Significado de Arquitetura

O que é Arquitetura:

Arquitetura é a arte e técnica de projetar uma edificação ou um ambiente de uma construção. É o processo artístico e técnico que envolve a elaboração de espaços organizados e criativos para abrigar diferentes tipos de atividades humanas.

A arquitetura é a disposição das partes ou dos elementos que compõem os edifícios ou os espaços urbanos em geral.

Essa arte é composta pelo conjunto dos princípios, normas, técnicas e materiais utilizados pelo arquiteto, para criar um espaço arquitetônico. O arquiteto é o profissional legalmente habilitado para o exercício da arquitetura.

Etimologicamente, a palavra arquitetura se originou a partir do grego arkhitekton, junção dos termos arkhé ("principal") e tékhton ("construtor" ou "construção"). No entanto, antes de chegar à Língua Portuguesa a palavra foi absorvida pelo latim, architectus

O que faz o arquiteto?

O arquiteto é o profissional responsável por planejar, organizar e coordenar a construção de edifícios, conjugando aspectos relacionados ao conforto, funcionalidade e estética do imóvel. 

É o arquiteto quem constrói a planta para uma obra, assim como escolhe os materiais e a disposição de toda a construção. Para isso, o profissional precisa levar em consideração a acústica, a manutenção, a iluminação, a ventilação, o impacto ambiental, entre outros fatores que poderão influenciar na qualidade final da construção.

Ao contrário do engenheiro civil, por exemplo, o trabalho do arquiteto é direcionado para a resolução estética e funcional da obra. Por outro lado, a engenharia se encarrega de solucionar questões estruturais e técnicas do projeto, assim como dos materiais a serem utilizados.

Curso de Arquitetura

Para atuar como arquiteto a pessoa deve ter diploma de um curso superior em Arquitetura em uma instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC). Além disso, o recém-formado também precisa estar devidamente registrado no Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU).

Os cursos de Arquitetura (normalmente intitulados "Arquitetura e Urbanismo", no Brasil) têm duração média de 5 anos. O foco da formação está em disciplinas de Artes e Humanidades, mas também é importante o desenvolvimento de conhecimentos nas áreas de Exatas, como matemática e física, por exemplo.

No mercado de trabalho, o arquiteto pode atuar em diversas áreas, como a arquitetura de interiores, arquitetura industrial, restauro de prédios, urbanismo (planejamento de espaços urbanos), etc.

Símbolo da Arquitetura

símbolo de arquitetura

O símbolo é formado a partir da união de um esquadro (espécie de régua usada para desenhos com linhas retas precisas) e um compasso. A composição da imagem cria uma representação do Céu e da Terra.

A posição do compasso remete à abóbada celeste, enquanto que o esquadro simboliza a Terra e todas as coisas nela fixas.

Estilos de arquitetura

Cada civilização, em diferentes épocas da história, construiu projetos arquitetônicos com base em elementos próprios. A inspiração para essas particularidades está na cultura, tradição e modo de vida das respectivas sociedades.

Arquitetura moderna

arquitetura moderna - MASP

Museu de Arte de São Paulo (MASP), Lina Bo Bardi (arquiteta)

O Modernismo foi um conjunto de movimentos artístico-culturais que emergiu no começo do século XX e que também influenciou o estilo arquitetônico da época.

As construções eram inspiradas no espírito da Revolução Industrial que atingia o seu auge. Os arquitetos davam preferência ao uso do ferro, vidro e concreto armado como principais materiais de suas obras. 

Os desenhos de caráter industrial tinham formas simples, geométricas e, ao contrário da arquitetura clássica, com pouca (ou nenhuma) ornamentação.

A prioridade estava na funcionalidade dos edifícios, ou seja, o modo como estes podiam ser integrados na vida urbana e no cotidiano das pessoas.

Também foi com os avanços trazidos durante a arquitetura moderna que foram construídos os primeiros arranha-céus no mundo. Este tipo de construção é, sem dúvida, um dos maiores marcos desse estilo arquitetônico.

Oscar Niemeyer, Le Corbusier e Lina Bo Bardi podem ser considerados alguns dos arquitetos mais importantes do modernismo.

Arquitetura contemporânea

Centro Heydar Aliyev - Arquitetura Contemporânea

Centro Heydar Aliyev, Zaha Hadid (arquiteta)

Muita gente confunde o estilo arquitetônico moderno com o contemporâneo, principalmente por achar que o termo "moderno" é sinônimo de contemporaneidade. Na realidade, ambos são diferentes e retratam períodos distintos.

A chamada arquitetura contemporânea consiste em um conjunto de diferentes referências de estilos. Esse é o reflexo de uma das características de maior destaque da pós-modernidade: o pluralismo

Os arquitetos contemporâneos priorizam o uso da luz natural e, principalmente, a integração da construção com o meio ambiente, sem provocar impactos negativos para o bioma local.

As obras geralmente apresentam formato irregular, com janelas em grandes dimensões (meio de obter maior luz natural), e pelo uso de materiais recicláveis. 

