Vanguardas europeias: características e influência no Brasil

As vanguardas europeias são movimentos artísticos e culturais que aconteceram em vários países da Europa no início do século XX.

As vanguardas atuaram em diversos tipos de arte: pinturas, artes plásticas, literatura, arquitetura, paisagismo e música. As principais manifestações foram o cubismo, futurismo, expressionismo, dadaísmo e surrealismo.

Os movimentos não eram formalmente organizados, mas influenciaram a Arte Moderna em todo o mundo, inclusive no Brasil, com o Modernismo.

Após a I Guerra Mundial, o mundo passou por muitas transformações, especialmente a Europa. Aconteceram mudanças políticas e econômicas importantes: o aumento da desigualdade social, o êxodo rural e maior industrialização.

Com essas transformações, artistas europeus, principalmente em Paris, passaram a questionar a arte feita até então, rompendo com os padrões dos séculos passados e aproximando a arte da realidade do período.

Características das vanguardas europeias

Cubismo

O cubismo surgiu em 1907 e promoveu uma grande transformação estética nas artes. Foi a manifestação artística e cultural que propunha a quebra dos padrões de perspectiva e proporção na arte. Tinha como principais características:

  • Valorização das formas geométricas.
  • A dissociação das partes de um mesmo objeto.
  • Recorte e a montagem.
  • Declínio ao uso das noções de perspectiva.

Os cubistas pintava um objetivo sem respeitar as perspectivas. Dessa maneira, um objeto era representado com todas as suas dimensões estampadas na tela plana, em uma espécie particular de representação 2D.

Quadro de Pablo Picasso chamada Mulher chorando.
Pintura cubista de Pablo Picasso: Mulher Chorando, 1937.

Pablo Picasso é um dos principais nomes do Cubismo no mundo da pintura e das artes plásticas.

Conheça as fases do cubismo e a sua influência no Brasil.

Futurismo

O futurismo foi o movimento que propôs uma total ruptura com a arte e cultura anteriores ao século XX.

Foi iniciada por volta de 1909 com a publicação do poeta italiano Marinetti no jornal francês Le Fígaro, intitulada "Fundação e Manifesto do Futurismo".

O movimento futurista teve forte impacto na arquitetura, nas artes plásticas e na pintura. Suas principais características são:

  • Ruptura com a arte histórica.
  • Valorização do urbano.
  • Valorização da industrialização e da mecanização.
  • Valorização da rapidez, do dinamismo e da urgência da vida moderna.
  • Valorização da tecnologia.

Especialmente na arquitetura houve um enaltecimento de obras funcionais e sem muitos ornamentos ou decoração. Na pintura e na escultura, a utilização de cores fortes e contrastantes, e a sensação de velocidade e dinamismo das obras são importantes marcas do movimento.

Mesmo pregando a quebra de tradições e a liberdade, o futurismo também se aproximava de uma glorificação da máquina e da tecnologia, assim como da guerra e da violência, devido à I Guerra Mundial.

Na Itália, os futuristas tiveram participação política, com o Partido Futurista. Entre os seus objetivos estava o patriotismo por meio do engrandecimento da tecnologia. Mesmo sendo anterior ao fascismo, essas características do movimento artístico-cultural serviram de base para a fundamentação dos ideais propostos por Mussolini.

Entenda as características do fascismo.

tela futurista de Giacomo Balla
Quadro Linha de velocidade, de Giacomo Balla, 1913.

O pintor italiano Giacomo Balla e o arquiteto Antonio Sant’Elia são grandes nomes do futurismo.

Expressionismo

O movimento expressionista surgiu por volta de 1910 e se destacou principalmente na Alemanha.

Alguns estudiosos veem a manifestação artística como uma segunda fase do impressionismo, pois os artistas não desejavam romper com as características impressionistas, mas realçar os sentimentos humanos e expressá-los por meio da arte.

As principais características do expressionismo são:

  • Expressão da profundidade dos sentimentos.
  • Cores vibrantes e resplandecentes
  • Uso de tintas e texturas grossas
  • Afastamento das noções de belo ou feio.
  • Foco em questões/sentimentos sombrios e tristes.

