Oxóssi

Quem é Oxóssi:

Oxóssi é uma divindade das religiões africanas, também conhecida como orixá, que representa o conhecimento e as florestas.

Oxóssi

Normalmente, esse orixá é representado pela figura de um homem que tem em suas mãos um arco e flecha, considerado uma espécie de guardião e caçador.

Para as religiões afro-brasileiras, como a Umbanda e o Candomblé, Oxóssi é ligado ao conhecimento e à natureza. Ele sempre enaltece tudo o que a natureza pode proporcionar, conforme a necessidade humana.

Por esta razão, também é conhecido como o orixá da caça, da fartura e do sustento.

Na África antiga, Oxóssi era considerado o guardião dos caçadores, responsável por trazer o sustento para a tribo. Hoje em dia, ele protege todos os que saem de casa diariamente para o trabalho, pois é deste esforço que vem o sustento das famílias.

Algumas das principais características de Oxóssi são:

  • Expansor;
  • Elementos: vegetal e água;
  • Polaridade: Obá;
  • Cores: verde, azul-escuro e magenta;
  • Símbolos: arco e flecha (Ofá) e rabo de boi (Eruexim);
  • Saudações: Okê Oxóssi e Okê Arô.

Oxóssi também é considerado um orixá de contemplação, amante das artes e das coisas belas, sendo também um caçador de axé.

Ou seja, ele busca as boas influências e energias positivas para um ilé, espaço onde são realizadas as festas públicas no Candomblé.

Os considerados "filhos de Oxóssi", de acordo com a religião, são dotados de algumas características que definem seu comportamento e remetem ao orixá.

De acordo com a interpretação desta crença, os filhos de Oxóssi são bastante agradáveis, alegres e comunicativos, além de ótimas companhias.

Veja mais sobre o Axé.

História de Oxóssi

Na história dos deuses africanos, Oxóssi é filho de Oxalá e Iemanjá, e seu nome tem origem do iorubá, linguagem especificamente africana, que significa “guardião popular”.

Ele é considerado o rei de Ketu, pois livrou a população de um dos pássaros de Eleyé (donas de pássaros que possuem espíritos maléficos). Quebrou, assim, um feitiço lançado sobre aquele povo.

Segundo a lenda, Oxóssi não precisa de mais do que uma flecha para atingir seu alvo e por esta razão é também chamado de Otokan Soso (ou seja, o guerreiro com uma flecha que nunca erra o alvo).

Veja mais sobre Oxalá e Iemanjá.

Oxóssi e o sincretismo na igreja católica

Nas tradições da igreja católica, o orixá Oxóssi é sincretizado com São Sebastião, sendo homenageado no dia 20 de janeiro.

Entretanto, no estado da Bahia, ele também é sincretizado com São Jorge, santo reconhecido pela força, garra e por enfrentar tudo que vem pela frente.

Veja também: