Tipos de reprodução: assexuada e sexuada

Quais são os tipos de reprodução?

A reprodução dos seres vivos é um processo biológico através do qual os organismos geram descendência, que é de vital importância para perpetuar as espécies. São reconhecidos dois tipos de reprodução: a reprodução sexuada e a reprodução assexuada, que por sua vez se subdividem em outros tipos. Vejamos cada um.

Reprodução assexuada

A reprodução assexuada é aquela em que só é necessário um progenitor para criar um organismo descendente. Nesse tipo de reprodução, um indivíduo se fragmenta, parte-se ou se divide, dando lugar a um ou mais indivíduos com a mesma carga genética, a não ser que se produza uma mutação.

A reprodução assexuada pode se manifestar tanto em organismos unicelulares como pluricelulares. Tem a particularidade de gerar descendentes idênticos.

Tipos de reprodução assexuada

Existem diversos tipos de reprodução assexuada, tais como a divisão binária, a partenogênese, o brotamento, a fragmentação, a esporulação e a multiplicação vegetativa.

Divisão binária, cissiparidade ou bipartição

Um organismo duplica seu DNA e a partir dele se divide em duas células idênticas.

Por exemplo, as bactérias e as arqueas (organismos procariontes semelhantes às bactérias).

Fragmentação

O organismo se fragmenta ou se parte. Desse fragmento se gera outro indivíduo com as mesmas características.

Por exemplo, os corais e as estrelas-do-mar.

Brotamento, gemiparidade ou gemulação

brotamento reprodução assexuada
Etapas de reprodução assexuada de uma hidra (brotamento).

O organismo gera um broto que, ao se desprender, dá lugar a outro organismo.

Por exemplo, certas leveduras e as esponjas.

Esporulação

O organismo cria esporos (unidades reprodutivas) a partir das quais se forma um novo organismo.

Por exemplo, os fungos.

Partenogênese

Produz-se a partir de células sexuais femininas não fecundadas que dão origem a outra vida. Apesar da intervenção de uma célula sexual feminina, a partenogênese é considerada assexuada porque é gerada a partir de um único indivíduo parental.

Por exemplo, as abelhas e certos tipos de insetos.

Multiplicação vegetativa ou propagação vegetativa

Consiste na formação de novos organismo a partir de uma parte de outro, como as plantas, os tubérculos e os rizomas.

Por exemplo, as batatas.

Reprodução sexuada

A reprodução sexuada é aquela que requer dois progenitores, uma fêmea e um macho. A descendência obtida é semelhante (não idêntica).

Através de um processo de reprodução celular chamado meiose, cada progenitor gera gametas (femininos e masculinos), os quais portam a metade do material genético que conforma uma célula somática.

Quando os gametas entram em contato se produz a fecundação, cujo resultado é a criação de um zigoto. O zigoto (ou célula-ovo) é a célula a partir da qual se gera um novo ser vivo.

Para que os gametas entrem em contato, é necessário um processo de fertilização. A fertilização pode se realizar de três maneiras diferentes: interna, externa e autogamia.

Veja também: Significado de Zigoto.

Fertilização interna

Por meio do acasalamento, os gametas se fecundam e se desenvolvem dentro da fêmea. Nota: o Hippocampus kuda, uma espécie de peixe conhecida como cavalo-marinho, é uma exceção a essa regra por ser o único macho capaz de engravidar.

Por exemplo, os animais vivíparos, entre os quais os leões, as zebras, os macacos e os seres humanos.

Fertilização externa

Os progenitores lançam células sexuais no ambiente, onde ocorre a fecundação. É comum no meio aquático.

Por exemplo, os peixes vertebrados, os crustáceos e grande parte das algas, todos pertencentes ao grupo dos ovulíparos.

Autogamia

Própria de organismos que contêm órgãos sexuais femininos e masculinos (hermafroditas). Esses organismos podem fecundar por si mesmos sob condições específicas.

Por exemplo, algumas espécies de flores, entre as quais se destacam as rosas e a flor de trigo.

Tipos de reprodução sexuada

A reprodução sexuada pode ser classificada de acordo com as características morfológicas dos gametas.

Isogamia

Esse nome vem dos termos gregos iso, que significa "igual", e gamos, que significa "matrimônio" ("casamento"). Corresponde àquelas espécies em que os gametas de cada progenitor são iguais em tamanho e forma. Assim, não se pode distinguir entre femininos e masculinos.

Por exemplo, a reprodução de algumas classes de fungos.

Anisogamia

anisogamia óvulo espermatozoides

Seu nome deriva dos termos gregos an, que significa "negação" ou "carência", iso, que significa "igual", e gamos, que significa "casamento". Corresponde àquelas espécies em que os gametas de cada progenitor se diferenciam em sua forma e dimensões. É o caso dos espermatozoides e dos óvulos.

Por exemplo, a maior parte dos mamíferos, como os felinos, os cães e os cavalos.

Reprodução sexuada nos animais

As modalidades ou formas de reprodução sexuada nos animais abarcam os animais vivíparos, ovovíparos, ovíparos e ovulíparos.

Vivíparos

vivíparos

Nos animais vivíparos, a fecundação e desenvolvimento do embrião ocorrem dentro da fêmea. Todos os animais vivíparos possuem fecundação interna.

Por exemplo, a maioria dos mamíferos (com exceção dos ornitorrincos e das equidnas). A reprodução humana obedece a esse padrão.

Veja também: Significado e Tipos de Fecundação.

Ovíparos

ovíparos ovos pintinho

Os animais ovíparos são aqueles cujas fêmeas põem ovos. O desenvolvimento do embrião ocorre dentro do ovo. As fêmeas são fecundadas pelo macho antes da desova.

Por exemplo, as aves e a maioria dos répteis.

Ovulíparos

ovulíparos ovos de rã
Ovos de rã.

A ovuliparidade é uma variante da oviparidade. Ela se aplica aos animais cuja fecundação do ovo ocorre depois da desova. Assim, trata-se de fertilização externa. Pode ser observada em espécies aquáticas.

Por exemplo, grande parte dos peixes, alguns crustáceos e certos anfíbios, como as rãs.

Ovovíparos

Nos animais ovovíparos, a fecundação e o desenvolvimento do ovo ocorrem dentro da fêmea, de modo que o novo organismo está pronto para a eclosão após a desova.

Por exemplo, a víbora-áspide e os tubarões.

Reprodução sexuada nas plantas

As plantas se reproduzem mediante um processo chamado polinização, seja ela anemófila (induzida pelo vento), hidrófila (induzida pela água) ou zoófila (induzida pelos animais).

São conhecidos dois tipos básicos de reprodução sexuada nas plantas: a reprodução em angiospermas (flores) e em gimnospermas (sementes sem flores).

Reprodução sexuada em angiospermas

Angiospermas são as plantas com flores, nas quais se encontram os órgãos reprodutivos da espécie.

Por exemplo, as laranjeiras, as árvores de café e as macieiras.

Reprodução sexuada em gimnospermas

Gimnospermas são as plantas sem flores, chamadas coníferas. Essas plantas contêm cones ou pinhas que portam as sementes.

Por exemplo, os pinheiros e os cedros.

Veja também:

Significado de Desenvolvimento Embrionário

Data de atualização: 13/05/2021.