Teoria das Cores

O que é a Teoria das Cores?

Teoria das Cores são os estudos e experimentos relacionados com a associação entre a luz e a natureza das cores. Leonardo Da Vinci, Isaac Newton, Goethe e outros estudiosos inicialmente buscavam saber como acontecia o processo de formação das cores.

Com o passar do tempo a Teoria se tornou mais extensa e hoje compreende vários campos de observação a respeito das cores.

Os estudos incluem desde a compreensão sobre o que são as cores, como elas se formam, como acontece a interpretação da visão e do cérebro até os usos na prática e as melhores formas de aplicação.

O estudo das cores

O pintor e cientista italiano Leonardo Da Vinci (1452-1519), em suas pesquisas e formulações retratadas no livro Tratado da Pintura e da Paisagem – Sombra e Luz, já afirmava que a cor era uma propriedade da luz e não dos objetos.

Mais tarde, o físico inglês Isaac Newton (1643-1727), nos seus experimentos aprofundou os estudou sobre a influência da luz do sol na formação das cores.

O experimento de Newton

Newton estudou o fenômeno da difração, que consistia na decomposição da luz solar em várias cores quando atravessava um prisma. Para fazer o experimento, ele utilizou um prisma de vidro.

Ao observar a passagem da luz do sol pelo objeto, Newton percebeu que a luz se decompunha em diversas cores, que variavam do tom violeta ao vermelho. Ele deu ao feixe de luz o nome de espectro.

PrismaRepresentação do experimento realizado por Newton: ao atravessar o prisma a luz solar de decompõe.

O espectro visualizado por Newton é formado pela união das cores vermelho, laranja, amarelo, verde, azul, anil e violeta. Estas são as sete cores que formam a luz do sol eo arco-íris.

Círculo cromático

A partir dessa observação surge o círculo cromático. Ele contém doze diferentes cores, que ajudam a visualizar quais são as cores primárias, as secundárias e as terciárias que formam o espectro visível.

EspectroCírculo cromático: cores primárias (vermelho, amarelo e azul), cores secundárias (laranja, verde e roxo) e cores terciárias (vermelho-arroxeado, vermelho-alaranjado, amarelo-alaranjado, amarelo-esverdeado, azul-arroxeado e azul-esverdeado).

Branco e o preto: presença e ausência de luz

O branco e o preto (convencionalmente designados por cores) são apenas resultado da presença ou da ausência de luz. A cor branca é a luz pura, quando há uma reflexão total das sete cores.

Já a cor preta nada mais é do que a ausência total de luz, porque nesse caso as cores não se refletem, elas são absorvidas.

Quando a luz do sol incide em um objeto branco, este reflete os raios solares enquanto um objeto preto absorve todos os raios solares.

Harmonia das cores

A harmonia das cores estuda tipos de composições entre cores para compreender quais as combinações podem ser mais adequadas e atrativas para um determinado uso. A harmonia analisa a aplicação das cores considerando diferentes tons, intensidades e matizes.

As combinações podem ser feitas entre cores primárias, secundárias e terciárias, sendo importante considerar também se as cores são quentes ou frias. O estudo da harmonia das cores é feito a partir da análise de uma roda das cores.

Harmonia monocromática

Na harmonia monocromática é escolhida uma cor inicial, que deverá ser trabalhada juntamente com suas variações de tonalidade, que resultam de diferenças entre saturação e quantidade de luz e sombra, por exemplo.

É a harmonia mais simples e convém ser escolhida quando o contraste entre as cores não é um ponto fundamental para o trabalho, já que as combinações obtidas são caracterizadas pela simplicidade e pelo equilíbrio entre as tonalidades.

Harmonia análoga

A harmonia análoga é trabalhada a partir da escolha de uma cor primária (vermelho, azul e amarelo) que é utilizada em conjunto com cores próximas da roda das cores.

A cor primária escolhida é a cor principal, enquanto as cores seguintes têm a função de garantir mais harmonia ao conjunto de cores, podendo ser utilizadas em detalhes ou complementos. A harmonia análoga confere um pouco mais de contraste entre as cores, permitindo mais diversidade de combinações, em comparação à harmonia monocromática.

Harmonia complementar

Nesse tipo de harmonia são usadas duas cores complementares (combinação de cores com mais contraste), localizadas em pontos opostos na roda.

Assim como acontece nos outros tipos de harmonia, é preciso definir inicialmente uma cor predominante, que será usada juntamente com a cor complementar. O uso desse tipo de harmonia é indicado quando o objetivo é ressaltar um contraste de cores de maneira mais evidente.

Conheça mais sobre as cores complementares.

Harmonia triádica

Na harmonia triádica são utilizadas três cores diferentes, escolhidas de forma equidistante na roda das cores. Esse tipo de harmonia é indicado quando o contraste entre as cores é um ponto importante para o trabalho, já que os resultados possuem equilíbrio entre o contraste das cores e a harmonia do conjunto.

Assim como acontece nas demais harmonias, é interessante que uma das cores seja escolhida como principal, devendo-se utilizar as outras duas para efeitos secundários.

HarmoniaExemplos de harmonia das cores.

Conheça mais sobre os significados de cores primárias, cores secundárias e cores terciárias.

A Teoria das Cores de Goethe

O escritor e cientista alemão Johann Wolfgang von Goethe (1749-1832) publicou o livro Teoria das Cores em 1810. Na obra, ele descreveu suas impressões e estudos a respeito da fenomenologia da cor.

Goethe buscou compreender os impactos que eram causados pelo uso das cores, além de entender como esse conhecimento poderia ser mais bem aproveitado com uso adequado em diferentes áreas. Seus estudos deram espaço a uma percepção mais subjetiva e profunda das cores e sobre sua relação com a Psicologia, por exemplo.

Antes de concluir os estudos que levaram à publicação da Teoria, Goethe já havia registrado seus primeiros estudos no ensaio Contribuições para a Óptica, publicado em 1791.

GoetheA roda das cores criada por Goethe: ele determinou quais sentimentos poderiam estar associados a cada uma das cores.

Psicologia das cores

A Psicologia das cores é uma área de estudo que pesquisa de que forma as cores são capazes de motivar sentimentos, desejos e emoções. Sua função é fazer um mapeamento das simbologias mais prováveis que podem ser assimiladas quando uma determinada cor é utilizada.

A compreensão sobre o mecanismo de ação das cores pode ter muitos usos diferentes, sendo largamente utilizada em ações comerciais, de marketing e de publicidade.

Conheça mais detalhes sobre a aplicação da Psicologia das cores.

O que são cores?

As cores, como as enxergamos, podem ser explicadas como um fenômeno resultante da incidência e da reflexão da luz sobre um objeto.

A percepção humana das cores acontece por um processo que é influenciado pela quantidade de luz que é recebida e refletida por um objeto, somada à impressão que é registrada pelo olhar humano.

Para conhecer mais sobre as cores, veja também os significados de cores e cores quentes e frias.

Data de atualização: 29/01/2020.