Significado de Conciliar

O que é Conciliar:

Conciliar é o verbo que significa harmonizar, tranquilizar, adequar ou ajustar.

A palavra conciliar também remete para o ato de chegar a um acordo com alguém ou criar uma aliança com o propósito de alcançar algum objetivo. Ex: Os pais se conciliaram para protestar contra os métodos pouco ortodoxos dos professores.

Etimologicamente, esta palavra tem origem no latim concilium que indicava um conjunto de pessoas em reunião.

Conciliar também pode consistir em encontrar um equilíbrio e demonstrar capacidade de cumprir duas tarefas distintas. Ex: Ele tem muita força de vontade e surpreendia todo mundo porque conseguia conciliar o estudo e o trabalho. / Ele estava com muitos problemas porque não sabia conciliar a vida pessoal e profissional.

Existe a dúvida de muitas pessoas entre conciliar e consiliar. Escrever consiliar é errado, já que é uma palavra que não faz parte da língua portuguesa.

Projeto Conciliar é legal

O projeto "Conciliar é legal" é um projeto do âmbito jurídico que tem como objetivo facilitar os processos judiciais através de um acordo entre as duas partes. Quando uma das partes envolvidas em um processo judicial comunica ao tribunal que pretende conciliação, é apontado um conciliador e marcada uma audiência para que cheguem a uma conclusão justa para os dois.

A conciliação fica mais barata, mais rápida e eficaz, porque tudo fica resolvido em um só ato e as partes envolvidas não têm despesas com documentos e deslocações constantes para o tribunal.

Muitas pessoas recorrem à conciliação em casos de guarda de menores, pensão alimentícia, divórcio, acidentes no trânsito, etc. No entanto, existem alguns casos em que não é possível fazer uso deste recurso, mais concretamente nos casos de crimes contra a vida ou em casos de violência doméstica.

Concílio da Igreja

Um concílio é uma reunião convocada por líderes religiosos para tratar de temas relacionados com a Igreja.

O primeiro Concílio foi conhecido como Concílio de Jerusalém (episódio descrito no capítulo 15 de Atos dos Apóstolos), do qual fizeram parte presbíteros e apóstolos como Pedro e Paulo. O concílio de Jerusalém foi convocado porque alguns homens se deslocaram para a Antioquia e estavam ensinando que os homens não poderiam receber a salvação se não fossem circuncidados, o que não era a visão da Igreja. Assim, o Concílio de Jerusalém contou com a participação de Paulo, Pedro, Barnabé, Tiago e outros para resolver esse conflito.

Mais tarde, no âmbito da Igreja Católica existiram outros concílios, como os Concílios de Niceia (o primeiro em 325 e o segundo em 787), que trataram da heresia de Ario (I) e da legitimidade da veneração de imagens (II). Foram convocados dois Concílios do Vaticano, o primeiro ocorreu entre 1869 e 1870 (abordou o tema da infalibilidade pontifícia) e o segundo entre 1962 e 1965 (tratou de temas do âmbito pastoral).

Data de atualização: 31/01/2014.