Significado de Inflação

Talita Carvalho
Revisão por Talita CarvalhoLicenciada em Economia

O que é Inflação:

Inflação é um termo utilizado na área da Economia que representa um aumento contínuo e generalizado dos preços de bens e serviços em um sistema econômico.

É representada normalmente através de uma porcentagem (%), que indica a variação dos preços de todos os produtos ofertados no mercado

Por exemplo, se em um determinado período é observado que o preço do quilo do tomate aumentou, verifica-se que houve inflação no preço do produto. Entretanto, é importante saber que o índice final da inflação é medido com base em todos os produtos que tiveram preços verificados. Assim, se a inflação calculada foi de 0,85%, significa que os preços aumentaram em média 0,85%.

A noção de inflação da economia surgiu em 1838 e significa o aumento dos preços que acontece de forma persistente e que resulta na diminuição do poder aquisitivo de uma moeda. Isso quer dizer que, quanto maior for o índice da inflação, menor será o poder de compra da moeda.

Causas da inflação

Quando ocorre inflação o aumento de preços é verificado na grande maioria dos bens e não somente em alguns. Há uma acentuada diminuição do poder de compra devido a vários fatores, como por exemplo, o rendimento salarial que não sofre alteração.

Uma das causas da inflação é o aumento da emissão de papel-moeda pelo governo para cobrir os gastos do Estado. Quando isso acontece, há um maior volume de dinheiro em circulação no mercado, mas não houve criação de riqueza ou aumento de produção. Nestes casos, é exigida maior quantidade de dinheiro para adquirir a mesma quantidade de produto, resultando em inflação.

Outras causas da inflação estão relacionadas com o aumento exagerado do preço de um bem básico, como energia elétrica ou petróleo, ou ainda, pelo aumento ou excesso de consumo, aumentando a procura do produto e, consequentemente, elevando o seu preço.

Quando o preço desses bens é elevado há um impacto na economia, o que acaba por influenciar no aumento dos preços das mercadorias em geral.

Tipos de inflação

A economia divide a inflação em quatro diferentes tipos, conforme sua causa. Saiba mais sobre cada um destes tipos:

  • Inflação de demanda: é caracterizada pelo excesso de demanda em relação à oferta. Esse tipo de inflação ocorre principalmente quando existe um aumento no poder aquisitivo dos cidadãos que não é acompanhado pelo mercado, ou seja, quando não existe disponibilidade suficiente de bens para atender a demanda de compra da população.
  • Inflação de custos: esse tipo de inflação costuma acontecer quando existe um aumento no custo da matéria-prima utilizada para a produção de um determinado produto. Quando isso acontece, é comum que esse aumento seja repassado aos consumidores através da elevação do valor do produto final colocado no mercado.
  • Inflação inercial: também é conhecida como inflação psicológica, porque não é causada necessariamente por uma alteração na demanda ou oferta. Muitas vezes acontece porque as pessoas acreditam que a subida dos preços vai continuar. Pode ocorrer após longos períodos de inflação, quando o mercado econômico e os comerciantes elevam os preços por acreditar que a inflação ainda está em níveis elevados. Entretanto, esse aumento de preços feito de forma antecipada tem como consequência mais aumento da inflação.
  • Inflação estrutural: é parecida com a inflação de custos, mas a subida de preço acontece por uma falta de eficiência das infraestruturas envolvidas no processo de produção de um tipo econômico específico.

Leia mais sobre o significado de Poder aquisitivo.

Diferença entre inflação e deflação

Inflação e deflação são conceitos relacionados ao aumento ou à diminuição dos preços. Como foi visto, a inflação é a elevação do preço de produtos oferecidos no mercado. Já a deflação é o processo contrário à inflação.

No caso da deflação existe uma redução do nível de preços dos bens e serviços e o valor (poder de compra) do dinheiro é aumentado. É um processo normalmente verificado em períodos de recessão (crise) econômica.

Entretanto, é importante mencionar que a queda de preços, por si só, não pode ser considerada um fator positivo. A queda excessiva também pode prejudicar a economia, visto que os consumidores podem ser levados a esperar mais tempo para consumir, especialmente em razão da perspectiva de preços ainda mais baixos.

Assim, o ideal é que a inflação seja baixa e controlada e que os preços dos bens se mantenham estáveis, o que permite mais previsibilidade e planejamento econômico.

Inflação e IPCA

O IPCA é o Índice de Preços ao Consumidor. Ele é usado para verificar a variação nos preços dos produtos que estão disponíveis no mercado. De acordo com o Banco Central do Brasil (BC) o IPCA é o marcador oficial da inflação no país.

Para o cálculo do índice são observados os valores gastos com o custo de vida de famílias com renda até quarenta salários mínimos nas principais capitais do Brasil. O Índice é medido todos os meses pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Inflação e IGP-M

O IGP-M é o Índice Geral de Preços do Mercado, um marcador utilizado para acompanhar mensalmente e anualmente a variação de preços dos produtos e verificar os índices de inflação.

Através do IGP-M e do acompanhamento da inflação é possível verificar se há aumento ou diminuição do poder de compra da moeda, ou seja, se ela está em um momento econômico de valorização ou desvalorização.

Saiba mais sobre funcionamento do IGP-M.

Data de atualização: 18/06/2019.

Talita Carvalho
Revisão por Talita Carvalho
Formada em Economia pela Universidade Federal do Paraná e mestranda em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Socioambiental pela Universidade do Estado de Santa Catarina.