Tempo histórico

O que é tempo histórico?

O tempo histórico são as referências históricas utilizadas para organizar os acontecimentos mais importantes e as grandes mudanças das sociedades e civilizações.

É uma forma de contar o tempo a partir da ação dos seres humanos na Terra, pelas experiências que um povo, nação ou toda humanidade passaram.

O tempo histórico é marcado por grandes acontecimentos, como guerras, quedas de impérios, grandes construções, grandes epidemias e mudanças de regimes.

Os tempos históricos marcam diferentes formas de organização política, econômica, social e cultural das civilizações e podem variar entre grupos sociais.

Diferença entre tempo histórico e tempo cronológico

O tempo cronológico é o tempo dos relógios e dos calendários, esse tempo é medido em frações exatas e constantes de tempo: um dia tem sempre 24 horas, uma hora tem sempre sessenta minutos e um ano tem sempre 12 meses.

O tempo cronológico começou a ser medido pelos fenômenos naturais como a posição do sol e as fases da lua. Em seguida, o homem criou instrumentos para controlar o tempo, como a ampulheta, o relógio e o calendário.

Diferente do tempo cronológico, o tempo histórico é o tempo marcado por grandes acontecimentos, como por exemplo:

  • Desenvolvimento e declínio de grandes civilizações;
  • Surgimento da escrita;
  • Descobrimento do continente americano;
  • Primeira e Segunda Guerra Mundial;
  • Guerra Fria;
  • Revolução Francesa e Revolução Industrial.

O tempo histórico não respeita a previsibilidade e o rigor dos calendários ou relógios, ele é impreciso e imprevisível e sua contagem considera a sequência de eventos de curta e longa duração.

Existem diferentes formas de fazer a contagem do tempo histórico

O tempo é uma criação cultural e cada civilização desenvolve diferentes formas de compreendê-lo e contá-lo, o que pode ser observado nos diferentes calendários existentes.

Considerando as três maiores religiões monoteístas existentes, temos 3 diferentes calendários:

Calendário Cristão ou Gregoriano

O calendário da Igreja Católica se inicia com o nascimento de Jesus Cristo durante a Idade Antiga. Esse é um dos principais marcos para a contagem do tempo em nossa civilização.

O ano do nascimento de Cristo é considerado o ano 0. Todos os anos que antecedem seu nascimento são contados de maneira decrescente e trazem junto as letras a.C (antes de Cristo).

Calendário Judaico ou Hebraico

O calendário judaico se iniciou no ano 3761 a.C, que segundo a tradição judaica foi o ano da criação de Adão. Isso significa que em 2020, estaríamos no ano 5780 ou 5781 (conforme o mês) do calendário hebraico.

Esse calendário também está dividido em 12 meses, mas esses meses não correspondem à mesma divisão de meses do calendário cristão.

Calendário Muçulmano

O calendário muçulmano é utilizado pela religião islâmica e se inicia no ano de 622 do calendário cristão, isto é, 622 anos depois do nascimento de Cristo.

Esse é o ano que marca a data em que Maomé fugiu de Meca para Medina, evento conhecido como Hégira. Esse calendário se baseia nas fases da lua e também possui 12 meses.

Saiba mais sobre o Calendário Gregoriano.

O tempo era percebido de maneira diferente em algumas civilizações

A nossa civilização se baseia, sobretudo, no calendário gregoriano, que é organizado de forma linear com começo, meio e fim. O início é marcado pelo nascimento de Jesus Cristo e o fim, segundo a Bíblia, será marcado com o seu retorno.

Outras civilizações, no entanto, compreendem o tempo de maneira diferente. Para os Maias e Astecas, por exemplo, o tempo acontecia em ciclos que se repetiam, por isso, seu calendário era circular.

