Revolução Francesa

A Revolução Francesa foi um grande movimento que derrubou o regime absolutista da França e instaurou a república no país. Ela ocorreu no século XVIII, entre 1789 e 1799.

Apesar de ter sido um movimento com um objetivo simples, a Revolução Francesa contou com grandes acontecimentos ao longo dos seus 10 anos, que influenciam a política mundial e a sociedade até os dias atuais.

Foi a partir desse movimento que os ideais de igualdade, liberdade e direitos civis do povo começaram a surgir, em uma época que ainda predominavam as grandes monarquias.

Consideramos que a Revolução Francesa iniciou em 1789, com a Queda da Bastilha e terminou em 1799, quando Napoleão Bonaparte deu um Golpe de Estado e tomou o poder da França.

Resumo da Revolução Francesa

Para entender as causas da Revolução Francesa, é preciso saber como a França estava politicamente e socialmente antes do movimento efetivamente acontecer.

Antes da Queda da Bastilha, o país vivia um monarquia absolutista, liderada pelo Rei Luís XIV, autor da célebre frase "Eu sou o Estado".

Como bem sabe, num regime absolutista não existem leis, muito menos uma Constituição que possa direcionar o governo e o povo. Por isso, o rei detinha os 3 podres: legislativo, executivo e judiciário.

Essa

A sociedade francesa era considerada uma sociedade estamental, ou seja, ela se dividia em classes: a nobreza, o clero (igreja) e o terceiro estado (povo).

Nessa sociedade estamental, as pessoas que nasciam em uma certa classe, vivam para sempre dentro das condições que nasceu, sem propensão de ter uma ascensão ou declínio do seu nível social.

Isso quer dizer que uma criança que nascia camponesa, morreria como camponesa. Assim como uma que nascia na nobreza, morreria nobre.

Além dessa estrutura política e social, economicamente a França vivia uma situação gravíssima, com episódios de fome e grande seca em território nacional.

Essa situação se gravava a cada ano que se passava, já que a nobreza e o clero francesa eram considerados parasitários, ou seja, eles não trabalhavam para movimentar a economia e viviam dos impostos pago pelo povo.

O então Rei Luís, querendo ser um déspota esclarecido, trazendo ideias iluministas, começou a tentar a acalmar a situação já que o povo francês se revoltava com as questões econômicas precárias do país.

foi então que em 1797 ocorreu a Assembleia dos Notáveis, uma reunião entre o rei, a nobreza e o clero, com o objetivo de convencer a nobreza e o clero a pagar impostos.

Sem sucesso nessa Assembleia, o rei resolveu fazer uma nova assembleia, em 1798, dessa vez convocando os 3 estados. Nessa reunião, o voto não valia por pessoa e sim por classe. Ou seja, mesmo estando em maior número, o povo ainda estava em desvantagem.

O clero, junto a nobreza, decidiram juntas seus votos para que a situação permanecesse da mesma maneira: isenção de impostos para essas 2 classes e o povo continuaria pagando todo o imposto.

Foi então que, com a revolta geral do povo após essa decisão, que o terceiro estado decidiu fazer o Juramento da Sala do Jogo da Péla, um típico jogo francês. Eles foram para uma quadra e de Péla e declararam que só sairiam daquele lugar com um constituição que pudesse parar o rei.

Anos mais tarde esse evento foi considerado a primeira assembleia constituinte.

No meio de toda essa revolta do povo que surgiu o Grande Medo, um período em que muitos nobres fugiam de suas casas com medo dos camponeses que passaram a queimar e quebrar todos os pertences dos seus senhores.

A Queda da Bastilha e o início da Revolução Francesa

A Batilha era a torre de uma prisão desativada que foi utilizada como ponto de encontro pelos camponeses revoltados contro o governo, ainda durante a era do Grande Medo.

A posse dessa prisão era simbólica, porque ela foi um grande monumento do absolutismo na França. Foi então que os camponeses derrubaram a Bastilha, em 1789, como uma forma de demonstrar que tinha afrontado e derrubando uma parte do regime absolutista.

Foi a partir desse momento que começou uma grande luta contra o absolutismo na França.

É importante lembrar que a maior parte das pessoas que derrubaram a Bastilha eram os Sans-Culottes: denominação dada pelos aristocratas aos artesãos, trabalhadores e até pequenos proprietários que participaram da revolução. Eles foram a maior parte da população que lutou na revolução.

Foi a partir dessa queda e do Grande medo que muitas mudanças efetivas começaram a acontecer. O povo que participou da assembleia constituinte do Juramento da Sala do Jogo da Péla conseguiu abolir os direitos feudais e começaram a fazer reformas na área econômica, além de aprovarem a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão.

Essas reformas não são só importantes para a política na França, mas também porque marca o início dos Direitos Civis no país e ao redor do mundo.

Essa Declaração de liberdade de expressão aos indivíduos, além de assegurar o seu direito de ir e vir. Ela também conseguiu dividir o poder em legislativo, executivo e judiciário.

Uma das pautas mais presentes no início da Revolução Francesa era a que odas as pessoas deveriam ser tratadas de forma igualitária perante a lei. Esse, inclusive, é um dos princípios da nossa Constituição de 1988.

A bandeira da França é o resultado dos 3 pilares da revolução francesa. Suas cores significam:

  • Azul: Liberté (Liberdade)
  • Branco: Égalité (Igualdade)
  • Vermelho: Fraternité (Fraternidade).

Um outro acontecimento importante, ainda em 1790, foi a criação da Constituição Civil do Clero. Essa Constituição tinha por objetivo começar o processo de laicização do Estado, ou seja, separar a Igreja (clero) do Estado, tornando a França um país laico e livre de qualquer mandamento religioso.

A primeira Constituição da França

A primeira Constituição da França foi instaurada em 1791, inaugurando a monarquia constitucional. Agora, o rei Luís XIV continuava com o seu reinado, porém deveria obedecer um conjunto de leis, como qualquer cidadão.

Essa Constituição trouxe, entre outras coisas:

  • a divisão dos poderes;
  • o direito a propriedade privada;
  • o voto censitário: só poderia votar aqueles que comprovassem uma certa renda.

É a partir da implementação dessa constituição que a burguesia começa a lutar pelos seus direitos, jpa que no Antigo Regime, mesmo tendo riquezas, não conseguiam ter controle algum sobre nas decisões políticas.

Durante a crianção dessa constituição, o Rei Luís inicia um processo de conspiração para retomar seu poder absoluto na França. Para aplicar o golpe, ele entra de acordo com dois países: a Prússia e a Áustria.

A morte do rei Luís XIV e a proclamação da república

Nesse ponto da Revolução que a sociedade francesa que começamos a entender as reais diferenças entre os girondinos e jacobinos.

Os girondinos eram a parte da sociedade constituída pela alta burguesia e que queria evitar uma participação maior dos trabalhadores urbanos e rurais na política.

Essa parte da população aspirava por menos reformas na França e defendiam a limitação de muitas conquistas populares, além de serem liberais.

Os jacobinos eram a parte mais pobre da população, como a pequena burguesia, camponeses e a população em geral. Essa parte do povo era considerada mais radical e aspirava por proclamar a república na França, matar o rei, reivindicam os direitos da população geral e até mesmo o voto universal.

Essas duas divisões na sociedade francesa, também se dividiam em apoio ao rei Luís. Enquanto os girondinos queriam tentar um acordo e fazer com que o rei permanecesse no poder, mesmo numa monarquia constitucional, os jacobinos queriam extinguir qualquer tipo de monarquia no país.

Em 1792 a Prússia e a Áustria declararam guerra contra França, não só por estarem de acordo com o rei Luís, mas também por sentirem suas próprias monarquias ameaçadas com a Revolução que acontecia.

A França luta contra os dois países, ganha a guerra e descobre que o rei estava conspirando contra o próprio país para tentar retomar o poder absoluto.

O rei Luís então é condenado e morto por alta traição e a republica é proclamada no país, ainda em 1792.

O período do Terror

Com os girondinos no poder após a morte do rei, a Revolução começa a passar por grandes radicalizações. É nesse momento que os jacobinos tomam o poder da França, em 1793.

Ao longo desse período, muitos acontecimentos importantes ocorreram no país:

  • Revolta da Vendeia, uma oposição à revolução francesa. Essa revolta ocorreu quando os artesãos e camponeses ficaram contra a revolução e a burguesia das grandes cidades e a favor da igreja católica e do sistema monárquico, recebendo o apoio da aristocracia;
  • A nova Constituição de 1793, que traz, enfim, o voto universal, onde todos poderiam votar (mulheres ainda não eram incluída nos votos).
  • Reforma agrária: os jacobinos sancionam a Lei do Máximo faz a lei do máximo, que garantia que todo mundo tivesse acesso financeiro aos alimentos, sem restrições;
  • A escravidão é obolida nas colônias que a França tinha na América e na África.

Mesmo com todas as conquistas que dos jacobinos, um dos períodos mais sangrentos da revolução estava começando.

Maximilien Robespierre foi o grande líder da Revolução Francesa, ao lado dos jacobinos, também sendo o maior protagonista do período de terror no país.

Numa luta constante de instaurar grandes reformas e dar direitos iguais aos indivíduos, Robespierre ficou preocupado com quem não seguia a lei da França.

Foi por essa preocupação que ele começou uma caça a qualquer pessoa que pudesse ser anti-revolucionária e matou muitas pessoas, inclusive seis amigos.

Numa tentativa sangrenta de acabar com qualquer pessoa que pudesse estar indo contra a lei, Robespierre perdeu o apoio da população e foi morto pelo próprio povo, em 1793.

O período do Diretório e o fim da Revolução Francesa

Com a morte do maior líder dos jacobinos, os girondinos tomam o poder e começam a governar a França.

Ao assumirem o poder, os girondinos voltaram com o voto censitário e foi conhecido por um período em que a burguesia assumiu e colocou leis que beneficiassem a sua própria classe social.

Durante esse governo, houve uma grande movimentação chamada Conspiração dos Iguais, liderada por Grago Babeuf, com o objetivo de alcançar a liberdade efetiva entre os homens. Porém, o movimento não foi para frente.

A Revolução Francesa acabou em 1799, quando Napoleão Bonaparte fez um golpe chamado Dezoito do Brumário, onde ele tomou o poder da frança.

Data de atualização: 29/01/2020.