Poesia, poema, prosa e soneto

Poesia, poema, prosa e soneto são termos frequentemente utilizados no contexto literário, alguns como sinônimos, apesar de designarem elementos diferentes.

Enquanto o poema, a prosa e o soneto são estruturas textuais distintas ligadas exclusivamente à literatura, a poesia é a própria expressão artística pretendida, e pode estar presente em qualquer ramo das artes.

O que é poesia?

Poesia é a intenção estética pretendida pelo artista, que através da sua arte busca expressar uma ideia ou sentimento. Assim, a poesia é um elemento subjetivo e abstrato que está presente em poemas, pinturas, fotografias, músicas e qualquer outra forma de arte.

Por ser a própria expressão artística, a poesia pode se manifestar através de várias formas, como na escolha de cores em uma pintura, na métrica e nas rimas em um poema, na entonação em uma música, etc.

O termo é originário do grego poiesis que significa “fazer” ou “criar”, portanto, sua origem etimológica já demonstra que a palavra pode fazer referência a qualquer produção artística.

O que é poema?

Poema é uma estrutura textual pertencente ao gênero lírico da literatura, organizado em versos e estrofes. O número de versos em cada estrofe é livre e pode variar dentro do mesmo poema.

Com exceção da organização em versos e estrofes, não existem regras fixas que caracterizem os poemas. Assim, os poemas podem ou não conter rimas, aliterações, metáforas ou quaisquer outras técnicas ou figuras de linguagem, a critério do poeta.

Tipos de poema

Um poema pode ser:

  • Lírico: descreve os sentimentos e pensamentos do poeta.
  • Épico: é focado em situações e entidades míticas e irreais.
  • Dramático: é formado através das falas dos personagens.
  • Narrativo: descreve uma história.

Diferença entre poesia e poema

Considerando que um poema sempre contém poesia, é comum que os termos sejam utilizados como sinônimos. No entanto, o poema é apenas uma das formas de expressar a poesia:

PoesiaPoema
O quê um artista expressa.Como um artista expressa.

Exemplo de poema 

Segue abaixo um poema de Vinícius de Moraes. Nota-se que o poema contém algumas rimas pontuais e que as estrofes possuem números variáveis de versos:

Tomara
Que você volte depressa
Que você não se despeça
Nunca mais do meu carinho
E chore, se arrependa
E pense muito
Que é melhor se sofrer junto
Que viver feliz sozinho

Tomara 
Que a tristeza te convença
Que a saudade não compensa
E que a ausência não dá paz
E o verdadeiro amor de quem se ama
Tece a mesma antiga trama
Que não se desfaz

E a coisa mais divina
Que há no mundo
É viver cada segundo
Como nunca mais...

O que é prosa?

Prosa é a estrutura textual organizada em linhas contínuas (não sofrem quebra de linha como nos poemas) e parágrafos. É marcada pelo texto narrativo, dissertativo e denotativo, por isso é a expressão textual utilizada em artigos e notícias (prosa não-literária) e em romances, contos e crônicas (prosa literária).

Por expressar, na maioria das vezes, discursos literais, analíticos e discursivos, a prosa é comumente descrita como uma estrutura afastada da poesia. No entanto, nada impede que a arte seja expressa através de um texto em prosa. Nesses casos a estrutura será chamada de prosa poética.

Exemplo de prosa

Segue abaixo um trecho de A insustentável leveza do ser, de Milan Kundera, escrito em prosa poética:

"Não existe meio de verificar qual é a boa decisão, pois não existe termo de comparação. Tudo é vivido pela primeira vez e sem preparação. Como se um ator entrasse em cena sem nunca ter ensaiado. Mas o que pode valer a vida, se o primeiro ensaio da vida já é a própria vida?"

O que é um soneto?

Soneto é um tipo específico de poema marcado por uma estrutura fixa de quatro estrofes, sendo dois quartetos (quatro versos) e dois tercetos (três versos). Além disso, os versos devem conter dez sílabas poéticas.

Exemplo de soneto

Segue abaixo um texto de Vinícius de Moraes que reúne todos os elementos da estrutura fixa dos sonetos:

Soneto do amigo

Enfim, depois de tanto erro passado
Tantas retaliações, tanto perigo
Eis que ressurge noutro o velho amigo
Nunca perdido, sempre reencontrado.

É bom sentá-lo novamente ao lado
Com olhos que contêm o olhar antigo
Sempre comigo um pouco atribulado
E como sempre singular comigo.

Um bicho igual a mim, simples e humano
Sabendo se mover e comover
E a disfarçar com o meu próprio engano.

O amigo: um ser que a vida não explica
Que só se vai ao ver outro nascer
E o espelho de minha alma multiplica...

Veja também:

Data de atualização: 20/08/2018. Poesia, poema, prosa e soneto está nas categorias: Língua Portuguesa, Poesia