Linha do tempo da história da humanidade

O tempo histórico da nossa civilização é dividido em grandes fases, conforme descrito na linha do tempo:

Linha do tempo histórico

Em cada uma dessas fases, a civilização apresentou características em comum que permitem a sua classificação:

Pré-história

A pré-história corresponde a todo o período anterior ao surgimento da escrita e costuma ser dividido em duas fases: Idade da Pedra e a Idade dos Metais.

  • Idade da Pedra: se inicia há cerca de 2 milhões de anos, com o surgimento do gênero Homo e se estende até cerca 5.000 a.C, quando se inicia a Idade dos Metais;
  • Idade dos Metais: marca o período em que os hominídeos começaram a fabricar objetos com metal. Essa fase dura até meados de 3.000 a.C, quando surge a escrita.

Idade antiga

A Idade Antiga surge com o escrita e é o período das primeiras civilizações, caracterizadas por organizações políticas e sociais complexas e hierarquicamente estruturadas.

Nesse período destacam-se as civilizações orientais egípcia, mesopotâmica, os persas, os hebreus e os fenícios. Também é o período do desenvolvimento das civilizações chinesa e indiana.

Nas civilizações ocidentais, destacam-se os gregos e os romanos, que tiveram grande influência sobre a formação cultural, política e social de todo o Ocidente.

Foi nesse período também que as civilizações Incas, Maias, Astecas e Olmecas, desenvolveram-se no continente americano.

Idade Média

A Idade Média se estendeu do século V ao século XV e foi marcada pelo desenvolvimento do sistema econômico político e social chamado feudalismo. Essa fase é dividida entre a Alta Idade Média e a Baixa Idade Média:

  • Alta Idade Média: desenvolvimento e auge do sistema feudal;
  • Baixa Idade Média: declínio do sistema feudal e início do desenvolvimento do capitalismo.

Idade Moderna

Na Idade Moderna o capitalismo mercantil se desenvolve enquanto o sistema de produção dominante e o absolutismo se estabelece enquanto forma de governo.

Esse é o período das grandes navegações, da descoberta de novos continentes e da colonização e exploração de diversos países na Ásia, Africa e Américas pelas nações europeias.

Idade Contemporânea

A Idade Contemporânea se inicia com a Revolução Francesa, que abre caminho para outras revoluções burguesas que colocam fim aos regimes absolutistas na Europa.

Essa fase também destaca-se pela Revolução Industrial e pelas guerras de independência realizadas na América Latina.

Quais são outras formas de contar o tempo?

Podemos nos deparar também, com outras formas de contar o tempo, como o tempo biológico, o tempo geológico e o tempo psicológico.

Tempo biológico

O tempo biológico refere-se às fases da vida, como o nascimento, o desenvolvimento a reprodução e a morte. Esse tempo é diferente para a espécie humana e para outros animais.

Enquanto o ser humano pode chegar a viver cerca de 100 anos, algumas espécies, como as moscas, vivem entre 15 e 30 dias. Isso significa que o ciclo de vida e morte de uma mosca respeita um tempo muito diferente do tempo de um ser humano.

Tempo geológico

O tempo geológico é utilizado para descrever a cronologia da formação geológica da Terra e as suas mudanças desde que o planeta se formou.

Acredita-se que a Terra exista há cerca de 4,6 bilhões de anos. Isso significa que toda a formação rochosa do planeta é resultado de milhões ou bilhões de anos de atividades na crosta terrestre.

Assim, os limites de tempo utilizados como referência para a geologia são enormemente maiores que os dos homens, que surgiram na Terra há apenas cerca de 130 mil anos.

Tempo psicológico

O tempo psicológico é outro tipo de marcação de tempo e está relacionado com a percepção da passagem do tempo pelos indivíduos.

Quando uma pessoa passa por uma experiência com forte intensidade emocional, por exemplo, ela pode ter a sensação de que a experiência durou muito mais ou muito menos do que o tempo cronológico marcaria.

Entenda também qual é o significado de tempo.

Data de atualização: 22/04/2020.