkheim, possuem três características:

  • Social: se aplicam a todos ou à maioria da sociedade;
  • Exterior: o fato social existe independente da vontade dos indivíduos;
  • Coercitivo: os fatos sociais são impositivos e se os indivíduos não o seguem, sofrem punições.

Um dos exemplos de fato social em nossa sociedade é a educação. A educação é social porque se aplica à todos, é exterior porque é independente da vontade de um indivíduo e é coercitiva, pois ela é imposta.

Saiba mais sobre sociologia e entenda o significado de coerção.

Funcionalismo na antropologia

Na antropologia, o funcionalismo foi iniciado por Bronislaw Malinowiski, antropólogo que teve grande contribuição para a criação do método etnográfico.

Malinowiski estudou os povos trobriandeses da Nova Guiné a partir de uma pesquisa de campo - até então, os antropólogos estudavam os diferentes povos a partir de uma visão externa.

Em um trabalho de campo, o pesquisador deve estar junto ao grupo estudado por um período de tempo prolongado e deve participar da vida coletiva daquela sociedade.

O objetivo de Malinowiski era entender a visão de mundo e o modo de pensar dos indivíduos daquele grupo, com base na forma como se organizavam em sociedade, seu cotidiano e suas crenças.

O pesquisador observou que cada institução criada visava a satisfação de uma necessidade humana. A família, por exemplo, buscava satisfazer a necessidade de reprodução e a religião, a necessidade de transcendência.

Nas Ilhas Trobriand, Malinowiski tomou conhecimento do kula, um sistema de trocas. Ao se debruçar sobre esse sistema, o antropólogo percebeu que as trocas não eram apenas econômicas, mas exerciam funções sociais, políticas e religiosas.

Segundo Malinowiski, as sociedades possuem 4 necessidades culturais: economia, controle social, educação e organização política. Para cada uma dessas instituições, são criadas normas e estatutos.

Saiba mais sobre antropologia e entenda o que é uma etnografia.

Estrutural funcionalismo

A teoria estrutural funcionalista guarda muitas semelhanças e algumas diferenças em relação ao funcionalismo. O criador dessa vertente foi o antropólogo Alfred R. Radcliffe-Brown (1881 - 1955).

Radcliffe-Brown estudou os povos das Ilhas Andaman, também utilizando-se da pesquisa de campo. Seu objetivo era analisar a relação entre as estruturas sociais e as atividades sociais.

Assim como o funcionalismo, o estrutural funcionalismo compreende que a organização social de um grupo está baseada nas funções e que o todo permite a continuidade do sistema.

No entanto, a vertente estrutural funcionalista não estuda somente o funcionamento da sociedade, mas a forma como as estruturas se relacionam para a manutenção do sistema.

Para Radcliffe-Brown, a sociedade é um sistema orgânico mantido por relações que se retroalimentam e as instituições independem do indivíduo.

Ambas teorias perdem força a partir da década de 1960 por algumas razões como:

  • Preocupavam-se com os efeitos dos fenômenos socioculturais, mas não explicavam suas causas;
  • Não respondiam como as mesmas necessidades humanas levavam à criação de instituições diferentes em sociedades diversas;
  • Uma sociedade era vista como um sistema harmônico e equilibrado e os conflitos eram a exceção;
  • Utilizavam um conceito super socializado do ser humano e ignoravam a sua capacidade de ação individual.

Veja também o significado de pesquisa de campo.

Data de atualização: 05/03/2020.