O que é consumismo?

Consumismo significa fazer compras em excesso. A expressão é usada para identificar o comportamento ou tendência de uma pessoa em exagerar nos hábitos de consumo ou em fazer compras por impulso.

Esse comportamento pode se caracterizar pelo desenvolvimento de uma conduta compulsiva, em que a pessoa consome objetos, serviços ou alimentos de maneira exagerada e sem refletir sobre a real necessidade de fazer uma compra.

Assim, quando se fala em consumismo, refere-se ao investimento em produtos que não são necessários, ou seja, itens supérfluos. Quem tem esse tipo comportamento é chamado de consumista.

Causas do consumismo

Para entender as causas do consumismo, é preciso compreender um pouco sobre as razões que levaram ao seu surgimento.

O crescimento dos hábitos de consumo acontece após o aumento da produção industrial, o que ocorre a partir da Revolução Industrial, momento em que foram feitos mais investimentos na produção de serviços.

Com o investimento na produção, a quantidade de mercadorias disponíveis para os consumidores cresceu cada vez mais. E para vender o que era produzido, foi preciso estimular o desejo de compra nos consumidores. Por consequência disso, os hábitos de consumo foram cada vez mais incentivados e crescentes.

Com o passar do tempo, o ato de consumir passou a ser associado a ideias positivas, como felicidade, sentimento de satisfação ou de ser bem-sucedido.

Consumismo, capitalismo e globalização

Por essas razões, o consumismo é considerado um dos problemas originados pela existência do sistema capitalista, estando presente em todas as sociedades contemporâneas.

Outro fator que contribui para o consumismo é a globalização, já que ela faz com que diferentes produtos sejam facilmente encontrados em todas as partes do mundo. O fácil acesso a muitos produtos também colabora para o estímulo ao consumo desenfreado.

Além do crescimento da produção industrial e da expansão do sistema capitalista, há o surgimento do mercado da publicidade. Juntamente com os meios de comunicação, que chegam facilmente a todas as pessoas, ela também influenciou o aumento do consumo.

A partir do crescimento do consumo surgiu a expressão sociedade de consumo, que representa a relação existente entre o comportamento consumista e o capitalismo. Na sociedade de consumo, a produção de bens e serviços é excessiva em relação à necessidade e demanda dos consumidores.

O filósofo polonês Zygmunt Bauman (1925-2017), que estudava o assunto, defendia que a sociedade moderna era composta basicamente por pessoas consumidoras. Ele entendia que os hábitos de consumo em excesso tinham influência direta na formação da identidade dos indivíduos, dificultando sua compreensão como seres humanos e não como mercadorias.

Veja também os significados de capitalismo, globalização e conheça algumas características da globalização.

Consequências do consumismo

Com o passar do tempo, o aumento do consumo alterou o estilo de vida das pessoas. Hoje, sabe-se que o consumismo pode gerar inúmeras consequências, como o endividamento e o aparecimento de doenças como ansiedade e depressão.

A presença destas características, pode, por exemplo, indicar a existência de um transtorno chamado oniomania. Essa patologia se caracteriza por um comportamento obsessivo em relação ao ato de comprar.

Em geral, esse transtorno pode afetar mais facilmente as pessoas que têm um alto grau de estresse ou ansiedade. Entretanto, não significa que somente pessoas ansiosas ou depressivas desenvolvam a patologia, assim como nem todas as pessoas com essas características desenvolverão a oniomania.

Consequências para o meio ambiente

O consumismo também causa danos ao meio ambiente, como excesso de produção de lixo, além da grande quantidade de poluição gerada pelas indústrias. Atualmente, já se sabe que o consumo em excesso não é uma alternativa sustentável e causa severos impactos ao meio ambiente.

O lixo eletrônico é um problema mais recente ligado ao aumento do consumo. Hoje em dia, o consumo de produtos eletrônicos é cada vez mais crescente e a durabilidade destes produtos não é tão extensa. Isso acontece principalmente em razão da obsolescência programada (diminuição da vida útil de um produto para estimular o consumo de novas mercadorias).

Leia mais sobre o lixo eletrônico e a obsolescência programada.

O consumismo no Brasil

O país acompanha a tendência mundial do consumo em excesso. Há pesquisas que apontam que somente 24% dos consumidores se consideram conscientes em relação a seus próprios padrões de consumo.

Dados levantados pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas também demonstram que 55% das pessoas se considera em transição em relação ao consumo, ou seja, são as pessoas que têm refletido sobre o impacto e a necessidade de suas compras.

Outra pesquisa, da ONG Akatu, revela que, em relação à motivação para repensar hábitos de consumo, os moradores das regiões norte, nordeste e centro-oeste sentem-se mais estimulados por motivos concretos (em benefício de gerações futuras, pela sustentabilidade e pelo impacto social, por exemplo).

Já os moradores da região sudeste, repensam seus hábitos por razões emocionais (economia própria, desejo de uma vida mais simples e mais benefícios à saúde).

Diferença entre consumismo e consumo

Consumismo e consumo se referem ao ato de comprar, mas os termos possuem diferenças em seus significados. O consumismo é a tendência ou hábito de fazer compras em excesso, ou seja, além das necessidades ou sem um propósito específico.

Já consumo, significa o ato de comprar ou adquirir um bem ou um serviço, por exemplo. Entretanto, diferente do consumismo, não significa necessariamente um comportamento exagerado.

Conheça mais sobre consumo e consumidor.

Lowsumerism

O lowsumerism, formado pelas palavras low e consumerism, pode ser traduzido como “pouco/baixo consumo”. É um movimento surgido mais recentemente que busca levar as pessoas a refletir sobre seus hábitos de consumo.

O lowsumerism não propõe apenas a redução do consumo, o mais importante é levar as pessoas a terem consciência sobre o papel que o consumo tem em suas vidas.

São reflexões propostas pelo movimento:

  • questionar a real necessidade de adquirir um novo bem,
  • estimular a criatividade para reutilizar produtos e objetos,
  • praticar hábitos de consumo mais sustentáveis,
  • refletir a respeito das políticas de fabricação das empresas de quem costuma consumir,
  • questionar a qualidade e a quantidade da informação consumida,
  • perceber quais são os impactos ambientais gerados pelos atos de consumo.

Conheça mais sobre consumo sustentável.

Data de atualização: 13/12/2019.