Regimes Totalitários: o que são e principais exemplos

Regimes totalitários são governos de caráter autoritário, repressor e antidemocrático. No totalitarismo, o regime (e o líder) tem o controle total sobre o estado e os indivíduos.

Esse tipo de governo autoritário surgiu na Europa no século XX. O fascismo italiano, o stalinismo soviético e o nazismo alemão são os principais exemplos históricos do totalitarismo.

Os regimes totalitários podem ser de direita ou de esquerda. Apesar de terem particularidades relacionadas ao lado político em que se posicionam, têm características importantes em comum.

Características dos regimes totalitários:

  • Nacionalismo
  • Militarismo
  • Unipartidarismo (somente um partido político é permitido, o que está no poder)
  • Concentração do poder nas mãos do líder
  • Fim dos direitos individuais
  • Violência
  • Propaganda
  • Expansionismo (aumento do território com a invasão de outros países)

Fascismo

Mussolini durante a Marcha sobre Roma.

Mussolini e membros do Partido Fascista durante a Marcha sobre Roma, em 1922.

  • Líder: Benito Mussolini
  • Local: Itália
  • Período: 1925 - 1943
  • Espectro político: extrema-direita

Contexto de ascensão ao poder

O regime fascista foi o primeiro governo totalitário a surgir na Europa, em 1925. O contexto que possibilitou a ascensão do totalitarismo foi a crise econômica e social que a Itália enfrentava após a I Guerra Mundial. Além das consequências da guerra, o país também sofria com o grande número de desempregados e a fome.

A insatisfação popular tornava os ideias socialistas atraentes para as camadas mais baixas da população. Entretanto, um partido de extrema-direita surgiu e se tornou rapidamente popular. Apoiado pela elite e pela Igreja Católica, que temiam o crescimento do comunismo, foi fundado o Partido Fascista em 1921.

Em 1922, o Partido Fascista realizou a Marcha sobre Roma, uma grande manifestação em que o partido exigia que o rei da Itália entregasse o governo. Pressionado, o rei Vitor Emanuel III chamou Mussolini para compor o seu governo. Após vencerem eleições parlamentares, em 1925, o fascismo chega ao poder na Itália com Mussolini como seu líder.

Características do governo fascista

O regime fascista era totalitário, ou seja, tratava-se de uma ditadura, em que o poder estava concentrado nas mãos de Mussolini, o único líder. O estado se tornou maior que o cidadão, as pessoas perderam suas liberdades individuais, como liberdade de opinião e liberdade de expressão. Quem discordasse ou criticasse o regime era violentamente reprimido.

Antes mesmo da chegada ao poder, o Partido Fascista já era tido como violento, pois estava associado a grupos de milícias, que agrediam jornalistas e opositores políticos, além de extorquir pequenos comerciantes. Após assumir o governo, esses grupos foram validados pelo regime.

Mussolini desfez o parlamento italiano, acabou com os jornais (exceto os que apoiavam o regime) e investiu na propaganda que o colocava como o grande líder.

Assim como outros regimes de extrema-direita, apoiava os valores tradicionais e resgatava as figuras dos antigos imperadores romanos. Durante o regime totalitário de Mussolini, a Itália exilou e matou milhares de pessoas.

Envolvimento na II Guerra Mundial

Em 1940, Mussolini levou a Itália à II Guerra Mundial ao lado da Alemanha nazista. Entretanto, a participação italiana na guerra foi um fracasso, acumulando derrotas em batalhas significativas. Mussolini acabou perdendo prestígio dentro do país, principalmente porque a população era submetida a um forte esquema de racionamento alimentar para manter os suprimentos para a guerra.

Em 1943, as tropas aliadas invadiram a Itália, na região da Sicília. Mussolini perdeu o poder e foi preso. No entanto, no mesmo ano, foi resgatado da prisão pelo regime nazista.

Os nazistas e aliados passaram a disputar o território italiano, em 1945, em uma tentativa de fuga para a Suíça, Mussolini e sua amante foram capturados e mortos pela resistência italiana. Seus corpos foram expostos em uma praça de Milão.

