Significado da Bandeira da Colômbia

Juliana Bezerra
Revisão por Juliana BezerraProfessora de História

O que é a Bandeira da Colômbia:

A bandeira da Colômbia é feita em três faixas horizontais nas cores amarela, azul e vermelha. A faixa superior é amarela e ocupa metade da bandeira, as outras duas faixas dividem a metade inferior, sendo azul no meio e vermelho na base.

Sua proporção é de 2:3, ou seja, se ela tiver 2 metros de largura, deve ter 3 metros de comprimento.

Bandeira da ColômbiaBandeira atual da Colômbia.

As cores da bandeira atual da Colômbia remontam ao início do século XIX, quando começaram as guerras de independência contra o Império Espanhol na região.

Antes de se tornarem independentes, Colômbia, Venezuela e Equador faziam parte da Grã-Colômbia e utilizavam a bandeira tricolor. Por essa razão, as bandeiras atuais desses três países são muito similares.

História da bandeira da Colômbia

A história da bandeira atual da Colômbia remete ao ano de 1801, quando o general venezuelano Sebastián Francisco de Miranda Rodríguez (1750-1816) escreveu em seu diário que a bandeira das nações latino-americanas que buscavam independência seria em amarelo, azul e vermelho.

Francisco de Miranda elaborou um plano para a independência dos países da região. Apesar de não ter sido bem-sucedido, a sugestão de cores para a bandeira acabou sendo adotada em 1819, quando a região conquista independência sob a liderança de Simon Bolívar (1783-1830).

Em 1819, Simon Bolívar declara independência da região e cria a República da Colômbia. Em 1821, o território passou a se chamar Grã-Colômbia e era composto pelos atuais Equador, Colômbia e Venezuela.

Durante o período em que existiu a Grã-Colômbia, entre 1819 e 1830, foram adotadas quatro bandeiras, todas com as cores amarelo, azul e vermelho, mas com símbolos e tonalidades diferentes.

Saiba mais sobre a bandeira da Venezuela.

Bandeira Grã-ColômbiaPrimeira bandeira da Grã-Colômbia, usada até o início de 1820.

Em 1830, após a morte de Simon Bolívar, Equador e Venezuela se tornaram independentes e cada país adotou sua bandeira, que até hoje são muito similares entre si. Enquanto a bandeira da Colômbia não possui símbolos, a do Equador tem um brasão no meio e a da Venezuela tem 8 estrelas que formam um arco.

Ao longo do século XIX, a bandeira da Colômbia sofreu alterações e a adoção definitiva do pavilhão como se conhece hoje aconteceu em 26 de novembro de 1861.

Saiba mais sobre as bandeiras dos países.

Simbolismo da bandeira da Colômbia

O amarelo representa o ouro e as demais riquezas naturais do país. Essas riquezas têm um peso grande na representação simbólica, uma vez que ocupam a metade do pavilhão.

O azul simboliza as águas do mar que banham a nação colombiana. A Colômbia tem costa marítima tanto para o Oceano Pacífico quanto para o Oceano Atlântico, o que lhe confere importância estratégica na região.

Por fim, o vermelho simboliza o sangue dos colombianos que lutaram para salvar seu país do domínio espanhol e torná-lo independente.

Bandeira presidencial

Bandeira presidencial da ColômbiaBandeira presidencial da Colômbia.

A bandeira presidencial da Colômbia é igual à bandeira oficial, porém com o brasão do país localizado em seu meio. Na parte superior do brasão está escrito “República da Colômbia” e embaixo “Liberdade e Ordem”.

Em cima do brasão encontra-se um condor, uma ave típica do país, que representa a liberdade. O condor está segurando em seu bico uma coroa de louros.

Na parte superior do brasão está uma romã de ouro aberta, do seu lado direito saem frutas tropicais e do lado esquerdo moedas de ouro - representação da riqueza do solo do país.

Na parte inferior há uma imagem do istmo do Panamá, que era território colombiano até 1903, com dois navios - representação dos mares que banham o país e do comércio com outras nações.

Veja também o significado de bandeira do Japão, bandeira da Rússia e bandeira do Canadá.

Data de atualização: 30/08/2019.

Juliana Bezerra
Revisão por Juliana Bezerra
Bacharelada e Licenciada em História, pela PUC-RJ. Especialista em Relações Internacionais, pelo Unilasalle-RJ. Mestre em História da América Latina e União Europeia pela Universidade de Alcalá, Espanha.