Significado de Colonização

Juliana Bezerra
Revisão por Juliana BezerraProfessora de História

O que é Colonização:

Colonização é o processo pelo qual os seres humanos ocuparam novos territórios pelo mundo. Uma colonização pode ter como objetivo a habitação ou a exploração de recursos.

O período da colonização na Idade Moderna se inicia no final do século XIV, com o crescimento econômico de países europeus e asiáticos. As colonizações a partir desse período se caracterizam, em geral, pelo uso da violência e dominação dos povos nativos.

A colonização europeia, que abrangeu a maior parte do mundo, tinha como principal motivação a busca por mercadorias para comercialização e metais preciosos.

Nesse período predominava o mercantilismo, um modelo econômico baseado em trocas comerciais e no acúmulo de ouro e prata.

As principais nações colonizadoras da Europa foram: Portugal, Espanha, Inglaterra, França e Holanda. O período da colonização por esses países começa no início do século XV e se estende até o século XIX.

A colonização do Brasil

A colonização do território brasileiro pelos portugueses se iniciou, de fato, em 1530 e se estendeu até 1822.

Mas se os portugueses chegaram no território brasileiro em 1500, por que a colonização se iniciou apenas em 1530?

Entre 1500 e 1530, as expedições enviadas pelos portugueses ao Brasil eram apenas de reconhecimento do território, eles ficavam durante alguns meses e logo retornavam a Portugal. Nesse período, foram apenas construídas algumas feitorias para a exploração do pau-brasil.

Conheça mais sobre o pau-brasil, árvore originária do país.

ColonizaçãoRetrato do desembarque de Pedro Álvares Cabral em território brasileiro em 1500. Óleo sobre tela de Oscar Pereira da Silva (1922).

A primeira expedição de colonização foi enviada em 1531 e foi motivada por algumas preocupações por parte de Portugal:

  • Queda no lucro do comércio no Oriente: ao tomarem Constantinopla, os turcos dominaram o comércio no Oriente e passaram a cobrar impostos muito caros, tornando o comércio pouco rentável para Portugal, o que forçou o país a buscar novas oportunidades comerciais.
  • Ameaça de invasores: o continente americano havia sido dividido entre Portugal e Espanha pelo Tratado de Tordesilhas, mas a Inglaterra e a França rejeitavam esse tratado e ameaçavam invadir os territórios do novo mundo.
  • Expansão da Igreja Católica: com o surgimento das vertentes protestantes do cristianismo na Europa, a Igreja Católica se enfraquece e encontra no Brasil uma oportunidade de expansão da sua crença, o que aconteceu, especialmente, com a catequização dos índios pelos jesuítas.

Entenda o que foi a reforma protestante.

Os portugueses, ao chegarem no Brasil, encontraram os povos indígenas. Grande parte desses índios foram eliminados em conflitos com os colonizadores ou por doenças trazidas por eles.

A colonização portuguesa foi marcada pelo uso da violência e trabalho escravo. Grande parte dos indígenas que sobreviveram eram utilizados como mão de obra escrava, que seria ampliada anos mais tarde com os negros trazidos da África.

Convencionou-se tratar como “descobrimento do Brasil” a chegada dos portugueses na região. Utilizar esse termo, no entanto, seria desconsiderar os povos que já habitavam o território há séculos.

Os primeiros povoados fundados pelos portugueses, no litoral paulista, eram chamados de Vilas de São Vicente e Piratininga. Nessas vilas foram realizadas as primeiras experiências de plantio e cultivo da cana-de-açúcar.

Os indígenas e os negros foram utilizados como mão de obra escrava nos engenhos de açúcar. Chamado ciclo do açúcar, o período de exploração da cana de açúcar iniciou por volta de 1530 e se estendeu até meados do século XVIII.

Organização política do período colonial

A primeira tentativa de organização do território brasileiro foram as Capitanias Hereditárias. Esse sistema, no entanto, não obteve sucesso, então criou-se o chamado Governo-Geral.

Capitanias Hereditárias

Implementadas em 1934, as capitanias eram extensas faixas de terra concedidas a nobres portugueses pelo Rei de Portugal Dom João III (1502-1557) - quem recebia uma capitania era chamado de donatário.

Foram criadas 15 capitanias e cedidas a 12 donatários (alguns receberam mais de uma porção de terra). Esses donatários tinham direitos e privilégios sobre a exploração do território e deviam obrigações à metrópole.

