Significado de Analfabetismo funcional

O que é Analfabetismo funcional:

Analfabetismo funcional é a incapacidade de compreender textos e operações matemáticas simples e de organizar as próprias ideias para expressar, por exemplo, uma argumentação.

Um analfabeto funcional não é necessariamente uma pessoa que não saiba ler nem escrever, mas sim um indivíduo que tenha dificuldades de comunicação.

De acordo com o conceito de analfabetismo funcional, o indivíduo pode ser capaz de identificar e ler números, letras, palavras e até frases, mas não conseguir reunir essas informações e assimilá-las como um todo. Trata-se de um problema de interpretação.

O conceito se aplica não só aos receptores das mensagens, mas também aos emissores. Acontece de o indivíduo não conseguir estabelecer uma comunicação eficiente em determinadas situações devido a uma grande dificuldade de se expressar.

Uma das maiores causas do analfabetismo funcional é a qualidade do ensino. No Brasil, por exemplo, nota-se uma maior importância da quantidade em detrimento da qualidade. São muitos diplomas e poucos conhecimentos.

A progressão continuada, que muitos chamam de aprovação automática, da educação pública brasileira acaba por perpetuar a formação de alunos que terminam seus estudos sem adquirir os conhecimentos necessários.

Alfabetismo Funcional

O alfabetismo funcional é justamente o oposto do analfabetismo funcional, ou seja, é a capacidade de compreender textos e operações matemáticas simples e de organizar as próprias ideias.

Níveis de alfabetismo funcional

O alfabetismo funcional foi classificado em diferentes grupos de acordo com as capacidades apresentadas pelos indivíduos que respondem às pesquisas.

A escala de alfabetismo do INAF (Indicador de Alfabetismo Funcional), está dividida em cinco grupos.

Veja abaixo que grupos são esses e confira os principais pontos de cada um:

Analfabeto

  • não consegue realizar tarefas simples como a leitura de frases e palavras

Rudimentar

  • consegue identificar informações explícitas e literais em textos simples
  • compara, lê e escreve números familiares e consegue identificar os maiores e os menores
  • resolve problemas matemáticos simples e estabelece relações entre grandezas e unidades de medida
  • reconhece sinais de pontuação e sabe suas respectivas designações e funções

Elementar

  • seleciona unidades de informação em textos de extensão média
  • resolve problemas envolvendo operações matemáticas básicas com números da ordem do milhar
  • compara ou relaciona informações numéricas ou textuais apresentadas em gráficos ou tabelas
  • sabe reconhecer o que significa uma representação gráfica de direção e/ou um sentido de uma grandeza

Intermediário

  • consegue identificar informações literais em vários tipos de texto, inclusive nos científicos
  • resolve problemas envolvendo operações matemáticas complexas com números da ordem dos milhões
  • consegue interpretar diversos tipos de textos e elaborar sínteses
  • reconhece o efeito estético ou o efeito de sentido de opções lexicais ou sintáticas, de figuras de linguagem ou de sinais de pontuação

Proficiente

  • produz textos de maior complexidade (mensagem, descrição, exposição ou argumentação)
  • interpreta tabelas e gráficos envolvendo mais de duas variáveis
  • consegue resolver situações-problema relacionadas com tarefas de contextos diversos

São considerados analfabetos funcionais, os indivíduos que integram os grupos “Analfabeto” e “Rudimentar”

Analfabetismo Funcional no Brasil

O analfabetismo funcional no Brasil é avaliado pelo Instituto Paulo Montenegro (IPM). Esse instituto tem uma parceria com a ONG Ação Educativa, apoiada pelo IBOPE inteligente, com o objetivo de mensurar o nível de alfabetismo da população brasileira entre os 15 e os 64 anos.

Essa análise é feita através do INAF, pesquisa que avalia habilidades e práticas de leitura, de escrita e de matemática da população aplicadas ao cotidiano.

Em 2016, por exemplo, o IPM realizou um estudo para definir o índice de alfabetismo funcional do brasileiro no mundo do trabalho. Para a pesquisa, foram escolhidas 2002 pessoas de áreas urbanas e rurais de todas as regiões do Brasil.

Os resultados mostraram que 27 % dos participantes foram considerados analfabetos funcionais (4% foram classificados com o nível “analfabeto” e 23 % com o nível “ rudimentar”). O nível de alfabetismo dos restantes participantes foi classificado da seguinte maneira: 42% têm nível elementar, 23% têm nível intermediário e 8% têm nível proficiente.

De acordo com a pesquisa, é possível ter uma noção de quem são os analfabetos funcionais. O grupo foi dividido em diferentes quesitos para simplificar a compreensão dos resultados. Veja abaixo quais indivíduos integram majoritariamente cada quesito:

  • escolaridade: indivíduos com nenhuma escolaridade ou com escolaridade máxima equivalente ao Ensino Fundamental
  • gênero: indivíduos do sexo masculino
  • faixa etária: indivíduos com idade igual ou superior a 50 anos
  • raça: indivíduos de raça negra
  • situação de trabalho: pessoas desempregadas ou com funções de dona de casa

Alfabetização funcional

A alfabetização funcional é um processo de ensino e aprendizagem voltado para fins específicos.

Esse tipo de ensino é focado no desenvolvimento de capacidades relacionadas com a vida adulta, como a realização de tarefas do cotidiano, tanto em um contexto de trabalho quanto em um contexto de vida em comunidade.

Data de atualização: 04/04/2018. O significado de Analfabetismo funcional está nas categorias: Geral, Língua Portuguesa