Xadrez

O que é o xadrez:

Xadrez é um jogo de estratégia e tática onde cada enxadrista (jogador de xadrez) move 16 peças em um tabuleiro de 64 casas. O objetivo é a realização da jogada final que captura o rei adversário, deixando-o sem opções de movimento, chamada xeque-mate.

Como jogar xadrez

O jogo de xadrez é condicionado pelo conhecimento dos jogadores, uma série de estratégias são utilizadas ao longo da partida. Para um bom jogo, todo movimento deve ser intencional e planejado, as peças não devem ser movimentadas ao acaso.

Antes de iniciar a partida deve-se observar algumas regras elementares.

Nome e posição inicial das peças em um tabuleiro de xadrez

No início de uma partida, cada jogador dispõe de 16 peças: oito peões (P), duas torres (T), dois cavalos (C), dois bispos (B), uma dama (D) e um rei (R). Cada uma das peças possui um valor e segue um movimento diferente.

tabuleiro com alinhamento inicial das peças de xadrez

O posicionamento das peças se dá de acordo com as seguintes regras:

Na linha mais próxima ao jogador, as torres ocupam as casas das pontas, seguidas pelos cavalos, os bispos, a dama (na casa com a cor da peça. Dama branca, casa branca; dama preta, casa preta) e o rei. Os peões são enfileirados na linha seguinte, ocupando todas as oito casas.

Pela tradição, o jogo é sempre iniciado pelas peças brancas (ou claras, no caso das peças possuírem cores diferentes de preto e branco).

Movimento das peças de xadrez

As peças do xadrez movimentam-se conforme as seguintes regras:

  • Peão - movimenta-se para frente, em linha reta, uma casa por vez. Na posição inicial de cada peão, é permitido andar até duas casas (à escolha do enxadrista). O peão não retrocede (anda para trás) em nenhuma hipótese. Caso o peão consiga avançar até a oitava linha (primeira do adversário), ele é promovido e o jogador pode trocá-lo por qualquer peça, exceto peão ou rei.
  • Torre - movimenta-se na vertical ou horizontal, o número de casas que o enxadrista desejar, desde que não haja nenhuma outra peça no caminho. Peças da mesma cor limitam o movimento à casa anterior, peças do adversário podem ser capturadas, tomando o seu lugar.
  • Bispo - movimenta-se na diagonal livremente, também o número de casas que o enxadrista desejar desde que não haja nenhuma outra peça no caminho. O bispo jamais muda a cor da casa em que realiza seu movimento.
  • Cavalo - movimenta-se em "L", uma casa como torre (vertical ou horizontal) e uma como bispo (diagonal). Apenas ao cavalo é permitido saltar peças que estejam no caminho de seu movimento.
  • Dama - movimenta-se livremente em todas as direções, como torre ou como bispo (vertical, horizontal e diagonal).
  • Rei - movimenta-se como a dama, mas apenas uma casa por vez. O movimento do rei também é limitado pelas casas defendidas pelo adversário (ele não pode se colocar em xeque).

movimento das peças de xadrez

Captura das peças

A captura das peças, também chamada de conquistar, tomar ou "comer" é parte essencial do jogo. As peças capturadas são retiradas do jogo, com exceção do rei, já que sua captura decreta o fim da partida.

A peça que capturou deve então ocupar a casa em que estava a peça capturada. A captura respeita o movimento básico de cada uma das peças.

O peão é uma exceção. Ele se movimenta verticalmente, mas captura na diagonal, lateralmente a seu avanço. Caso uma peça adversária se encontre em frente a um peão, ela limita seu movimento e não pode ser capturada. Como o peão só avança, ele também não pode capturar para trás.

Xeque e Xeque-mate

O lance em que o rei é ameaçado pelas peças adversárias é chamado xeque. O jogador que propõe o ataque ao rei diz a palavra "xeque" para anunciar que o rei está em risco (em xeque).

Após decretado o xeque, só é permitido ao jogador que o recebe movimentar peças para a defesa do rei e assim, sair do xeque.

A vitória no xadrez é determinada quando um jogador realiza um movimento de ataque ao rei adversário, deixando-o sem opção de movimento para a defesa ou de fuga para o rei. Quando isso ocorre o jogador que realizou o ataque ao rei decreta o "xeque-mate" e sela a sua vitória.

Tradicionalmente, o jogador derrotado reconhece a vitória de seu oponente com um aperto de mãos.

O xadrez é um esporte?

Mesmo nunca tendo participado dos Jogos Olímpicos, a resposta é sim. Desde 1999, o xadrez é reconhecido pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) como um esporte.

Por ser um esporte quase exclusivamente mental, sua participação nas Olimpíadas fica restrita, assim como são impedidas as competições de esportes a motor (corrida de carros, lanchas, etc.).

Apesar disso, o xadrez possui uma federação esportiva internacional reconhecida (FIDE) e olimpíadas próprias (Olimpíada de Xadrez), disputadas por equipes a cada dois anos.

Uma breve história do xadrez

O xadrez difundido e praticado hoje em dia, conhecido como xadrez internacional ou ocidental, começou a ser praticado na Espanha e na Itália, em meados do século XV, mas só teve suas regras definidas completamente já no século XIX.

No entanto, a origem do xadrez remete à Índia do século VI, em um tradicional jogo chamado chaturanga. Desde então, o jogo foi sendo exportado para diversas localidades, assumindo algumas características regionais.

Os primeiros torneios de xadrez foram disputados na segunda metade do século XIX, se estabelecendo já no início do século XX.

Ao longo dos anos, muitos foram os nomes que dominaram as competições internacionais, por exemplo, o cubano José Raul Capablanca campeão durante a década de 1920. O aniversário de Capablanca foi escolhido como a data para a comemoração dia internacional do enxadrismo (dia 19 de novembro).

Na segunda metade do século XX, com o desenvolvimento dos computadores o xadrez assumiu o seu formato digital, dandop origem à construção de máquinas capazes de analisar e praticar jogadas.

Um dos grandes momentos do esporte foram as famosas disputas entre o campeão mundial Garry Kasparov e o supercomputador da IBM, apelidado de Deep Blue.

As partidas aconteceram em 1996, com a vitória de Kasparov e em 1997, a revanche teve o supercomputador como vitorioso.

Alguns outros nomes se destacam na história do xadrez como:

  • Bobby Fischer
  • Magnus Carlsen
  • Anatoly Karpov
  • Viswanathan Anand
  • Emanuel Lasker
  • Mikhail Botvinnik
  • Alexander Alekhine

Veja também: