Significado de Idade Média

O que é Idade Média:

Idade Média é um período da história que se inicia em meados do século V (476 d.C), com a queda do Império Romano do Ocidente, e se estende até meados do século XV (1453 d.C), quando Constantinopla é invadida pelos turco-otomanos.

A Idade Média foi dividida didaticamente em Alta Idade Média e Baixa Idade Média. Nos primeiros 500 anos houve a ascensão do modo de vida predominante nesse período, já os 500 anos finais são marcados pelo início das transformações que levariam o fim desse período e o início da Idade Moderna.

Apesar de ter sido considerada a "idade das trevas" por intelectuais do período subsequente devido ao limitado desenvolvimento cientifico e intelectual da época, a Idade Média é um extenso período cujos acontecimentos moldaram a sociedade ocidental atual.

Resumo da era medieval

Para entender o início da da Idade Média, é preciso lembrar o que estava acontecendo na Europa antes do século V. Nesse momento, boa parte da Europa e também partes da Ásia e da África faziam parte do Império Romano.

O Império Romano se iniciou em 27 a.C. e se tornou uma das maiores civilizações da história. Durante séculos, o Império Romano exerceu seu poder na região, com uma estrutura administrativa poderosa, exércitos e estruturas viárias que interligavam o território.

A partir do século II, povos chamados pelos romanos de "bárbaros" começaram a invadir o território romano, ocupar regiões e estabelecer seu poder. Durante as invasões, esses povos realizavam saques nas cidades, o que provocava medo na população, que passou a fugir para o campo.

Assim se inicia a ruralização, que vai determinar o modo de produção feudal que se estabelece durante a Idade Média.

Em 476 d.C, os hérulos - de origem germânica - invadem Roma e depõe o último Imperador, Rômulo Augústulo. Essa deposição marca a queda do Império Romano do Ocidente e o início da Alta Idade Média.

Vale lembrar que o Império Romano havia se dividido em dois: ocidental e oriental. O início da Idade Média corresponde à queda do Império Romano do Ocidente, o Império Romano do Oriente mantém seu poder e cairá somente no final da Idade Média.

Alta Idade Média

A Alta Idade Média se inicia com a queda do Império Romano do Ocidente e vai até o fim do século X. O início da Idade Média é marcado pela volta das pessoas ao campo, que fugiam das invasões bárbaras nos territórios romanos.

Para se proteger, as pessoas formavam núcleos fortificados em torno de propriedades, onde o proprietário exercia o poder e oferecia terras em troca de proteção contra invasores.

Dessa organização surgem os feudos e o modo de produção feudal, que foi predominante e atingiu seu ápice na Alta Idade Média. No feudalismo, os senhores de terras ofereciam parte das terras para outros nobres em troca de serviços e proteção.

Esse sistema era conhecido como suserania e vassalagem, no qual o suserano era quem oferecia terras e o vassalo aquele que recebia. Além disso, existiam os servos, que viviam nas terras e deviam obrigações, impostos e serviços ao senhor feudal.

Dentro dessas propriedades, as pessoas viviam em modo de subsistência, isto é, produziam o que precisavam para viver, dessa forma, as atividades comerciais que já eram comuns no Império Romano, perderam importância.

A organização política feudal era descentralizada, isso significa que não havia um rei ou imperador de toda uma extensão territorial. Haviam os senhores de terra, que exerciam poder apenas dentro de seu territórios, onde podiam cobrar taxas e impostos.

A instituição mais poderosa da Idade Média foi a Igreja Católica. Apesar de ter surgido durante o Império Romano, foi no período medieval que seu poder se consolidou e foi a partir desse poder que ela iria, séculos mais tarde, exercer o poder sobre boa parte do mundo ocidental.

Aprenda mais sobre o feudalismo e suas características.

Baixa Idade Média

A partir do século XI, no entanto, algumas mudanças na sociedade europeia vão levar ao início da crise do sistema feudal, que marca o início da Baixa Idade Média:

  • O desenvolvimento de novas técnicas agrícolas leva ao aumento da produção agrícola.
  • Crescimento demográfico, que levou ao excedente populacional.

Nesse momento, a Igreja Católica convoca as Cruzadas, que foram expedições organizadas pela Igreja Católica com o objetivo declarado de libertar a Terra Santa do domínio muçulmano.

Sabe-se, no entanto, que haviam outros interesses em realizar as cruzadas. Um deles era o deslocamento do excedente populacional da Europa, já que havia um desequilíbrio entre a produção de alimentos e o crescimento populacional.

Outro objetivo também era a conquista de terras no oriente, especialmente por aqueles nobres que haviam perdido suas terras no território europeu. E por fim, haviam interesses comerciais entre ocidente e oriente, o que chamamos de renascimento comercial.

Os produtos trazidos do oriente eram comercializados na Europa e é nesse momento que surgem as feiras, que se localizavam especialmente em cidades próximas ao mar mediterrâneo. Gênova e Veneza foram as cidades que mais se destacaram nesse tipo de comércio.

Com o fortalecimento do comércio, os moradores do campo se deslocam para as cidades e formam os burgos. Os burgos são o início da reurbanização e é desses lugares que irá surgir, séculos mais tarde, a nova classe social chamada burguesia, composta por artesões, banqueiros e comerciantes.

Entenda o que é Guerra Santa.

A peste negra e a Guerra dos Cem Anos

Além de todas as mudanças pelas quais a sociedade europeia passava ao final da Idade Média, outros acontecimentos tumultuaram a Europa nos últimos anos desse período, em especial a peste negra e a Guerra dos Cem Anos.

A peste negra foi uma doença transmitida por ratos que dizimou um terço de toda a população europeia. Acredita-se que a praga tenha sido trazida da Ásia em 1331 nos navios e se espalhou pela Europa depois da chegada destes nos portos.

A Guerra dos Cem Anos (1337-1453) foi outro episódio do final da Idade Média que causou muita turbulência. Esse conflito foi travado entre França e Inglaterra e teve um alto poder destrutivo. Além de muitas mortes, essa guerra devastou as produções agrícolas da França.

Fim da Idade Média

Todas as mudanças nas estruturas da sociedade europeia enfraqueciam o regime feudal e abriam caminho para a próxima fase da história: a Idade Moderna.

Considera-se, oficialmente, o fim da Idade Média o ano de 1453, quando os Turco-otomanos conquistam a cidade de Constantinopla e derrubam o Império Romano do Oriente, também conhecido como Império Bizantino.

O Ano de 1492, com a chegada de Cristóvão Colombo ao continente americano também é considerado um marco para o fim da Idade Média.

Idade das trevas

A Idade Média foi considerada por alguns intelectuais da Idade Moderna como a "Idade das trevas", devido ao declínio na produção intelectual, artística e científica em relação ao período dos gregos e romanos. Para os pensadores iluministas e renascentistas, durante a Idade Média, a Igreja Católica teria impedido o desenvolvimento do conhecimento.

Hoje entende-se como preconceituosa a denominação de idade das trevas, pois durante esse longo período aconteceram avanços importantes, sobretudo no desenvolvimento da produção agrícola.

Além disso, é durante a Idade Média que surgem as primeiras universidades e também são desenvolvidos movimentos artísticos importantes, como o gótico e o romântico.

Veja também o significado de Iluminismo e Renascimento.

Data de atualização: 06/10/2019.