Significado de Arquitetura Grega

Sónia Cunha
Revisão por Sónia CunhaLicenciada em História da Arte

O que é a Arquitetura Grega:

A arquitetura da Grécia Antiga vai lançar os alicerces para o que será construído no ocidente durante os seguintes séculos, sendo a sua influência encontrada até aos nossos dias.

Aos gregos deve-se a criação de uma linguagem arquitetônica totalmente nova, destacando-se as ordens gregas. Assim como a fundamentação dos conceitos-base não só da arquitetura, como também da escultura e da pintura, e a formulação de regras para a criação artística.

Baseada em cálculos e proporções perfeitas e influenciada pela mitologia, a arquitetura grega dá principal atenção à construção de templos.

Os templos eram locais concebidos para os deuses e onde eram encontradas esculturas arquitetônicas que os representavam.

Os templos eram construídos em locais altos para que pudessem ser vistos de diferentes ângulos. Inicialmente em madeira, passam a ser construídos em pedra no final do século VII a.C.

A maioria dos templos era feita em mármore ou cobertos por essa pedra, mas também se construía em calcário, por exemplo. Há também provas que os edifícios seriam pintados e as cores mais usadas eram o vermelho e o azul.

Além dos templos, os gregos também se destacaram na construção de estádios, teatros e praças públicas, sendo que a construção das habitações era mais descuidada nessa época.

Os templos gregos

Os templos gregos são as obras mais famosas da arquitetura grega. Eles eram construídos para os deuses e também serviam de abrigo para as esculturas que retratavam essas divindades.

Os templos também foram utilizados como locais de eventos e cerimônias políticas e religiosas. Eram portanto, locais de convívio social.

O espaço onde eram construídos esses templos era um fator importante, buscavam-se locais altos, que valorizassem as obras e pudessem ser vistas de diversos lugares.

Um dos edifícios mais conhecidos e monumentais da Grécia antiga é o Parthenon. Erguido durante a reconstrução da Acrópole de Atenas (que havia sido destruída pelos Persas c. 480 a.C.), é um dos templos que constitui e define a fase clássica da arte grega.

Parthenon foi consagrado à deusa Atena, que deu nome à cidade de Atenas e era sua padroeira. De ordem dórica, foi construído em mármore branco e no local mais elevado da cidade, atraindo para si toda a atenção dos arredores.

Durante os séculos seguintes, e depois de servir à deusa Atena, o Parthenon também serviu como igreja bizantina, catedral católica e, por fim, mesquita turca.

Hoje está em ruínas, estado em que ficou a partir de 1687, quando era utilizado como paiol dos otomanos e explodiu durante um cerco (operação militar).

No século XIX os ingleses pilharam o seu interior e de lá arrancaram a maioria das esculturas, que hoje se encontram no Museu Britânico.

Arquitetura gregaParthenon, Acrópole - Grécia.

Um dos templos mais antigos e mais bem preservados, o Paestum, está localizado no sul da Itália e foi construído em 550 a.C. Esse templo foi construído em homenagem à deusa Hera e considerado Patrimônio Histórico Mundial pela Unesco.

Arquitetura gregaTemplo Paestum, Salerno, Itália.

Outra obra monumental dos gregos foi o Templo de Erechtheion, também localizado na Acrópole de Atenas, de frente para o Parthenon. Construído entre 421 e 405 a.C., era um santuário com funções religiosas e seu nome é inspirado em Erectheus, um rei lendário de Atenas.

Erechtheion é famoso também pelas Cariátides, esculturas de mulheres que serviam de coluna em um dos Pórticos do templo.

Arquitetura gregaTemplo de Erechtheion, Acrópole - Grécia.

As ordens arquitetônicas

A principal característica da arquitetura grega foi a criação de três ordens arquitetônicas: a dórica (mais antiga), a jônica e a coríntia (a coríntia é uma variante da ordem jônica).

