Rimas

O que é são rimas:

Rimas são repetições de sons vocais ou consonantais (ou os dois combinados) que acontecem em intervalos regulares dentro de um texto. Trata-se de um recurso sonoro bastante usado por poetas. Ao lado da metrificação, da assonância e da aliteração, as rimas são responsáveis pela musicalidade dos textos poéticos.

Geralmente, as rimas ocorrem no final de versos diferentes, tal como neste célebre soneto de Camões:

Amor é fogo que arde sem se ver,
é ferida que dói, e não se sente;
é um contentamento descontente,
é dor que desatina sem doer.

Repare que o primeiro verso rima com o último, pois há igualdade de som na terminação das duas últimas palavras de cada um desses versos: “ver” e “doer”. Os dois versos do meio também rimam, já que ambos terminam com sons iguais: “sente” e “descontente”.

Mas a rima também pode ocorrer no interior de um mesmo verso. Vejamos este verso do poeta simbolista brasileiro Alphonsus de Guimaraens:

Como são cheirosas as primeiras rosas!

Se olharmos para as palavras “cheirosas” e “rosas”, veremos que, a partir da sílaba tônica, ambas têm a mesma sonoridade. Portanto, rimam.

Mas há rimas internas que se dão entre versos diferentes. Vejamos este exemplo retirado do poema “A Judia”, do poeta romântico português Tomás Ribeiro:

Anjo sem pátria, fada errante,
Perto ou distante que de mim tu vás,
Há de seguir-te uma saudade infinda,
Hebreia linda, que dormindo está.

Veja como “errante”, no final do primeiro verso, rima com “distante”, que está no meio do verso seguinte. O mesmo ocorre no terceiro e no quarto versos.

Além desses, existem muitos outros tipos de rima. Há, inclusive, um nome específico para versos onde não há rima alguma: versos brancos ou soltos.

Tipos de rima

A classificação é feita de acordo com quatro aspectos: posição (na estrofe e no verso), qualidade, som e intensidade.

1. Classificação em relação à posição na estrofe e no verso

Rima externa (final)

A rima externa ou final é aquela que ocorre no final dos versos. Há alguns tipos de rimas externas, dependendo de sua disposição dentro do poema: as paralelas, as opostas, as alternadas, as misturadas e as continuadas.

Rimas paralelas (emparelhadas): são aquelas que ocorrem aos pares, seguindo o esquema AABB; ou seja: no caso de uma quadra (estrofe com quatro versos), as rimas se dão entre os dois primeiros versos (A) e entre os dois últimos (B).

Exemplo:

Filho meu, torre mais alta (A)
De onde o meu amor se exalta. (A)
Ânfora azul, de onde o incenso (B)
dos sonhos se eleva denso. (B)

“Recolta das estrelas”, Cruz e Sousa

Rimas opostas (interpoladas): caracterizam-se pela combinação de versos do tipo ABBA; ou seja: no caso de uma quadra, as rimas se dão entre o primeiro e o último versos (A) e entre os dois do meio (B).

Exemplo:

Longe do estéril turbilhão da rua, (A)
Beneditino, escreve! No aconchego (B)
Do claustro, no silêncio e no sossego, (B)
Trabalha, e teima, e lima, e sofre, e sua! (A)

“A um poeta”, Olavo Bilac

Rimas alternadas (cruzadas): as rimas alternadas ou cruzadas caracterizam-se pelo esquema ABAB; ou seja: no caso de uma quadra, as rimas se dão entre o primeiro e o terceiro versos (A) e entre o segundo e o quarto (B).

Exemplo:

Como a criança que banhada em prantos (A)
Procura o brinco que levou-lhe o rio, (B)
Minhaalma quer ressuscitar nos cantos (A)
Um só dos lírios que murchou o estio. (B)

“Minhalma é triste”, Casimiro de Abreu

Rimas misturadas (mistas): as rimas misturadas ou mistas, diferentemente do que ocorre com os outros tipos de rima descritos acima, não seguem um padrão definido.

