Significado do Impressionismo

O que é o Impressionismo:

Monet - Impressão, Nascer do SolImpressionismo é um movimento artístico que surgiu na França no final do século XIX, durante o período da Belle Époque. A principal proposta do estilo era quebrar com as técnicas convencionais do Realismo, focando-se na impressão da luz, das cores e dos movimentos livres das pinceladas para criar efeitos óticos que completassem as obras.  

Esse movimento artístico foi batizado em referência a obra “Impressão, Sol Nascente” (Impression du Soleil Levant - 1872), de Claude Monet, um dos mais célebres pintores impressionistas de todos os tempos.

A “alma” do impressionismo consistia em captar as diferentes impressões de cores, luz e movimentos da natureza ao longo do dia, por isso os artistas preferiam pintar sempre ao ar livre, analisando de perto todas as “ilusões” que as mudanças na luminosidade provocavam nas cores e sombras e, consequentemente, na paisagem geral.  

Alguns artistas, como Monet, por exemplo, pintavam a mesma paisagem diversas vezes em momentos distintos ao longo do dia, justamente para perceber as variações que as mudanças de luminosidade transmitiam para a impressão final da imagem.

O impressionismo é tido como o movimento que deu origem a arte moderna. As obras impressionistas transmitem a sensação de alegria e harmonia, isto devido a presença dos contrastes, da luz e da claridade das cores, principalmente.

Além de Monet, outros artistas que se destacam por seus trabalhos impressionistas são: Paul Cézanne (1839 – 1906), Édouard Manet (1832 – 1883), Edgar Degas (1834 – 1917), Pierre-Auguste Renoir (1841 – 1919), Alfred Sisley (1839 – 1899) e Camille Pissarro (1830 – 1903).

Saiba mais sobre a Arte Moderna.

Características do Impressionismo

Algumas das principais características que marcam o estilo impressionista nas artes plásticas são:

  • Destaque para temas da natureza, especialmente paisagens;
  • Valorização da luz natural;
  • Uso de cores decompostas e primárias;
  • Uso de sombras coloridas e luminosas;
  • Foco nos estudos dos efeitos óticos (ilusões);
  • Desenhos sem contornos nítidos, mas sim formados por manchas;
  • Rompimento com o passado;
  • Valorização pela pintura feita ao ar livre e não em estúdios fechados, por exemplo;
  • Preferência pela mistura de cores através da ilusão de ótica e não pela técnica (mesclagens), ou seja, não há a mistura de cores para criar novas tonalidades, mas apenas o uso de pigmentos primários justapostos;
  • Aplicação da lei das cores complementares (ver o significado da Teoria das Cores);

Moça no Trigal - Eliseu Visconti - Impressionismo

Claude Monet - Impressionismo

Pós-impressionismo

Surgiu nos últimos anos do século XIX e começo do século XX, como um conjunto de estilos, técnicas e tendências artísticas baseadas a partir do modelo impressionista. A ideia central dos pós-impressionistas não era renegar, repudiar ou esquecer o impressionismo, mas sim aprimora-lo.

Muitos dos artistas pós-impressionistas começaram os seus trabalhos como impressionistas, mas após agruparem algumas técnicas e características de outros estilos, acabaram por se redefinirem e seguir padrões ligeiramente distintos daqueles que são tidos como a “essência básica” do impressionismo original.

A importância da “cor viva” e da bidimensionalidade nas obras são dois valores bastante importantes para os artistas pós-impressionistas.

O Cubismo, o Expressionismo, o Fauvismo e o Pontilhismo são exemplos de estilos que surgiram a partir desta “revolução” do impressionismo tradicional. O Pontilhismo, no entanto, não deve ser considerado um movimento pós-impressionista, mas sim neoimpressionista.

Saiba mais sobre o Pontilhismo, o Expressionismo e as Características do expressionismo.

Impressionismo no Brasil

No Brasil, o impressionismo se disseminou nos primeiros anos do século XX, sendo o ítalo-brasileiro Eliseu Visconti o pioneiro neste estilo no país, e um dos mais expressivos representantes do gênero.

Entre os artistas brasileiros, os que mais tiveram destaque no estilo impressionista foram: Eliseu Visconti (1866 – 1944), Almeida Júnior (1850 – 1899), Artur Timóteo da Costa (1882 – 1923), Henrique Cavalleiro (1892 – 1975), Alfredo Andersen (1860 – 1935) e Vicente do Rego Monteiro (1899 – 1970).      

Impressionismo na literatura

Os princípios do impressionismo também estiveram presentes na música e na literatura, porém não chegaram a formar uma escola ou movimento, como aconteceu nas artes plásticas.

No caso da literatura, o impressionismo representa o uso de uma linguagem exata, baseada no pensamento científico, para narrar eventos da realidade cotidiana. Outros temas que também foram abordados pelos impressionistas são: o erotismo, a frustração, a falta de comunicação, a morte e o cansaço da vida.

Os autores se apropriavam de metáforas para descrever as emoções e sentimentos. Neste caso, também era característico do impressionismo a valorização da visão do presente (“percepção visual do instantâneo”), com a descrição de cores e tons das paisagens.

Alguns dos principais escritores que se destacam neste estilo são: Marcel Proust (1871 – 1922), Raul Pompeia (1863 – 1895), Eça de Queirós (1845 – 1900) e Euclides da Cunha (1866 – 1909).

Data de atualização: 22/08/2018. O significado do Impressionismo está na categoria: Arte