A falta de recursos das capitanias e os ataques de indígenas à essas terras, levaram ao fracasso do sistema. Em 1548 outra forma de organização política e administrativa é adotada: o Governo-Geral.

Governo-Geral

O Governo-Geral foi uma forma de organização centralizada, comandada por um governador indicado pelo Rei. Dentre suas responsabilidades estavam o desenvolvimento econômico da colônia e a proteção das terras.

Nesse período, foram criados novos cargos políticos, com distintas responsabilidades:

  • Ouvidor-mor: justiça e leis.
  • Provedor-mor: arrecadação e finanças.
  • Capitão-mor: defesa contra ataques dos índios ou invasores.

O primeiro governador foi Tomé de Souza (1549-1553), que construiu a cidade de Salvador e a tornou capital do Brasil. Os próximos governadores do Brasil foram Duarte da Costa (1553-1558) e Mem de Sá (1558-1572).

Com a morte de Mem de Sá, o Brasil foi dividido entre o Governo do Norte, cuja capital era Salvador e Governo do Sul, com capital no Rio de Janeiro. O fim do sistema de governos-gerais se daria em 1808, com a chegada da família real portuguesa ao Brasil.

A transferência da corte portuguesa marca o início de um processo que culminaria na proclamação da independência do Brasil em 1822 e o fim do período colonial.

Entenda como foi a proclamação da independência do Brasil.

Independência do BrasilPríncipe Pedro e multidão após a declaração de independência do Brasil, dia 7 de setembro de 1822. Óleo sobre tela de Pedro Américo (1888).

A seguir, saiba como foi a colonização de outras regiões das Américas pelos espanhóis, ingleses e franceses.

Colonização espanhola

A colonização espanhola se inicia com a chegada de Cristóvão Colombo em 12 de outubro de 1492, em uma ilha na região das Bahamas. As ilhas do Caribe foram as primeiras ocupações espanholas, onde grande parte dos nativos foram dizimados pela violência e doenças trazidas pelos colonizadores.

Cristóvão ColomboChegada de Cristóvão Colombo na ilha que renomeou como São Salvador, nas Bahamas, em 1492. Autor: Currier & Ives (1876).

Em seguida, a colonização espanhola se estendeu para as áreas continentais das Américas, dominando uma extensa região que vai do território onde hoje é a Califórnia até a Patagônia - parte oeste do Tratado de Tordesilhas.

Os espanhóis, assim como os portugueses, tinham como objetivo a obtenção de metais preciosos e a exploração de produtos tropicais para serem comercializados e para isso utilizavam-se do trabalho escravo.

Grande parte da mão de obra escrava nas colônias espanholas era indígena, que era subjugada pela catequização. Os negros africanos não foram tão utilizados pelos espanhóis em seu território, com exceção das ilhas do Caribe e regiões como Peru, Colômbia e Venezuela.

A sociedade espanhola era dividida hierarquicamente da seguinte forma:

  • Chapetones: espanhóis que ocupavam altas funções na administração.
  • Criollos: filhos de espanhóis que nasceram na América, em geral, trabalhavam na grande agricultura e comércio.
  • Mestiços, índios e escravos: base da sociedade, desempenhavam funções marginalizadas ou estavam submetidos ao trabalho compulsório.

Características da colonização espanhola

Política

O território dominado pelos espanhóis foi dividido em três Vice-reinos, que estavam subordinados à Coroa espanhola: Vice-reino de Nova Espanha, Vice-reinado da Índia e Vice-reinado do Peru.

A partir do século XVIII, foram criados outros três Vice-reinados: Vice-reino de Nova Granada; Vice-reino do Rio da Prata e Vice-reino do Peru. E também, quatro capitanias gerais: Cuba, Guatemala, Venezuela e Chile.

Para administrar o extenso território espanhol, foram criadas instituições para a nomeação dos Vice-reis, para criação de leis, fiscalização das atividades e recolhimento de impostos e Tribunais de Justiça. Além disso, havia as missões, responsáveis pela catequização dos índios.

Economia

As colônias espanholas tinham como principal atividade a mineração. O trabalho compulsório dos índios era realizado de duas formas:

  • Encomienda: em troca de trabalho, alimento e proteção, o índio recebia a evangelização.
  • Mita: era um regime de trabalho temporário, geralmente em minas e sob péssimas condições. Os indígenas eram sorteados para esse trabalho e um número muito pequeno retornava para casa no final do período. Devido à extrema insalubridade do trabalho, a maioria acabava falecendo durante o curto período de exploração.