Com o fim do fascismo e da II Guerra Mundial, a Itália assinou o tratado de paz, cedeu suas colônias e adotou a república como forma de governo, deixando de ser uma monarquia.

Stalinismo

Homenagem feita a Stalin em seu aniversário, em 1949.

Homenagem feita a Stalin em seu aniversário, em 1949.

  • Líder: Joseph Stalin.
  • Local: União Soviética (atual Rússia).
  • Período: 1927 - 1953
  • Espectro político: extrema-esquerda.

Contexto de ascensão ao poder

O stalinismo é tido como um regime totalitário de extrema-esquerda. E recebe esse nome devido ao seu líder, Joseph Stalin, que assume o poder na União Soviética após a morte de Vladimir Lenin.

Lenin foi um dos líderes da Revolução Russa de 1917 e comandava os bolcheviques. Com a revolução, os russos deixaram de ser uma monarquia absolutista chamada czarismo.

Quando os bolcheviques chegaram ao poder, Lenin realizou diversas mudanças, como a retirada da Rússia da I Guerra Mundial; foi dada autonomia para territórios que atualmente são países como a Finlândia, Polônia e Ucrânia; foram feitas estatizações e propriedades da nobreza, burguesia e igreja foram entregues aos camponeses.

O Partido Comunista Russo passou a ser o único permitido e se iniciou a criação da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) ou, simplesmente, União Soviética. Por algumas medidas, o governo de Lenin já era tido como de caráter autoritário, mas não totalitário. A União Soviética só passa a ser considerada totalitária nas mãos de Stalin.

Características do stalinismo

Apesar de ter estado no poder desde a morte de Lenin, em 1924, o stalinismo se inicia oficialmente em 1927. Por ser um regime de esquerda, o stalinismo instaura regras baseados em interpretações do socialismo.

As terras e fábricas, que antes pertenciam à burguesia, passaram para as mãos do estado. Os trabalhadores passaram a ser funcionários públicos com metas exigentes a serem alcançadas. O desenvolvimento econômico do regime dependia da produção dos trabalhadores, que passaram a ser fortemente explorados.

Os opositores e críticos do regime foram mortos ou enviados para campos de trabalhos forçados. Nestes tipos de campos de concentração, os prisioneiros eram obrigados a trabalhar até a morte. O stalinismo é considerado um dos regimes totalitários mais letais e cruéis, mesmo que os historiadores não consigam estimar com exatidão quantas milhões de pessoas morreram direta ou indiretamente pelas mãos do regime.

Em contraste com a fome e a baixa qualidade de vida da população, a União Soviética se desenvolveu economicamente durante o stalinismo.Chegou a competir com os Estados Unidos a liderança mundial, após a vitória das duas potências na II Guerra Mundial, no período conhecido como Guerra Fria.

Altamente repressor, o regime stalinista chegou ao fim somente com a morte de seu líder em 1953, de ataque cardíaco. Após a morte de Stalin, Gueorgui Malenkov, secretário do Partido Comunista Russo, assume o governo. Em 1991, a União Soviética chega ao fim.

Nazismo

Hitler diante dos nazistas em 1939

Hitler diante dos outros membros do Partido Nazista, 1939.

  • Líder: Adolf Hitler.
  • Local: Alemanha.
  • Período: 1933 - 1945
  • Espectro político: extrema-direita

Contexto de ascensão ao poder

O regime nazista começou, na Alemanha, em 1933. A ascensão de Hitler e do Partido Nazista ao poder aconteceu no contexto de uma séria crise econômica.

Após a I Guerra Mundial, a Alemanha foi a grande derrotada e obrigada a fazer concessões, como ceder colônias, território e fontes de recursos minerais aos vencedores, além de ter que pagar indenizações. Esse acordo ficou conhecido como Tratado de Versalhes, assinado em 1919. A dívida da I Guerra Mundial foi somente quitada em 2010, mais de 90 anos após o conflito.

