Socialismo

Pedro Menezes
Pedro Menezes
Professor de Filosofia, Mestre em Ciências da Educação

O que é o socialismo:

Socialismo é uma doutrina política, econômica e filosófica surgida no final do século XVIII. Caracteriza-se pela ideia de transformação da sociedade através da tomada dos meios de produção e do controle dos recursos econômicos pela classe trabalhadora, bem como a gestão pública orientada pelo princípio da igualdade social.

O socialismo surgiu durante a Revolução Industrial como programa político das classes trabalhadoras. Ele nasce como uma reação às condições de vida dos operários nos grandes centros industriais da Europa, contrapondo-se ao liberalismo e ao individualismo e defendendo uma total reformulação da sociedade.

A nova sociedade projetada pelos socialistas deveria ser erguida sobre bases comunitárias e centradas no valor do trabalho.

Enquanto doutrina econômica, o socialismo é o oposto do liberalismo, que se baseia na propriedade privada dos meios de produção e na economia de mercado. Para o socialismo, de modo geral, a economia é baseada na necessidade coletiva, não no lucro.

Origem do socialismo

O jornalista e agitador francês Noël Babeuf (1760 – 1797) é considerado um dos precursores do socialismo. Já no final do século XVIII, ele defendeu propostas de caráter socialista, como as reformas agrária e tributária.

Karl Marx (1818 – 1883) e Friedrich Engels (1820 – 1895) são dois dos principais nomes do socialismo no século XIX. Fundaram o chamado "socialismo científico", que, baseado num método científico, faz a crítica do regime capitalista e proporciona um programa político de libertação da classe trabalhadora.

O objetivo último desse programa é a superação das classes sociais - o comunismo, forma de organização social onde seriam abolidos o Estado e a propriedade privada dos meios de produção.

Na teoria marxista, o socialismo representaria a fase intermediária entre o fim do capitalismo e a implantação do comunismo.

No socialismo, o povo assumiria os negócios do Estado e os administrariam a partir de seus próprios interesses, com organização racional das forças produtivas.

Para Marx e Engels, essa etapa seria historicamente necessária para a construção de um novo modo de vida, liberto da ideologia capitalista, dando origem ao comunismo.

A partir dessa perspectiva, nenhum Estado ainda conseguiu ultrapassar essa fase, não proporcionando objetivamente uma experiência comunista no mundo. No entanto, ao longo do século XX e XXI, ocorreram algumas experiências socialistas.

Tipos de Socialismo

O socialismo admite uma série de correntes de pensamento, escolas e tendências. Todas elas possuem em comum as características fundamentais que configuram o socialismo:

No entanto, cada uma compreende modos distintos de realizar a mudança social, ainda que o objetivo final possa ser comum: a realização do princípio da igualdade.

Socialismo Utópico

O socialismo utópico foi uma corrente de pensamento criada por Robert Owen (1771 – 1858), Saint-Simon (1760 – 1825) e Charles Fourier (1772 – 1837). Nascido no início do século XIX, o socialismo utópico surgiu da crítica ao capitalismo e tentou encontrar soluções para os problemas da sociedade industrial.

O nome socialismo utópico surgiu graças à obra Utopia de Thomas More, sendo que a utopia, usada de forma pejorativa, é referente a algo que não existe ou não pode ser alcançado.

Esses primeiros socialistas tinham em mente a construção de uma sociedade mais harmônica, justa e de abundância pautada pelo comunitarismo e distribuição igualitária dos recursos.

Marx e Engels, embora reconhecessem a importância desses pensadores, distanciaram-se deles, acusando-os de "fantasiar" sobre o futuro da sociedade.

Marx e Engels criticavam nos socialistas utópicos o fato deles ignorarem as contradições existentes na sociedade e a importância da luta de classes, não apresentando, concretamente, um caminho viável para o socialismo.

Leia mais sobre socialismo utópico.

Socialismo científico

O socialismo científico, criado por Karl Marx e Friedrich Engels, propõe a análise científica do capitalismo, visando a sua superação.

O socialismo científico, também conhecido como marxismo, afasta-se do socialismo utópico por propor uma "ciência" da revolução. Seu propósito é o de determinar as leis que regem as organizações sociais do capital, seu surgimento e manutenção para, a partir daí, buscar meios para sua superação.

O socialismo científico foi determinante para o desenvolvimento da sociologia e das demais ciências sociais ao longo do século XX.

A partir dessa teoria, o comunismo aparece como uma fase cientificamente previsível da história. Do mesmo modo que o socialismo se estabeleceria a partir da superação da fase capitalista.

O socialismo marxista tem como fundamento teórico o materialismo histórico, que propõe um conhecimento racional do mundo e o desvelamento dos antagonismos existentes na sociedade.

Por meio da análise das formações econômicas do passado (como o feudalismo), o materialismo histórico persegue a lei dos fenômenos sociais.

Seu objetivo é entender como ocorrem os processos históricos, as leis que regem a morte e o surgimento de novas organizações sociais. O socialismo e o comunismo surgem como consequência necessária do movimento dialético (contraditório) da história.

Segundo o socialismo científico, o conhecimento da história, para resultar nas transformações sociais desejadas, deve se ligar à ação política. Cabe à classe social majoritária, o proletariado (classe trabalhadora), assumir seu protagonismo e determinar a ordem social a partir de seu próprio interesse.

Segundo Marx, só a classes trabalhadora, através da ação revolucionária, poderia solucionar o conflito da sociedade capitalista, promovendo a sua superação.

Socialismo real

Socialismo real é uma expressão que designa os países que tentaram pôr em prática os ideais socialistas. Importante destacar que o socialismo, tal como foi pensado pelos teóricos do século XIX, jamais foi plenamente implantado, muito menos o comunismo.

No século XX, as ideias socialistas serviram de base para a construção de sistemas políticos, econômicos e sociais em diversos países.

Alguns Estados que passaram por um processo revolucionário de orientação socialista, onde se destacaram algumas figuras:

  • União Soviética (Lênin, Trotsky e Stalin)
  • China (Mao Tse-Tung)
  • Cuba (Fidel Castro e Ernesto "Che" Guevara)
  • Coreia do Norte (Kim Il-sung, Kim Jong-il, Kim Jong-un)
  • Alemanha Oriental (Walter Ulbricht)
  • Vietnã (Ho Chi Minh)
  • Iugoslávia (Marechal Tito)
  • Burkina Faso (Thomas Sankara)

Diferença entre

Veja também:

Pedro Menezes
Pedro Menezes
Licenciado em Filosofia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e Mestre em Ciências da Educação pela Universidade do Porto (FPCEUP).