Propriedades Gerais da Matéria

Carolina Batista
Revisão por Carolina BatistaProfessora de Química

As propriedades gerais da matéria são aquelas comuns a qualquer matéria, ou seja, independente do seu estado físico (sólido, líquido ou gasoso), do seu formato, ou qualquer outro aspecto.

A matéria é toda substância, em qualquer estado físico, possui massa e ocupa um lugar no espaço.

Você, por exemplo, é considerado uma matéria. Assim como uma folha de papel, o oxigênio, uma lâmpada, entre outras diversas coisas presentes no Universo.

As 8 propriedades gerais comuns a todas as matérias, são:

  1. massa;
  2. extensão;
  3. divisibilidade;
  4. impenetrabilidade;
  5. compressibilidade;
  6. elasticidade;
  7. descontinuidade;
  8. inércia.

1. Massa

A massa é a quantidade de matéria que um corpo possui, e que pode ser medida numericamente.

Por exemplo, quando você tem uma matéria, como a maçã na imagem abaixo, e faz a medição colocando numa balança, o valor que aparece no aparelho é a massa transformada em número

exemplo de massa

Mas, não confunda massa com peso. A massa pode ser medida na balança, o peso só é encontrado quando se multiplica a massa da matéria com a aceleração da gravidade local.

A maçã do exemplo acima, por exemplo, tem por massa 253 g , mas o seu peso varia conforme a gravidade local.

Na terra, que tem a gravidade 9,8 N, o peso desta maçã é de 2,4794 N (Newton). Enquanto na lua, que tem a gravidade de 1,67 N , a mesma maçã tem o peso de 4.2251 N (Newton).

Isso significa que quanto maior a aceleração da gravidade de um local, maior será o peso da matéria

2. Extensão

A propriedade da extensão explica que qualquer matéria ocupa um lugar no espaço. A medida do espaço que esta matéria ocupa, chama-se volume.

Por exemplo, a água que se encontra dentro de uma garrafa ocupa um lugar no espaço, ou seja, tem uma extensão.

Para saber a medida do espaço que esta água ocupa, por exemplo, é preciso encontrar o volume em uma unidade de medida.

É importante que você saiba que esse espaço ocupado independe do estado físico da matéria, seja ele líquido, gasoso, sólido e até mesmo outros, como o plasma (estado físico de uma estrela, por exemplo).

Veja o significado de matéria.

3. Impenetrabilidade

A impenetrabilidade afirma que duas ou mais matérias não ocupam o mesmo lugar no espaço ao mesmo tempo. Ou seja, uma matéria não consegue penetrar o espaço da outra.

Exemplo: quando você enche uma garrafa com água, ela já está cheia de ar atmosférico. Ao despejar a água, você expulsa o ar e o substitui pela água. A água não penetra o ar.

4. Divisibilidade

A divisibilidade explica que é possível dividir uma matéria em parte cada vez menores, até chegar ao átomo.

Exemplo: quando você rasga uma folha de papel ao meio, as características das duas partes são as mesmas em termo de composição química.

Esta folha também pode ser dividida em partes muito pequenas, mas apresentando as mesmas propriedades.

5. Compressibilidade

Uma matéria pode ser comprimida, ou seja, seu tamanho pode diminuir através de alguma força externa.

Um bom exemplo é a seringa. Quando se prende o lado por onde sai o ar, em uma seringa sem agulha, e empurra o êmbolo, consegue comprimir (diminuir) o espaço ocupado por um gás presente no interior.

Vja também o significado de química.

6. Elasticidade

A elasticidade explica que a matéria consegue voltar a sua forma e volume iniciais, ao sofrer uma deformação.

Um grande exemplo é a barra da ginástica olímpica, que consegue ser esticada a ter certo ponto pelo ginasta, e volta ao seu estado natural.