Colonização inglesa

Os ingleses colonizaram as 13 colônias na América do Norte, que viriam a se tornar os Estados Unidos. Diferente do que aconteceu na colonização portuguesa e espanhola, a colonização inglesa foi feita, sobretudo, pela iniciativa privada e não pelo Estado.

A Inglaterra enviava para a América do Norte "elementos indesejados" da população, como desempregados, órfãos, criminosos e camponeses endividados. O controle sobre essas colônias era pouco, pois a metrópole enfrentava turbulências internas, com disputas políticas e religiosas.

A vida em sociedade nas colônias inglesas era marcada por uma profunda segregação entre brancos, índios e negros. É verdade que houve segregação e racismo nas outras colônias nas Américas, mas no caso dos ingleses, a relação entre esses povos era ainda mais distante.

A união entre nativos e ingleses era muito rara e entre os brancos e negros era praticamente inexistente. Vale acrescentar que durante o período colonial, muitos extermínios de indígenas foram realizados.

Veja também o significado de segregação.

Colonização

Colônias britânicas na América do Norte.

Características da colonização inglesa

Política

A partir de 1606 começa o processo de colonização da América do Norte, quando a coroa inglesa concede os territórios das 13 colônias a duas empresas: a Companhia de Londres, que dominou os territórios do norte e a Companhia Plymouth, que ocupou as colônias do sul.

Essas empresas tinham autonomia para explorar o território, mas se subordinavam ao Estado Inglês. Cada colônia funcionava sob a concepção do self-government (autogoverno) e gozavam de autonomia política.

Economia

As atividades econômicas desenvolvidas foram muito diferentes nas colônias do norte e do sul. O norte tinha um clima mais temperado, usava mão de obra servil e produzia para o mercado interno. Além disso, essas colônias desenvolveram o comércio e a manufatura.

As colônias do norte realizavam um intenso comércio com as colônias espanholas no Caribe e África. Nesse período, era comum a troca de pessoas escravizadas por rum e tabaco.

O sul tinha clima subtropical e tinha como principal atividade econômica a monocultura para exportação. A relação de trabalho nessas colônias era majoritariamente escrava.

Saiba como foi a Independência dos Estados Unidos.

Colonização francesa

A colonização francesa nas Américas começa a ter sucesso a partir do século XVII, dois séculos depois de iniciada a colonização pelos países ibéricos. Antes disso, o país teve algumas tentativas frustradas de invasão dos territórios de colonização ibérica.

As principais colônias francesas na América foram a Nova França e Quebec, no atual Canadá, algumas ilhas no Caribe, entre elas o Haiti e a Guiana Francesa na América do Sul.

Características da colonização francesa

Política

O Estado francês exercia um forte controle sobre as colônias americanas, mas apesar disso, o país foi perdendo seus territórios ao longo dos séculos de colonização.

A primeira perda foi a conquista da Nova França, que ficava localizada na América do Norte, pelos ingleses e indígenas da região, em 1763. Em seguida perderam outros territórios na própria América do Norte e também na Ásia.

No Haiti, enfrentou uma enorme revolução da população escravizada, que resultou na independência desse país em 1804 - a única revolta escrava a obter sucesso na história.

Entenda o que é uma revolução.

Revolução escrava HaitiRevolução escrava no Haiti.

Economia

O objetivo da colonização dos territórios americanos era a exploração para exportação de produtos tropicais, como a banana, o tabaco, o rum, o café e o açúcar, com exceção da Guiana Francesa, que tinha como principal atividade a pesca e a exploração do ouro.

Nos territórios conquistados na América do Norte, que hoje fazem parte do Canadá, o principal produto explorado pelos franceses eram as peles de animais, principalmente castores e raposas.

As colônias da América do norte utilizavam mão de obra livre, já nas ilhas do Caribe, havia extensa utilização de mão de obra escrava.

Veja também o significado de mercantilismo.

Data de atualização: 29/11/2019.

Juliana Bezerra
Revisão por Juliana Bezerra
Bacharelada e Licenciada em História, pela PUC-RJ. Especialista em Relações Internacionais, pelo Unilasalle-RJ. Mestre em História da América Latina e União Europeia pela Universidade de Alcalá, Espanha.