Significado de Preconceito Social

Carlos Neto
Revisão por Carlos NetoCientista Social

O que é Preconceito Social:

O preconceito de classe social é uma atitude negativa em relação às pessoas com base em sua situação econômica, nível de escolaridade e acesso à renda. Ou seja, é o tipo de preconceito quanto à classe social dos indivíduos.

Esse tipo de preconceito afeta principalmente pessoas de classe econômica baixa, que são frequentemente classificadas como menos capazes.

Há também uma exclusão de atividades e lugares, alguns deles públicos, mas cujo acesso se considera exclusivo às "classes mais altas”.

Uma situação comum dentro das classes é que o status social acaba, na maior parte, por ser hereditário, ou seja, uma pessoa nascida em uma determinada classe social é um membro dessa classe, pelo menos durante sua vida inicial.

A história do preconceito social

O conceito de classe social é uma categoria histórica surgida no século XIX, no contexto específico das sociedades ocidentais industrializadas.

O conceito sofreu algumas alterações ao longo dos anos, mas continua sendo fundamental para se pensar as sociedades capitalistas atuais

As classes sociais passaram a representar desigualdades com amplas diferenças de oportunidades, estilos de vida, padrões materiais, condições de trabalho e ambiente doméstico.

Cada classe social geralmente mantém um estereótipo negativo (uma opinião excessivamente simplificada de outros que frequentemente justifica preconceitos negativos) de outras classes sociais.

A classe trabalhadora considera os cidadãos da classe alta como "não fazendo trabalho real", como fazer os produtos com as próprias mãos, por exemplo.

Já os membros da classe alta e da classe média viam a classe trabalhadora como grosseira, sem instrução e trabalhando em condições de trabalho desagradáveis.

O preconceito social e o Marxismo

É praticamente impossível falar de preconceito social sem citar Karl Marx. O filósofo disse que todas as sociedades (com exceção dos caçadores/coletores primitivos) estão divididas ao longo das linhas de classe.

Em vez de definir classe por ocupação, Marx adotou uma definição econômica baseada na relação das pessoas com os meios de produção.

Segundo Marx, há duas classes:

  • a classe dominante, que possui os meios de produção (empresários);
  • a classe subordinada, que possui apenas a sua força de trabalho.

Isso é conhecido como uma visão dicotômica ou de duas partes da sociedade.

Essas duas classes são interdependentes, mas seus interesses nunca coincidem e estão em conflito entre si: a classe dominante se beneficia da sociedade como ela é, a classe subordinada se beneficia da mudança para não ser mais oprimida.

No capitalismo, essas duas classes são a burguesia e o proletariado.

Como a classe dominante da burguesia explora o proletariado, o conflito de classes inevitavelmente existe.

Preconceito social no Brasil

Em uma pesquisa realizada em dezembro de 2019 pelo Datafolha, foi divulgado um resultado no qual 30% dos brasileiros entrevistados diziam ter sofrido algum tipo de preconceito por conta de sua classe social e condição econômica.

De acordo com esse dado, é possível ter a noção de como o preconceito social é presente na sociedade brasileira. Isso se dá, principalmente, devido à grande desigualdade social no país.

É justamente pelo fato da sociedade brasileira ser muito desigual que existe o preconceito social, que, como já foi dito, afeta principalmente as classes menos favorecidas.

Veja também:

Data de atualização: 13/06/2019.

Carlos Neto
Revisão por Carlos Neto
Formado em Ciências Sociais (FFLCH-USP), Carlos faz mestrado em Estudos Portugueses, com especialização em Literatura Portuguesa Contemporânea. É escritor e dá aulas de Redação e Sociologia na Educação Básica desde 2007.