Ela sofre uma deformação com o impacto do movimento, mas volta ao seu estado natural.

exemplo de elasticidade

Isso não quer dizer que toda matéria pode ser esticada ao máximo e retornará para a mesma forma. Para cada tipo de matéria, há um limite de elasticidade a ser considerado.

7. Descontinuidade

Essa propriedade explica que toda matéria possui espaços vazios que a tornam irregular em sua forma. Esses espaços vazios estão formados entre as moléculas.

Por exemplo, a madeira, mesmo parecendo uma matéria compacta e sem espaços, possui descontinuidade em sua estrutura, vistas através de um microscópio.

8. Inércia

A inércia é a tendência de uma matéria manter a sua velocidade constante. Para mudar a velocidade de um corpo é necessária uma força.

Por exemplo, em um jogo de futebol, a bola só se move ao sofrer a força do chute dos jogadores. Um objeto em cima de uma mesa, também só muda sua velocidade ao sofrer a força de alguém.

Resumo das propriedades gerais da matéria

Para gravar e entender de forma prática as propriedades gerais de uma matéria, veja o resumo abaixo:

  • massa: é a quantidade de massa matéria existente em um corpo;
  • extensão: é o espaço que a matéria ocupa.
  • divisibilidade: quando uma matéria é dividida, ambas as partes possuem as mesmas características químicas;
  • impenetrabilidade: uma matéria nunca pode penetrar outra, ocupando um mesmo espaço ao mesmo tempo;
  • compressibilidade: uma matéria pode ter um formato comprimido sob pressão;
  • elasticidade: a matéria pode esticar (até certo ponto) e voltar ao seu estado normal;
  • descontinuidade: toda matéria possui espaço, ou seja, uma descontinuidade em sua forma, mesmo que microscópica;
  • inércia: a tendência de uma matéria manter a sua velocidade constante.

Propriedades específicas da matéria

As propriedades específicas da matéria são aquelas características únicas e específicas de determinada matéria.

Ou seja, enquanto as propriedades gerais são as características encontradas em todas as matérias, nas específicas encontramos apenas em algumas.

As propriedades específicas da matéria estão divididas em 3 aspectos:

  1. Propriedades físicas: é a propriedade que envolve qualquer tipo de mudança no estado físico da matéria;

  2. Propriedades químicas: é a propriedade que diz respeito às mudanças sofridas na estrutura nas estruturas química da matéria;

  3. Propriedades organolépticas: são aquelas propriedades sentidas por pelo menos um dos nossos 5 sentidos (tato, visão, olfato, paladar e audição).

Propriedades físicas da matéria

  • Ductibilidade: é a capacidade que um material tem de ser transformado em fio e não se quebrar.

Exemplo: cobre e o ouro são metais dúcteis.

  • Maleabilidade: é a capacidade que uma matéria tem de se transformar em lâminas.

Exemplo: ferro e o alumínio são metais maleáveis.

  • Condutividade térmica: é a propriedade que o material tem de conduzir ou não calor.

Exemplo: a panela de ferro conduz calor.

  • Condutividade elétrica: é a propriedade que alguns materiais têm de conduzirem corrente elétrica.

Exemplo: os fios de cobre, alumínio e ouro.

  • Magnetismo: é a propriedade em que um material apresenta atração entre campos magnéticos, que formam ímãs.

Exemplo: magnetita é um mineral magnético.

  • Tenacidade: capacidade de resistência a um choque mecânico, ou seja, ao impacto.

Exemplo: o aço tem alta tenacidade.

  • Dureza: capacidade que uma substância tem de resistir a riscos. Esse risco acontece quando se retira partículas do material;

Exemplo: o diamante é um dos materiais mais duros da natureza.

  • Calor específico: quantidade de calor que um grama de uma substância precisa para elevar 1º (um grau) em sua temperatura.

Exemplo: A água possui o calor específico de 1 cal/g.ºC.

  • Densidade: É a relação entre a massa e o volume de uma substância.

Exemplo: 1kg de algodão e 1kg de chumbo têm a mesma massa, porém o chumbo possui menor densidade, por isso ocupa um menor espaço que 1kg de algodão.

  • Coeficiente de solubilidade: determina a quantidade máxima de uma substância que um solvente consegue dissolver.

Exemplo: Na temperatura de 20 ºC a quantidade máxima de sal que pode ser dissolvida em água é 36 g de NaCl/100 g de água.

  • Ponto de fusão: determina a temperatura em que uma substância muda do estado sólido para o estado líquido.

Exemplo: o derretimento do gelo, por exemplo, é a passagem da água em estado sólido, para estado líquido sob a pressão de 1 atm, à temperatura de 0 ºC.

  • Ponto de ebulição: determina a temperatura em que uma substância muda do estado líquido para o gasoso.

Exemplo: na pressão de 1 atm, o ponto de ebulição da água é 100 ºC. Ou seja, quando a temperatura sai de líquida para gasosa.

  • Ponto de Liquefação: é a propriedade que determina a temperatura em que uma substância muda do estado gasoso para o líquido.

Exemplo: quando o vapor de água se transforma em gotículas de água ao redor de um copo com conteúdo muito gelado.

  • Ponto de solidificação: determina a temperatura em que uma substância muda do estado líquido para o sólido.

Exemplo: quando a água se transforma em gelo.

  • Ponto de sublimação: determina a temperatura que uma substância muda do estado gasoso, diretamente para o estado sólido, ou vice e versa.

Exemplo: a naftalina, por exemplo, consegue se transformar em vapor na temperatura ambiente.

Propriedades químicas da matéria

  • Combustibilidade: capacidade que a matéria tem de queimar, ou seja, sofrer uma reação de combustão.

Exemplo: o álcool e a gasolina são substâncias mais propensas a combustão que outras.

  • Reatividade: capacidade que as substâncias têm de reagirem quimicamente a outras substâncias.

Exemplo: os metais que reagem facilmente são os metais que estão localizados à esquerda da tabela periódica.

  • Oxidantes e redutoras: é a propriedade que uma matéria tem de transferir elétrons numa reação química. Quando uma substância perde elétrons, é a oxidada. Quando ganha elétrons, é a reduzida.

Exemplo: o ferro, que sofre a oxidação e forma a ferrugem.

  • Explosibilidade: é quando a matéria tem capacidade de explodir e automaticamente mudar a sua estrutura química.

Exemplo: o TNT é uma substância utilizada em explosivos. Outras substâncias dependem de ácidos, água e outras substâncias para sofrer esta explosão. Os remédios efervescentes são exemplos disso.

Propriedades organolépticas da matéria

  • Cor: ativadas pela nossa visão, a cor é a pigmentação de uma matéria.
  • Brilho: é a capacidade de uma substância refletir luz. Os metais são grandes exemplos de matérias com brilho. Quando não há brilho, dizemos que a substância é fosca.
  • Transparência: é a capacidade que uma matéria tem de permitir a passagem de luz, como o vidro, por exemplo. Quando ela não permite a passagem de luz, a chamamos de opaca, como o espelho.
  • Odor: é a capacidade que impressiona o nosso olfato. Algumas matérias são odoríferas, ou seja, possuem odor, como a canela, e outras não possuem odor, como a água.
  • Sabor: é a capacidade que uma matéria tem de ter sabor ou ser insípida (não tem sabor). Exemplo: vinagre, com sabor azedo e água, que não tem sabor.
  • Estado de agregação: é o estado físico da matéria, e pode estar no estado sólido, líquido ou gasoso.
  • Textura: é a propriedade da matéria caracterizada pela sua porosidade, lisura, aspereza, grossura, entre outras características.

Veja também o significado de:

Data de atualização: 23/10/2020.

Carolina Batista
Revisão por Carolina Batista
Técnica em Química pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco (2011) e Bacharelada em Química Tecnológica e Industrial pela Universidade Federal de Alagoas (2018).