Significado de Filosofia moderna

O que é a Filosofia moderna:

A filosofia moderna é toda a filosofia desenvolvida na chamada Era Moderna, entre o século XV (englobando os períodos finais da Renascença) e o século XIX.

Tendo em vista o surgimento de novas ciências na época, a filosofia moderna tem como característica marcante o retorno da epistemologia (ramo filosófico que estuda a relação entre o ser humano e o conhecimento) como um dos aspectos centrais do período.

Vale mencionar que não existe consenso sobre o período exato em que a Renascença termina e a filosofia moderna se inicia. Por esse motivo, é comum que determinadas ideias ou filósofos sejam, por vezes, classificados como renascentistas e por outras, como modernos. No entanto, grande parte dos estudiosos atribui o início da filosofia moderna aos pensamentos de René Descartes, no século XVI.

Contexto histórico

Com o forte desenvolvimento de novas ciências como astronomia, matemática e física, os pensamentos e crenças na Europa migraram gradativamente do teocentrismo (Deus como centro do mundo) para o antropocentrismo (o homem como centro do mundo), resultando diretamente na diminuição do poder da Igreja Católica.

Essas mudanças de paradigmas, somadas aos grandes eventos da época (Grandes Navegações, fim do feudalismo, Reforma Protestante, etc), produziram o contexto histórico ideal para o surgimento de ideias revolucionárias que se afastaram da filosofia renascentista. Assim, a filosofia moderna consiste em uma combinação de novas abordagens filosóficas com a rejeição de preceitos religiosos antigos.

Escolas e filósofos da filosofia moderna

A filosofia moderna, assim como outras fases da filosofia, pode ser dividida em escolas de pensamento que organizam as diferentes correntes filosóficas da época. As principais escolas da filosofia moderna são: racionalismo, empirismo, filosofia política, idealismo, existencialismo e pragmatismo.

Racionalismo

Os racionalistas acreditavam que o conhecimento humano não depende de experiências para ser formado, uma vez que existem ideias que ultrapassam as informações absorvidas com as vivências.

Assim, o racionalismo aborda os efeitos da intuição e da dedução na formação do conhecimento humano, classificando-as como conhecimentos a priori. Além disso, o racionalismo abrange o chamado Inatismo, teoria filosófica que defende que a mente não nasce como uma “página em branco”, e sim com ideias inatas que nos influenciam durante a vida.

Exemplos de filósofos racionalistas modernos: René Descartes, Baruch Spinoza e Immanuel Kant.

Empirismo

Os empiristas defendiam que o conhecimento só é criado, exclusivamente, a partir das experiências sensoriais. Por esse motivo, o empirismo é conhecido como a “filosofia da ciência”, pois prioriza o valor das evidências e exige a aplicação do método científico, ou seja, que todas as hipóteses e teorias sejam testadas e observadas antes de serem consideradas conhecimento.

Exemplos de filósofos empiristas modernos: John Locke, George Berkeley, David Hume e Francis Bacon.

Filosofia política

A filosofia política moderna analisa tópicos relacionados à liberdade, justiça, direitos e leis. Dentro desses temas, os filósofos políticos estudam a razão de ser e a legitimidade dos governos, quais direitos e garantias devem ser protegidos, além de avaliar quais deveres os cidadãos possuem em relação ao Estado.

Exemplos de filósofos políticos modernos: Thomas Hobbes, John Locke, Montesquieu, Jean-Jacques Rousseau, Voltaire e Karl Marx.

Idealismo

O idealismo é a escola filosófica que entende que a realidade como a conhecemos é fruto da mente humana. Em termos epistemológicos, o idealismo defende que é impossível conhecer qualquer coisa que esteja além das capacidades da mente, e por isso a percepção da realidade sempre será limitada.

Exemplos de filósofos idealistas modernos: Arthur Schopenhauer, Hegel e Immanuel Kant.

Existencialismo

O existencialismo é a vertente que adota o indivíduo como ponto de partida para todas as reflexões filosóficas. Assim, os existencialistas nunca deixam de considerar os sentimentos e as experiências humanas para tentar explicar a realidade.

Exemplos de filósofos existencialistas modernos: Soren Kierkegaard, Jean-Paul Sartre, Simone de Beauvoir, Friedrich Nietzsche e Martin Heidegger.

Pragmatismo 

O pragmatismo é o estudo responsável por relacionar teoria com prática. Os filósofos pragmáticos acreditam que diversos métodos e conceitos da ciência moderna devem ser utilizados na filosofia para otimizar a utilização do conhecimento.

Exemplos de filósofos pragmáticos modernos: William James, Richard Rorty e Charles Sanders Peirce.

Veja também:

Data de atualização: 18/05/2018. O significado de Filosofia moderna está nas categorias: Geral, Filosofia