Exemplo:

Vou-me embora pra Pasárgada
Aqui eu não sou feliz
Lá a existência é uma aventura
De tal modo inconsequente
Que Joana a Louca de Espanha
Rainha e falsa demente
Vem a ser contraparente
Da nora que nunca tive

“Vou-me embora pra Pasárgada”, Manuel Bandeira

Rima continuada: trata-se da repetição do mesmo som num longo trecho ou mesmo num poema inteiro.

Exemplo:

Por esse pão pra comer, por esse chão pra dormir
A certidão pra nascer e a concessão pra sorrir
Por me deixar respirar, por me deixar existir
Deus lhe pague

“Deus lhe pague”, Chico Buarque

Veja também: estrofe e verso.

Rima interna

A rima interna pode ocorrer basicamente de duas maneiras: no interior de um único verso ou entre dois versos. Existem alguns tipos de rimas internas: as coroadas, as aliterantes e as encadeadas.

Rima coroada: é um tipo de rima interna que se dá no interior de um mesmo verso.

Exemplo:

Na messe, que enlourece, estremece a quermesse...

“Um sonho”, Eugénio de Castro

Rima aliterante: também chamada de aliteração, caracteriza-se pela repetição expressiva de sons consonantais em um ou mais versos.

Exemplo:

A sombra dos supremos sofrimentos

"PANDEMONUM", Cruz e Sousa

Veja o Significado de Aliteração.

Rima encadeada: a rima encadeada ocorre quando as combinações sonoras se dão no final de um verso e no meio do verso seguinte.

Exemplo:

As flores d'alma que se alteiam belas,
puras, singelas, orvalhadas, vivas,
têm mais aromas, e são mais formosas,
que as pobres rosas num jardim cativas.

“Flores d’alma”, Tomás Ribeiro

2. Classificação em relação à qualidade

Rima pobre: é aquela em que se rimam duas palavras da mesma classe gramatical.

Exemplos:

  • Substantivo com substantivo: pão/melão
  • Verbo com verbo: ir/sorrir
  • Advérbio com advérbio: praticamente/lentamente

Rima rica: é aquela em que as palavras rimadas pertencem a classes gramaticais diferentes.

Exemplos:

  • Substantivo com verbo: rua/sua
  • Adjetivo com advérbio: calado/demasiado
  • Verbo com adjetivo: sente/crente

Rima rara: também chamada de preciosa, consiste numa combinação excepcional de palavras. Trata-se de uma associação improvável, bastante difícil de encontrar.

Exemplo:

É tanta a glória que nos encaminha
Em nosso amor de seleção, profundo,
Que (ouço ao longe o oráculo de Elêusis)

Se um dia eu fosse teu e fosses minha,
O nosso amor conceberia um mundo
E do teu ventre nasceriam deuses...

“Argila”, Raul de Leoni

3. Classificação em relação ao som

Rima soante: também chamada de consoante, é aquela em que a combinação de sons é completa. Praticamente todos os exemplos de rima listados acima se encaixam nessa classificação.

Exemplos:

  • Posicionamento/cimento
  • Rosa/prosa
  • Amora/nora

Rima toante: também chamada de assonante, é feita de uma combinação parcial de sons: só há correspondência entre sons vocálicos na sílaba tônica das palavras. Essa rima pode ser chamada de assonância.

Exemplos:

  • Massa/fava
  • Luto/escuro
  • Aguenta/tempo

Rima imperfeita: ocorre quando a combinação de sons não é perfeita, isto é, quando os sons combinados são parecidos, mas não iguais. Por exemplo: uma combinação de uma vogal aberta ("céu") com uma vogal fechada ("aprendeu").

Exemplos:

  • Céu/aprendeu
  • Muleta/predileta
  • Aurora/sedutora

4. Classificação em relação à intensidade

Rima aguda: combinação de sons de palavras oxítonas.

Exemplo:

Sol/anzol

Rima grave: combinação de sons de palavras paroxítonas.

Exemplo:

Parte/Marte

Rima esdrúxula: combinação de sons de palavras proparoxítonas.

Exemplo:

Plástico/elástico

Veja também:

Atualizado em