Esse estilo também tem tendência a incorporar novas tecnologias, como a Internet das Coisas, criando uma relação de comunicação direta entre as pessoas e o edifício.

Arquitetura romana

Coliseu de Roma - Arquitetura Romana

Coliseu de Roma (Anfiteatro Flaviano)

Com influência da arquitetura dos gregos e etruscos, a romana faz parte da fase clássica dos estilos arquitetônicos.

Os arquitetos romanos viam a necessidade de expressar através de suas obras uma idealização de beleza, mas também representar a realidade vivida pelos cidadãos. 

Ao contrário da arquitetura grega, esta mantinha as suas construções predominantemente em áreas urbanas. Era comum o planejamento de templos, termas, aquedutos e anfiteatros.

Esteticamente, o que caracteriza a arquitetura romana é a valorização dos arcos, uma herança dos etruscos. Além disso, as construções costumavam ter grandes abóbodas e espaços internos livres de colunas. 

Arquitetura grega

Arquitetura grega

Acrópole

A arquitetura grega, famosa por suas grandes obras, alcançou seu máximo no governo de Péricles, sobretudo em Atenas. 

Os grandes nomes da arquitetura grega foram Ictínio e Calícrates, responsáveis pela construção de vários monumentos. Os templos eram as principais obras, construídos em pedra talhada, de tal modo ajustados que dispensavam argamassa. 

Uma das principais características deste estilo é o uso de colunas. Estas estavam divididas em três modelos arquitetônicos distintos, seja pela forma e feitio: 

  • o dórico, apresentando colunas de linhas rígidas e capitel liso, dos quais o mais famoso é o Partenon, em Atenas; 
  • o jônico, caracterizado pela leveza e elegância das colunas, visível no templo da deusa Niké, também em Atenas;
  • o corinto, com a parte superior (capitel) ornamentada em forma de folhas, encontrado no Templo de Apolo em Corinto, na atual Turquia.

Arquitetura gótica

Duomo de Milão

Duomo de Milão (Catedral de Milão) 

O auge da arquitetura gótica foi entre os séculos XII e XIII. No entanto, esse estilo arquitetônico apenas ficou conhecido como "gótico" a partir do século XV, pelos Renascentistas. 

A arquitetura gótica floresceu em meio ao renascimento do comércio (baixa Idade Média), quando as cidades começavam a crescer. 

As principais construções da época eram as igrejas, que reuniam algumas das características mais fortes do período gótico: 

  • arcos ogivais;
  • abóbadas formadas por um conjunto de arcos ogivais;
  • fachadas com três arcos;
  • arcobotante.

Essas inovações estruturais permitiram que, pela primeira vez, as construções pudessem ter uma maior verticalidade. Por isso, as catedrais góticas são conhecidas por sua elevação vertical imponente.

Além disso, a arquitetura gótica também valorizava bastante as fachadas decorativas. Era comum o uso de esculturas expressivas, rendilhados, balaustradas ricas em detalhes e vitrais/rosáceas coloridos.

Arquitetura renascentista

Basílica de São Pedro - Arquitetura Renascentista

Basílica de São Pedro

Teve maior representatividade entre os séculos XV e XVI, período em que a sociedade europeia sofria intensas transformações ideológicas. 

A arquitetura renascentista se opunha ao estilo gótico (considerava muito feio). Por outro lado, valorizava aspectos que remetiam aos conceitos do antropocentrismo, a perfeição simétrica com proporções rigorosas e o "Homem-Razão".

Entre algumas das principais características estéticas da arquitetura renascentista, destaque para:

  • Valorização da simetria;
  • Horizontalidade na forma;
  • Colunas suportadas por mísulas;
  • Alternância de frontões; 
  • Arcos semicirculares;
  • Valorização de traços delicados e articulados.

Arquitetura sustentável

Considerada uma vertente forte dentro da arquitetura contemporânea, o estilo arquitetônico sustentável começou a se popularizar entre as décadas de 1980 e 1990.

Como o nome sugere, os arquitetos buscam garantir a Sustentabilidade do meio ambiente, fazendo com que as construções não provoquem impactos negativos na natureza.

Para isso, existem alguns princípios que caracterizam a arquitetura sustentável, como:

  • Planejamento da obra tendo como base primordial toda a envolvência natural (ecossistemas, hidrografia, geologia, etc), assim como as condições climáticas do local;
  • Reduzir ao máximo o consumo de energia gasto na obra, priorizando o uso de fontes de energia limpa/renováveis;
  • Uso de materiais ecológicos, reciclados e regionais (evita o desgaste ambiental que o transporte de materiais poderiam provocar);
  • Garantir que a obra final esteja integrada com o meio ambiente;
  • Garantir a economia de água durante a construção do edifício, assim como disponibilizar a infraestrutura adequada para que o prédio seja capaz de economizar água (instalar temporizadores / sensores nas torneiras e chuveiros, por exemplo);
  • Garantir que a construção produza energia de modo sustentável (instalação de painéis solares, por exemplo).

Saiba mais sobre a Sustentabilidade.

Data de atualização: 14/04/2018. O significado de Arquitetura está na categoria: Geral