Significado de Nobreza

Juliana Bezerra
Revisão por Juliana BezerraProfessora de História

O que é a Nobreza:

Nobreza é uma característica atribuída a algo ou alguém que é nobre, ou seja, que pertence ao mais alto estrato de uma sociedade.

Ela teve sua maior representatividade durante a Idade Média, em que simbolizava a classe à qual pertenciam as famílias que tinham determinadas posses em uma localidade.

Normalmente eram considerados nobres as famílias que tinham heranças transmitidas por via sanguínea e que tinham direitos e deveres perante o soberano. Também faziam parte da nobreza as famílias que possuíam uma fonte de renda que beneficiava os sucessores desta riqueza. Estes direitos e deveres eram repassados de geração em geração.

A nobreza era, assim como o clero e o povo, um dos estados ou estamentos que formavam a sociedade europeia na Idade Média e na Idade Moderna.

Em uma linguagem mais filosófica, a noção de nobreza está relacionada com valores morais humanos como a generosidade, a lealdade, a honestidade e bom caráter.

Por esta razão, quando uma família possui muitas propriedades ou muito requinte, bons comportamentos, boa educação, é comum dizer que é uma família nobre. Quando uma pessoa possui uma conduta correta, agindo sempre conforme os valores humanos e dentro dos padrões morais da sociedade, é comum dizer que esta pessoa é nobre.

Por exemplo:

“Pedro é um homem de grande nobreza”.

O termo nobreza também pode ser usado como sinônimo de: magnanimidade, aristocracia, elevação, generosidade, liberalidade, munificência e nobiliarquia.

Veja também o significado de aristocracia.

Títulos de nobreza

Em linhas gerais, o título de nobreza era dado pela qualidade de pertencimento às famílias antigas durante a Idade Média. Também era possível ascender à nobreza pela concessão de um título dado pelo monarca - principalmente pela proximidade e fidelidade com o rei, bem como por casamento.

Da mesma forma, era possível se tornar um nobre ao receber um título como forma de recompensa pelos serviços prestados ao reinado.

Principais títulos de nobreza

Os títulos nobiliárquicos surgem no período do Idade Média e determinavam relações hierárquicas. Assim, quanto maior a proximidade do rei, mais alto poderia ser o título recebido.

Alguns deles eram repassados de forma hereditária - por via masculina, ou seja, através das gerações.

Normalmente, ao receber o título, o nobre também recebia um território para administrar, passando a ter deveres em relação ao soberano.

Os principais títulos de nobreza representam uma escala que obedece a uma ordem de poder. Os títulos são os seguintes:

  • Duque: depois do rei, o Duque era o nobre mais poderoso, recebendo grandes extensões de terra para administrar (ducados).
  • Marquês: este título é seguinte ao Duque na hierarquia da nobreza. O Marquês governava os marquesados, áreas territoriais concedidas pelo rei. Alguns eram responsáveis pelos territórios localizados em regiões de fronteira e lutavam para evitar invasões e proteger o território real.
  • Conde: assessorava o rei em alguns assuntos como as questões de combates militares. Ele era tão importante no dia-a-dia dos reinos que tinha até um substituto para suas ausências, o Visconde. O Conde, assim como o Duque e o Marquês, também administrava áreas reais, chamadas de condados.
  • Visconde: este título foi criado para os nobres que eram substitutos dos Condes em sua ausência e eram responsáveis por dirigir pequenos territórios, do tamanho de vilas.
  • Barão: o título era uma honraria concedida aos súditos mais fiéis dos reis, geralmente homens ricos. As terras governadas pelos barões eram ainda menores, do tamanho de fazendas ou sítios.

Para saber mais detalhes, leia também o artigo Títulos de nobreza.

Data de atualização: 18/09/2019.

Juliana Bezerra
Revisão por Juliana Bezerra
Bacharelada e Licenciada em História, pela PUC-RJ. Especialista em Relações Internacionais, pelo Unilasalle-RJ. Mestre em História da América Latina e União Europeia pela Universidade de Alcalá, Espanha.