O interesse dos expressionistas por termas mais tenebrosos é resultado da experiência da I Guerra Mundial.

O famoso pintor Vincent van Gogh é um dos artistas precursores do expressionismo. Entretanto, só teve o seu trabalho verdadeiramente reconhecido após a sua morte em 1890.

Retrato de Theo van Gogh pintado por Vicent van Gogh
Retrato de Theo van Gogh, irmão mais novo do pintor Vincent van Gogh, 1887.

O público da época não conseguiu observar que os quadros e desenhos do pintor seriam vanguardistas da futura arte moderna.

Dadaísmo

O dadaísmo remonta os anos de 1916 e surgiu entre artísticas que se exilaram na Suíça para evitar combater na I Guerra Mundial.

Por meio do movimento, os artistas contestavam a irracionalidade da guerra, assim como toda a realidade que não conseguia evitá-la. As principais particularidades dessa manifestação artística eram:

  • Negação da lógica nas artes.
  • A arte como algo que não deve ser racionalizado, que deve vir do subconsciente humano.
  • Gosto pelo absurdo.
  • Qualquer objeto pode ser considerado arte.
  • Gosto pela sátira e pela crítica.
  • Niilismo.

Um dos artistas mais famosos do dadaísmo foi Marcel Duchamp, responsável pela obra "A Fonte". Duchamp é considerado um artista que abriu os caminhos para a Pop Art e para Op Art.

Obra de arte de Marcel Duchamp, chamada A Fonte
"A Fonte" de Marcel Duchamp, 1917.

Conheça mais sobre a Pop Art e a Op Art.

Surrealismo

O movimento surrealista foi fortemente influenciado pelos estudos psicanalistas de Freud. Surgiu, aproximadamente em 1924, por meio do "Manifesto do Surrealismo" de André Breton.

Os surrealistas misturavam a realidade com o fantástico. Tiveram como uma de suas bases o dadaísmo, mas ao contrário do movimento anterior, os surrealistas pregavam a construção de um novo mundo.

As principais características do Surrealismo eram:

  • Influência da psicanálise.
  • Valorização de uma mente livre para criar, sem controles.
  • Valorização do subconsciente.
  • Uso de formas abstratas.
  • Aproximação com o fantástico.
  • Inspirações através dos sonhos e da sexualidade.
Pintura As duas Kridas pela artista surrealista Frida Khalo.
Pintura "As Duas Fridas" de Frida Khalo, 1939.

Artistas surrealistas conhecidos em todo mundo são o pintor espanhol Salvador Dalí e a pintora mexicana Frida Kahlo.

Influência das vanguardas no Brasil

Semana de Arte Moderna

Segundo o pesquisador Evandro Nascimento, o movimento modernista no Brasil foi bastante complexo e abrangeu várias vertentes. Os primeiros passos aconteceram entre 1912 e 1917, sendo o seu principal marco a Semana de Arte Moderna, em São Paulo, em fevereiro de 1922.

Sob influência das vanguardas europeias e a sua ruptura com a forma tradicional de fazer arte, os artistas brasileiros começaram a repensar a arte no país.

A Semana de Arte Moderna simbolizou uma nova forma de se fazer arte no Brasil. O evento aconteceu no Teatro Municipal de São Paulo e reuniu artistas da pintura, escultura, música, literatura e arquitetura. Além das exposições, também aconteceram palestras e conferências.

Artistas brasileiros conhecidos participaram da Semana, como Oswaldo de Andrade, Mário de Andrade e Villa-Lobos.

A partir da Semana de Arte Moderna, o movimento modernista ganhou força no Brasil, associado a uma manifestação de valorização nacional. Segundo a pesquisadora Lúcia Helena Ramos de Souza, o modernismo brasileiro acabou por ser influenciado pelo aspecto ufanista do futurismo.

Manifesto Antropofágico

O movimento modernista no Brasil teve forte aspecto patriótico. O Manifesto Antropofágico, escrito e publicado por Oswaldo de Andrade, em 1928, pretendia resgatar simbolicamente alguns rituais indígenas.

Mais especificamente os rituais antropofágicos, em que algumas populações indígenas brasileiras comiam a carne dos seus inimigos, capturados durante as batalhas. A tradição indígena acreditava que ao consumir a carne humana, iriam adquirir as qualidades do guerreiro capturado, como sua força e coragem.

