Significado de Paganismo

O que é Paganismo:

Paganismo é um termo geralmente utilizado para se referir a posicionamentos religiosos diferentes dos tradicionais.

O conceito de paganismo varia entre as religiões. Para o cristianismo, judaísmo e islamismo, o paganismo consiste em qualquer prática ou atitude religiosa divergente da sua.

A expressão paganismo também é utilizada para designar qualquer religião politeísta (mais de um deus) ou mesmo a ausência de religião.

A palavra tem origem no latim paganus que significa “habitante do campo”, tendo em vista que os povos rurais da Antiguidade possuíam culturas politeístas, idolatrando deuses relacionados à natureza. Na Idade Média, com o avanço do processo de cristianização, a igreja católica passou a classificar como pagãos todos aqueles que resistiam à conversão e permaneciam com suas crenças.

Essa apropriação do termo por parte das religiões (que provoca incerteza em relação ao seu significado) faz com que a antropologia utilize classificações mais claras, definindo as religiões pagãs como:

  • Xamanismo: religiões que envolvem estados alterados de consciência a fim de acessar o mundo espiritual e obter divinação ou cura.
  • Politeísmo: religiões que adotam mais de uma divindade. No politeísmo, cada entidade adorada apresenta características específicas e exerce influência sobre um aspecto da vida.
  • Panteísmo: diferente do politeísmo, as crenças panteístas consideram que não existe distinção entre Deus e a natureza. No panteísmo, Deus é composto por tudo que existe no universo, e não apresenta características antropomórficas.
  • Animismo: geralmente se refere a religiões indígenas nas quais acredita-se que objetos, lugares e animais possuem uma essência espiritual e, portanto, são vistos como entidades vivas.

Exemplos de religiões e deuses pagãos

Os exemplos clássicos de religiões pagãs estão inseridos nas mitologias greco-romana e egípcia.

Paganismo greco-romano

A religião predominante na Grécia Antiga era politeísta, com a maioria da população reconhecendo a existência de diversos deuses, entre os quais se destacam os 12 deuses do Olimpo.

A partir dos séculos IV e III antes de Cristo, a cultura pagã grega passou a ser transmitida para o povo romano, que adotou entidades correspondentes às gregas:

Deus grego Deus romano Característica/Função
Zeus Júpiter Deus do céu e do trovão. Rei de todos os deuses do Olimpo
Hera Juno Deusa do casamento, da família e do nascimento
Poseidon Netuno Deus dos mares
Ares Marte Deus da guerra
Atena Minerva Deusa da sabedoria
Deméter Céres Deusa da agricultura, dos grãos e da colheita
Apolo Febo Deus do sol e da luz
Afrodite Vênus Deusa do amor, da beleza e do prazer
Artêmis Diana Deusa da caça e dos animais
Hermes Mercúrio Deus do comércio e dos mercadores
Dionísio Baco Deus do vinho, da fertilidade e do teatro
Hefesto Vulcano Deus dos artesãos, ferreiros e escultores

Paganismo Egípcio

No Egito Antigo, a religião cultuava entidades frequentemente retratadas com características humanas e animais. Todos os deuses egípcios representavam elementos naturais, sociais ou mesmo conceitos abstratos. Ao todo, registra-se a existência de mais de 1500 deuses, entre os quais estão:

Deus Característica/Função
Ámon Rei dos deuses e deusas do Egito
Mut Deusa mãe, esposa de Ámon
Osíris Deus da vida
Seth Deus do caos e da escuridão
Ísis Deusa da fertilidade e da ressurreição
Hórus Deus da luz
Anúbis Deus dos mortos
Deus do sol
Thot Deus do conhecimento e da sabedoria
Hator Deusa da maternidade
Sekhmet Deusa da guerra e da cura
Maat Deusa da verdade

Neopaganismo

Também chamado de paganismo moderno ou paganismo contemporâneo, o neopaganismo se refere a diversos movimentos religiosos novos baseados em crenças pagãs antigas.

Enquanto alguns movimentos neopagãos apresentam diferenças com seus modelos antigos, muitos buscam reviver os elementos da crença da forma mais fiel possível.

Especialistas estudam os movimentos neopagãos inserindo-os em uma escala na qual uma ponta é o ecletismo (crença religiosa que permite a aceitação e conciliação de ideias distintas) e a outra é o reconstrucionismo (desejo de restabelecer, no mundo moderno, religiões antigas).

Alguns exemplos de religiões neopagãs são: wicca, neodruidismo, helenismo e neopaganismo germânico.

Wicca

Wicca é a maior religião neopagã do mundo e teve origem na Inglaterra na metade do século 20.

Também conhecida como “bruxaria”, a wicca não possui um sistema fixo de crenças e conta com diferentes vertentes ao redor do mundo. Em geral, a religião cultua dois deuses: a Deusa Tríplice, que representa o sagrado feminino, e o Deus Cornífero, baseado em diversas entidades antigas como Dionísio, sátiros, etc.

Neodruidismo

O neodruidismo, ou apenas druidismo, é a segunda maior religião pagã do mundo. Os druidas visam promover a harmonia e o respeito entre todos os seres, reverenciando a natureza e o meio ambiente.

O neodruidismo é um exemplo de reconstrucionismo, pois busca resgatar as crenças, valores e rituais pré-cristãos dos povos celtas.

Helenismo

O helenismo, também chamado de dodecateísmo ou neopaganismo helênico, é uma forma de reconstrucionismo que visa reviver os costumes, crenças e valores da Grécia Antiga.

O movimento surgiu durante a década de 90 e, em 2017, se tornou uma religião reconhecida na Grécia.

Neopaganismo germânico

Também chamado de heatherismo, é uma forma de reconstrucionismo que visa resgatar a religião praticada pelos povos germânicos até o início da Idade Média.

O neopaganismo germânico não possui um sistema teológico unificado, mas é geralmente politeísta e adota uma visão animista do cosmos.

Símbolos pagãos

Símbolos pagãos

Existem inúmeros símbolos pagãos inseridos nas diversas religiões existentes ao longo da história e ao redor do mundo. Entre os mais populares estão:

Pentagrama: talvez o símbolo pagão mais famoso. Cada ponta da estrela representa um elemento: terra, água, ar e fogo enquanto a quinta ponta representa o espírito.

Triluna: representa três fases da lua: crescente, cheia e minguante. Em algumas religiões, é o símbolo da Deusa Tríplice, significando as três etapas da vida de uma mulher: donzela, mãe e velha.

Triscle: de origem celta, representa movimento da vida e do universo. Também se refere ao aspecto tríplice da cosmologia celta: submundo, mundo intermediário e mundo superior.

Ankh: também chamada de Cruz Ansata ou Cruz Egípcia, significa chave que separa a vida da morte, ou seja, é a chave que liga os mundos material e espiritual. Seu significado também é associado à vida eterna (imortalidade), à fertilidade e à reencarnação.

Mjlönir: mjölnir é o martelo de Thor, deus do trovão na mitologia nórdica. O símbolo representa força e proteção contra o caos e era utilizado nas culturas escandinavas antigas em todos os tipos de rituais.

Triquetra: representa a conexão entre mente, alma e corpo. Na cultura céltica, representava os três reinos: terra, céu e mar.

Veja também:

Data de atualização: 06/05/2019.