Características do Império Romano

Juliana Bezerra
Revisão por Juliana BezerraProfessora de História

O Império Romano durou de 27 a.C. – 476 d.C. Durante esse período, o poder era exercido pelos imperadores. Havia ainda o senado, os governadores das províncias e os generais.

Os primeiros séculos do Império Romano foram marcados por uma fase próspera e estável no que diz respeito ao contexto político. No seu auge, o Império chegou a ocupar cinco milhões de quilômetros quadrados e a representar 21% da população mundial.

Conheça agora 7 importantes características desse período:

1. Os senadores tinham cargo vitalício

senadores roma

Em Roma, os senadores eram escolhidos tendo em conta a riqueza e o estatuto social ocupado pelos cidadãos. Eles pertenciam a uma camada social chamada patrícia e eram os donos das propriedades de produção agrícola.

De início, o processo de seleção desses cargos acontecia entre cidadãos que faziam parte da nobreza. No entanto, em outros períodos chegou a contemplar também a camada social dos plebeus.

Durante o Império, os senadores sempre representaram o estamento mais alto do Estado Romano.

2. O Império Romano foi politeísta

O politeísmo consiste em uma crença que contempla a adoração de diferentes divindades e a crença dos romanos incluía elementos que pertenciam a diferentes tipos de cultos.

O politeísmo do Império Romano tinha influência principalmente de crenças gregas, etruscas e orientais.

O período de declínio da crença politeísta no Império Romano ocorreu por conta da ascensão do Cristianismo, entre os séculos I e IV, que veio mais tarde a se tornar a religião oficial do Império.

Veja também o significado de Politeísmo.

3. Os golpes militares eram uma das formas de conquista

golpe militar império romano

A chegada ao poder e a obtenção de novos territórios do Império acontecia muitas vezes através de golpes de Estado e de avanços realizados com o auxílio do exército romano.

Um exemplo foi a conquista realizada pelo imperador Júlio César (100 a.C - 44 a.C), que invadiu a cidade de Roma sob a proteção do exército, assumindo o poder de forma ditatorial.

O exército também tinha a função de proteger os territórios já conquistados através de golpes militares.

4. A economia era baseada na agricultura e na mineração

A economia do Império Romano era majoritariamente baseada na agricultura, setor que empregava a maior parte dos trabalhadores comuns.

Os romanos foram responsáveis pela melhoria dos processos de colheita através da incorporação de um método de irrigação feito por meio de aquedutos. Acredita-se também que, além da utilização de animais para lavrar a terra, os romanos tenham recorrido a recursos mecanizados.

Outra atividade importante para a economia do Império Romano era a mineração, as explorações mineiras incluíam minas a céu aberto e subterrâneas.

Os principais minérios manipulados durante o período foram chumbo, cobre, estanho, ferro, ouro e prata.

5. Tiveram grande impacto no domínio da arquitetura

Roma

A arquitetura romana é muito conhecida por seus inúmeros templos, tribunais, palácios, arcos e banhos públicos, possuindo importância na arquitetura mundial até os dias atuais. Foi influenciada pela arquitetura grega e por suas ordens arquitetônicas (dórica, jônica e coríntia).

Os aquedutos são um destaque da arquitetura grega. São refinados sistemas de abastecimento de água que foram criados para irrigar as cidades.

A arquitetura romana é caracterizada essencialmente por suas obras grandiosas, pelo uso de colunas e arcos e por uma forte presença de riqueza e luxo nas construções.

São exemplos de algumas das mais famosas obras da arquitetura romana, localizadas na cidade de Roma: Coliseu, Fórum Romano e Panteão.

A arquitetura romana influenciou diretamente outros estilos arquitetônicos, como a Arquitetura Renascentista.

Leia também sobre a Arquitetura Grega.

6. Surgimento do latim

O latim surgiu durante o Império Romano, sendo falado inicialmente no Lácio, região italiana onde a cidade de Roma foi fundada. Foi o idioma oficial do Império Romano durante sua existência.

Com o passar do tempo estendeu-se para o resto do território italiano e para outras partes do continente europeu.

Foi o latim popular, utilizado pelos cidadãos romanos, que alcançou outras regiões. Além deste, existia também o latim erudito, que era utilizado pelos escritores e pelos cidadãos mais letrados da época.

O idioma latino tem grande importância na história mundial pois deu origem a diversas outras línguas, chamadas de línguas latinas, como é o caso do italiano, português, espanhol e galego.

7. Criação do Direito Romano

direito romano

Durante o período do Império Romano foram criadas regras que influenciam o Direito até os dias atuais. Tais regras começaram a ser utilizadas já no início da fundação de Roma, que ocorreu no ano de 753 a.C.

Naquela época havia um complexo sistema jurídico que foi inicialmente baseado nos costumes da sociedade local. É também do período do Império Romano o surgimento do conceito de cidadania, tão importante para o funcionamento do universo jurídico até os dias de hoje.

O princípio da legislação durante o Império Romano é marcado com a Lei das Doze Tábuas, que estabelecia normas correspondentes a uma Constituição. Essa lei também definia algumas regras de comportamento e de convívio social.

A Lei das Doze Tábuas tratava de assuntos que ainda hoje são tutelados pelo Direito, como: direito de propriedade, sucessões, delitos e questões de Direito Público.

Leia também os significados de Império e cidadania.

Data de atualização: 12/07/2019.

Juliana Bezerra
Revisão por Juliana Bezerra
Bacharelada e Licenciada em História, pela PUC-RJ. Especialista em Relações Internacionais, pelo Unilasalle-RJ. Mestre em História da América Latina e União Europeia pela Universidade de Alcalá, Espanha.