O Manifesto de Oswaldo de Andrade pregava "devorar" a cultura europeia, imposta pelo colonizador, e utilizar a arte a partir de um olhar brasileiro, com liberdade mas sem perder a identidade nacional.

Um dos grandes símbolos artísticos do Manifesto Antropofágico é o quadro Abaporu, de Tarsíla de Amaral. Abaporu significa "o homem que come".

Quando de Tarsila do Amaral
Pintura Abaporu de Tarsila do Amaral, 1928.

Modernismo

O Modernismo se espalhou por diversos setores das artes e contribuiu fortemente para a construção da cultura brasileira. Remodelando a identidade nacional.

Ainda no século XX, são fundados os principais museus de arte brasileiros: o Museu de Arte de São Paulo (Masp) em 1947, o Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM SP) e o Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM RJ) em 1948.

As principais características do Modernismo no Brasil foram:

  • Valorização nacional.
  • Busca por uma arte tipicamente brasileira.
  • Inspiração a partir de temáticas do cotidiano.
  • Liberdade para criar a partir das bases artísticas europeias/coloniais, mas sem se limitar. Ressignificar a arte feita no Brasil.
  • Na literatura: semelhança da linguagem escrita à linguagem falada.

Grandes nomes brasileiros do modernismo foram Villa-Lobos, Cândido Portinari, Tarsila do Amaral e Oswaldo de Andrade.

Influência das vanguardas europeias na Literatura

Apesar de as vanguardas europeias serem mais conhecidas por meio das pinturas, trataram-se de movimentos artísticos e culturais amplos e que atravessaram diversas categorias de arte, entre elas, a literatura.

Conforme a premissa de cada vanguarda, essa se manifestou de uma maneira na literatura.

No cubismo, o desmembramento das partes de um todo e a fragmentação de objetos foi adotado como uma subdivisão da realidade. Houve também uma predominância no uso de substantivos.

O modernista brasileiro Oswaldo de Andrade foi um importante nome para a literatura cubista no Brasil.

No futurismo, a ruptura com o passado e os tradicionalismos foi uma de suas grandes particularidades. Na literatura, essa ruptura era evidente por meio da negação ao uso da pontuação ou adjetivos, os verbos em sua maioria eram utilizados no infinitivo, procurando por um verso completamente livre.

As temáticas também abordavam o dia a dia da vida moderna. A obra Paulicéia Desvairada de Mário de Andrade é considerada futurista.

A literatura expressionista se aproximava do sombrio e da dor humana. Criticava a repressão social e a burguesia. Em sua vertente mais técnica adotava a liberdade criativa, sem se preocupar com a forma.

Já no dadaísmo, a literatura assumiu características de desordem, falta de racionalidade ou lógica e improviso. Associando palavras livremente.

O artista Tristan Tzara, em um manifesto dadaista, demonstrou como poderia ser um poema do movimento e deixou claro que seria esperado que público não pudesse entendê-lo.

Com o surrealismo, a literatura assumiu uma espécie de escrita automática, como um fluxo de consciência. As inspirações, a partir das teorias da Psicanálise de Freud, vinham dos sonhos, do fantástico e da sexualidade.

O brasileiro Mario Quintana teve escritos considerados surrealistas. Alguns estudiosos também encontraram características do movimento nas obras de Lewis Carrol: Alice no País das Maravilhas e Alice através do Espelho de 1865 e 1871, respectivamente.

Fontes:

  • IMBROSI, M.; MARTINS, S. In: História das artes. 2022. Disponível online.
  • NASCIMENTO, E. A Semana de Arte Moderna de 1922 e o Modernismo Brasileiro: atualização cultural e “primitivismo” artístico. Gragoatá, Niterói, n. 39, p. 376-391, 2, 2015.
  • SOUZA, L. H. R. A semana de 22, ontem e hoje. Letras de Hoje, Porto Alegre, v.29, n.3, p.43-53, 1994.
  • WILLETTE, J. The futurists go to war, part one. Art History Unstuffed. Los Angeles, 30 set. 2016. Disponível online.