Uma ordem é uma estrutura arquitetônica formada pelo entablamento (base), coluna e envasamento (parte superior à coluna), com regras e características próprias.

Os nomes das ordens estão ligados à repartição geográfica da Grécia Antiga, mas a utilização dessas ordens se mistura na Acrópole de Atenas. Atenas é uma região jônica, mas na Acrópole, por exemplo, existem construções dóricas.

Arquitetura gregaColunas de ordem dórica, jônica e coríntia, respectivamente.

Ordem Dórica

Surgiu no início do século VII a.C. - Período Arcaico - e é o estilo de colunas mais rústico entre os três, isto é, possui menos ornamentos.

As colunas da ordem dórica seguem rigorosas proporções matemáticas, são caneladas e não possuem base. Esse estilo se desenvolveu na parte continental da Grécia e se espalhou pela Itália.

Ordem Jônica

Desenvolvida junto ao mar Egeu e em especial em Atenas, esta ordem é mais delicada e diferencia-se do dórico sobretudo pelas colunas, que agora se assentam em uma base emoldurada e possuem um capitel (extremidade superior da coluna) mais ornamentado.

As volutas, são como dois rolos que enfeitam o capitel das colunas jônicas mais alongadas e lhe dão um caráter menos muscular que as do dórico.

Ordem Coríntia

A ordem Coríntia é uma variante mais trabalhada da ordem Jônica. O capitel coríntio tem a forma de sino invertido e está coberto de folhas de acanto.

Inicialmente concebido para decorar interiores apenas, aos poucos começou a substituir os capitéis jônicos, sendo muito utilizado entre o final do século V a.C. e início do século IV a.C.

Períodos da Grécia Antiga

A arquitetura grega foi desenvolvida ao longo de séculos e é dividida entre três períodos históricos:

  • Período Arcaico: é a fase inicial da arquitetura grega e corresponde ao período entre os séculos VII ao VI a.C.
  • Período Clássico: foi uma época de grande desenvolvimento da Grécia, inclusive das artes e arquitetura e ocorreu entre os séculos V e IV a.C.
  • Período Helenístico: período do enfraquecimento e decadência da Grécia, foi do século IV ao século I a.C.

Características da arquitetura grega

Apesar dos diferentes estilos, a arquitetura grega tem características inerentes em todas as suas construções, veja algumas delas:

  • Presença de colunas e pórticos.
  • Formas harmoniosas e em proporções rigorosas.
  • Obras monumentais (grandiosas).
  • Construções para uso público (estádios, templos, teatros, etc).

Outras construções da arquitetura grega

Além dos templos, os gregos construíram estádios, teatros, praças públicas e espaços de convívio social.

Uma curiosidade sobre as construções gregas é que a precisão e complexidade das obras para uso público não eram aplicadas na construção de suas moradias. As casas eram construídas de modo desordenado e caótico.

Os teatros

Os teatros gregos eram lugares importantes de convívio social e se assemelham às peças teatrais nos dias de hoje. Acredita-se que a forma em arena que os teatros eram construídos, inspiraram a disposição dos teatros existentes na atualidade.

Arquitetura gregaTeatro da Grécia Antiga, Atenas.

Os estádios

Os estádios, uma herança deixada pelos gregos à nossa sociedade, eram locais destinados à prática de esportes. Alguns estádios tinham a capacidade para mais de 30 mil pessoas.

Arquitetura gregaEstádio na Grécia antiga, Atenas.

As praças públicas

Também chamadas de Ágoras, as praças públicas eram locais destinados às discussões relacionadas à vida na cidade, como justiça, cultura, obras públicas - eram espaços para o exercício da democracia.

Arquitetura gregaÁgora em Atenas, Grécia.

Veja também o significado de Grécia Antiga, mitologia grega e pólis.

Data de atualização: 13/06/2019.

Sónia Cunha
Revisão por Sónia Cunha
Licenciada em História da Arte pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto (2003), e em Conservação e Restauro pelo Instituto Politécnico de Tomar (2006).