Com a humilhação da derrota na guerra e crise econômica, que se agravou após a Crise de 1929, os alemães acabaram por direcionar a sua insatisfação para dois "inimigos", a comunidade judaica e os comunistas.

A insatisfação popular também favoreceu a popularização do Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemãs, o Partido Nazista. Em 1923, Hitler foi preso após a tentativa de um golpe de estado. Na cadeia, escreveu seu livro Mein Kampf, em português: "minha luta", em que culpava os judeus pelos problemas no país e os colocava como grandes inimigos da ideologia nazista.

O agravamento da crise econômica, em 1929, fez com que a ideologia nazista se tornasse mais apelativa ao povo. Em 1922, o partido conseguiu vitórias significativas nas eleições parlamentares e, em 1933, Hitler chegou ao poder.

Características do nazismo

O regime nazista tinha uma particularidade que o difere dos outros regimes totalitários. Sendo um governo de extrema-direita, também presa pelos valores tradicionais e conservadores, entretanto, o Hitler ia além e propunha que os alemães pertenciam a uma categoria humana superior, a raça ariana.

A partir dessa ideia, Hitler passou a eliminar outros seres humanos, que ele dizia serem inferiores. Mais de 6 milhões de pessoas foram assassinadas pelo regime nazista, em sua maioria, judeus, enviados para campos de concentração na Alemanha e em outros países da Europa, como a Polônia. Foi o chamado holocausto.

Além da comunidade judaica, pessoas negras, ciganas, homossexuais e comunistas também eram tidos como inferiores e mortos. A Alemanha nazista também foi responsável por uma série de experimentos científicos em que seres humanos eram tomados como cobaias e torturados.

A eugenia era uma prática nazista. O estado nazista criava métodos artificiais para selecionar e controlar a reprodução humana, em uma tentativa de aprimorar a raça ariana.

A Alemanha nazista também utilizada do conceito de superioridade alemã para invadir e dominar outros povos e territórios, na busca por criar o que seria o grande império alemão.

II Guerra Mundial e o fim do nazismo

Para criar o império, Hitler invadiu países vizinhas europeus, como a Polônia, a Áustria, os Países Baixos e posteriormente a França. Foi a principal causa para a II Guerra Mundial, em que foi apoiado pelo regime fascista de Mussolini (Itália) e pelo Japão.

O regime nazista chegou ao fim com a rendição da Alemanha próximo ao fim da II Guerra Mundial, em 1945. Os vencedores foram os Aliados, compostos por Estados Unidos, França, Inglaterra e União Soviética. Hitler se suicidou meses antes, em abril de 1945, no abrigo subterrâneo onde estava em Berlim.

A Coreia do Norte é um regime totalitário?

Por mais que não seja um consenso, alguns pesquisadores consideram a Coreia do Norte um regime totalitário de extrema-esquerda.

Mesmo sendo um estado extremamente fechado, no qual pouca informação sobre o regime pode ser confirmada, algumas características totalitárias são notadas no país. O nacionalismo, a militarização, o unipartidarismo, a concentração do poder nas mãos de um único líder, a falta de liberdades individuais e a propaganda são alguns dos exemplos.

Apesar de não apresentar objetivos expansionistas, uma das principais características dos regimes totalitários, a Coreia do Norte esteve em guerra com a Coreia do Sul pelo domínio da península coreana entre 1950 e 1953. Ainda que a guerra tenha cessado em 1953, um acordo de paz oficial nunca foi assinado.

Saiba mais sobre a história da Coreia do Norte.

Fontes bibliográficas:

ALMEIDA, A. A República de Weimar e a Ascensão do Nazismo. São Paulo, Braziliense, 1999.

ARENDT, H. Origens do totalitarismo: antissemitismo, imperialismo, totalitarismo. São Paulo: Companhia de Bolso, 2013.

BARROS, A. Una gionarta particolare: uma reflexão sobre a esfera pública e privada nos regimes totalitários. Estudos Filosóficos, São João del Rei, n17, 101-112, 2016.